Entrevista: Gilbert Durinho fala sobre sua estreia no UFC em julho e os treinos com Vitor Belfort

Treinador de jiu-jítsu de Vitor Belfort na Blackzilians, Gilbert Durinho vai estrear no UFC On FOX 12, em julho, substituindo Viscardi Andrade.

Gilbert-Durinho-BurnsUm dos prospectos mais importantes do Brasil na atualidade chegou ao maior palco do MMA mundial. Gilbert Durinho (7-0 no MMA), multicampeão de jiu-jítsu e treinador de Vitor Belfort na arte suave, assinou contrato com o UFC na semana passada e já teve sua estreia anunciada nesta quinta-feira: ele vai encarar o também estreante Andreas Stahl no UFC On FOX 12, no dia 26 de julho, em San Jose, na Califórnia. O sueco seria o adversário de Viscardi Andrade, mas este fraturou a perna e terá que passar por cirurgia.

Durinho conversou com o MMA Brasil sobre diversos assuntos como o contrato com o UFC, a ausência no TUF Brasil 2 e sua preparação. É possível perceber que o lutador está antenado com o que acontece no esporte, principalmente em relação às deficiências dos atletas que migram do jiu-jítsu para o MMA disputado em grade. O atleta da Blackzilians conta que os treinos com Kenny Monday, campeão olímpico em Seul-1988 e prata em Barcelona-1992 foram fundamentais para desenvolver seu wrestling.

A relação do lutador com Belfort também foi abordada.

Qual é a duração do seu contrato com o UFC? Você terá permissão para seguir nas competições de jiu-jítsu e submission ou já tem planos para abandonar de vez estes campeonatos?

É um contrato padrao que assinei, de quatro lutas. E sim, posso lutar jiu-jítsu e submission, desde que eu não esteja com luta marcada. Gosto muito de competir e, sempre que der tempo, irei lutar sim.

Muita gente achou que você seria um nome certo no TUF Brasil 2. Quando você não foi anunciado entre os concorrentes, passou-se a achar que você seria contratado diretamente, como aconteceu com o Hacran Dias no TUF Brasil 1. Só depois de um ano que finalmente você acertou o contrato com o UFC. Como você viu essa situação toda? Chegou a achar que o UFC não tinha interesse?

Pelo contrário, tudo acontece por um motivo. Enxergo que não estava na minha hora. Eu evoluí muito de um ano para cá, virei pai, me mudei para os Estados Unidos. Minha vida mudou muito de lá para cá. Hoje sou uma pessoa e um lutador muito mais maduro.

O plano é fazer só a estreia como meio-médio e depois baixar para leve? E aqueles problemas de pesagem que aconteceram no Brasil, como você está trabalhando para superar?

O plano é, sim, me testar nos meios-médios. Tenho uma dificuldade enorme de bater os 70 quilos, então quero me testar e depois da luta vou resolver em que categoria irei atuar.

Você ou alguém da Blackzilians já conhece o Andreas Stahl, seu adversário da estreia?

Nao conheço, nunca tinha ouvido falar. Sei que é sueco, está invicto e é da trocacao. É tudo que eu sei.

Gilbert Durinho durante uma sessão de treino de wrestling (Foto: Ryan Loco)

Gilbert Durinho durante uma sessão de treino de wrestling (Foto: Ryan Loco)

Sobre seu estilo, seu wrestling é superior ao da maioria dos lutadores de jiu-jítsu de seu nível (aquele suplê no Mundial No Gi do ano passado foi marcante). O que te levou a querer evoluir também neste aspecto, algo que não é feito por muitos lutadores brasileiros?

Na verdade eu parei para analisar todos os lutadores de jiu-jítsu que migraram para o MMA. Vi que quase nenhum deles é wrestler e muitas vezes sentem dificuldades de usar o jiu-jítsu pelo fato de não terem o wrestling afiado. Então me peguei nesta questão e resolvi cada vez mais focar no wrestling. Lógico, tambem melhorando na trocação e mantendo meu jiu-jítsu afiado. Quero ser um lutador completo, ficar à vontade em qualquer área, mas quero que, quando for preciso, eu possa usar o meu jiu-jítsu. Como uma coisa está ligada à outra, então tenho que ser um bom wrestler.

Dentro deste assunto, qual a importância do Kenny Monday no seu wrestling?

O Kenny Monday é fundamental no meu treinamento, é sem duvidas o melhor coach de wrestling que conheci e que tenho a oportunidade de treinar.

Gilbert Durinho exibe a medalha de ouro conquistada no Campeonato Mundial de Jiu-Jítsu No Gi (Foto: Reprodução Facebook)

Gilbert Durinho exibe a medalha de ouro conquistada no Campeonato Mundial de Jiu-Jítsu No Gi (Foto: Reprodução Facebook)

Nas últimas lutas, parece que você tomou gosto pela trocação e já nocauteou três oponentes. Podemos dizer que hoje você vai usar a luta agarrada mais como um recurso adicional ou vai depender de cada caso, cada oponente, cada situação de luta?

Eu quero ser um lutador completo. Aos poucos estou me sentindo mais à vontade em pé, mas o foco ainda é finalizar.

Falando nisso, como você vê o papel do jiu-jítsu no MMA atual, principalmente disputado em cages de grade?

O MMA está evoluindo muito e todos estão treinando jiu-jítsu, nao é mais tão facil finalizar uma luta, então acho que temos que evoluir junto, estudar a luta, posições, novos movimentos, o que podemos usar a favor com a grade, etc. Quem não se atualizar vai ficar para trás.

Gilbert Durinho ao lado de Vitor Belfort. Os lutadores trocam muitas experiências e evoluem juntos (Foto: Ryan Loco)

Gilbert Durinho ao lado de Vitor Belfort. Os lutadores trocam muitas experiências e evoluem juntos (Foto: Ryan Loco)

Para fechar, como você vê o Vitor Belfort como aluno e, mais importante, como ele ajuda nos seus treinos? Como ele está depois que parou com o TRT, tem sentido alguma diferença?

O Vitor é muito completo e muito humilde, gosta de aprender e de ensinar. Ele me ajuda muito, tem uma visão de luta que é fora do normal, ele me ajuda muito em tudo.

Não senti nenhuma diferença, na verdade parece que ele está um pouco melhor. Ele evolui a cada treino, a cada dia. Ele está muito forte fisicamente e metalmente.

  • Raphael

    Excelente entrevista Alexandre….Parabéns!

  • Rafa Friall

    Grande entrevista…Durinho tem condições de ser como o Jacaré, que evoluiu a ponto de se tornar completo.
    Uma coisa curiosa é que ele fala muito do aprendizado com o Kenny Monday, porem vi que ele saiu da Blackzilians. Alias, nenhum treinador para lá.

    • Eu perguntei sobre a saída do Kenny Monday, mas ele preferiu não falar a respeito. Direito dele.

      • Airton S

        …em compensação, o mesmo Durinho comentou duramente a saída do Overheem.

        • Sim, falou. Direito dele também hahaha. Mas deve ter acontecido alguma treta com o Monday.