Enxergar um passo à frente: uma das virtudes para ser um craque no Jiu-Jítsu

Por Gustavo Menor | 27/07/2015

Fala, galera do MMA Brasil!

Após um hiato por conta de compromissos universitários, cá estou para falar sobre um fator muito interessante e que diferencia o mediano do craque no jiu-jítsu: a habilidade de enxergar o próximo passo de uma posição.

Não é a toa que o jiu-jítsu é conhecido como o xadrez das artes marciais ou, porque não, a sinuca. Nesses dois esportes citados, possuir a habilidade de imaginar as consequências de uma jogada podem definir se você vai engolir ou ser engolido pelo seu adversário. No jiu-jítsu não é diferente.

No embalo da luta pelo cinturão dos galos do UFC On FOX 16, do último sábado, trouxe para ilustrar esse assunto o 100º faixa-preta de Dedé Pederneiras e membro da Kimura/Nova União, o peso galo Renan Barão.

O número um do ranking da categoria no UFC mostrou possuir essa habilidade de enxergar um passo à frente no quarto round da luta contra Michael McDonald. Naquela ocasião, Barão, que colocava o cinturão interino pela primeira vez em jogo, cinturou o americano, que acabou dando as costas ao tentar contra-atacar a tentativa de queda do brasileiro. Barão fez o que deveria: colocou um gancho e dominou McDonald com os braços por baixo das axilas. Porém, ao tentar colocar o segundo gancho, Renan foi surpreendido pelo oponente, que rodou para tirá-lo das costas.

Confira o movimento a partir de 0:38 do vídeo abaixo:

Se não fosse um faixa-preta de visão, provavelmente Renan Barão cairia na meia-guarda e perderia a posição. Mas como ele não dá tacada sem pensar onde a bola branca vai parar, conseguiu tirar um katagatame da defesa de pescoço que Michael McDonald estava fazendo na hora do giro.

Por essas e outras que chamam o jiu-jítsu de xadrez. Mas não é todo mundo que tem essa habilidade. Ela é adquirida.

Existe um tipo de treino, muito eficiente e interessante, que ajuda a desenvolver essa habilidade. Adivinha como se chama? Xadrez. Também não é à toa, pois funciona como tal. É como se fosse um “rola” em câmera lenta, onde cada lutador tem direito a uma jogada (seja uma pegada, uma saída de quadril e etc).

Esse tipo de treino tem como objetivo fazer você enxergar as possibilidades de ataque, defesa ou contra-ataque. Você vai ver claramente como cada passo é importante para avançar em uma posição e enxergar uma nova possibilidade em uma eventual defesa de seu adversário.

Eu gosto muito desse treino, pois nele visualizo principalmente minhas falhas defensivas. Ser raspado em câmera lenta é humilhante, mas é ótimo pra ver onde vacilamos e de onde partiu o erro.

Eu busco essa habilidade fazendo esse treino e recomendo. E vocês, como treinam para adquirir essa habilidade? Deixem aí nos comentários, ou me chama lá no Twitter. Vamos trocar figurinhas.

Espero que tenham gostado. Grande abraço! Oss!