Dustin Poirier vence Anthony Pettis em combate sangrento no UFC Fight Night 120

Dustin Poirier nunca tinha vencido uma luta principal no UFC, e o tabu acabou neste sábado. Em um confronto contra o ex-campeão dos leves Anthony Pettis, eles protagonizaram uma batalha sangrenta na luta principal do UFC Fight Night 120, e a luta acabou após lesão de Pettis no terceiro round.

No início da luta, os dois começaram trocando diversos chutes. Pettis tentou se aproximar, colocar pressão, mas logo foi frustrado por uma boa tentativa de queda de Poirier. Por cima, Dustin tentou trabalhar posições, mas deu espaço para Anthony raspar e deixar a luta de pé. Os últimos momentos na troca de golpes foram bem animados, com Poirier soltando fortíssimos socos, respondidos por um soco rodado de Pettis, que levou mais socos fortes e foi salvo pelo gongo.

Poirier tomou a ação no segundo round, combinou socos e levou a luta pro chão em um belo movimento. Anthony tentou atacar por baixo, não conseguiu e acabou dando as costas para Dustin. Pettis fez o giro e parou na guarda de Poirier, onde começou a atacar com cotoveladas. O sangue dos dois deixou a batalha no chão mais equilibrada ainda. Com uma interrupção para limpar o sangramento de Pettis, a luta retornou com o ex-campeão buscando finalizar com um triângulo, mas sem sucesso.

No terceiro assalto, a luta rapidamente se desencadeou para o chão e Poirier conseguiu pegar as costas de Pettis. Dustin conseguiu controlar a posição, mas optou por levar a luta pra montada, onde Anthony desistiu por conta de uma lesão.

  • Bruno Coelho

    Como raios o árbitro me interrompe a luta pra limpar sangue bem na hora que o Pettis consegue armar um triângulo? E aí volta na posição perfeita para o Poirer fazer chover pedras na cabeça do cara no ground-and-pound… Pelamor!

    • Marcio Lennon

      achei absurdo também, justo no melhor triangulo que o pettis havia conseguido, juiz prejudicou o cara na cara dura.pelo menos ja que a cagada ja estava feita que voltasse com o triangulo encaixado ne, foda.