Dinheiro ou desafios: Para onde devem ir os principais lutadores livres no mercado?

Testar o mercado se tornou uma prática mais usual no mundo do MMA nos últimos anos e uma boa leva de lutadores ficou sem contrato no começo de 2017. Qual será o destino de Marlon Moraes, Ryan Bader e outros desses atletas?

Desde que Scott Coker assumiu o comando do Bellator, em 2014, um dos fenômenos mais interessantes que se formou no meio do MMA foi o vislumbre por parte dos atletas de que poderiam alcançar um bom patamar financeiro mesmo sem chegar no UFC ou mesmo saindo dele. Isto pode ser verificado pelas contratações de nomes relevantes do UFC que Coker fez ao longo desses anos, como Ben Henderson, Phil Davis e Rory MacDonald. Existem outros jogadores relevantes neste mercado, como o WSOF, que paga quantias acima da média para manter seus principais talentos e estava sob rumores de que poderia estar se encaminhando à falência, e o ONE Championship, que contava com Bibiano Fernandes e Ben Askren, dentre outros, com salários elevados em seu plantel.

O momento atual se torna ainda mais intrigante se levarmos em consideração a quantidade de lutadores de bom nível que estão disponíveis no mercado. Uma boa mistura de atletas consolidados e outros em ascensão habita a chamada free agency do MMA no começo de 2017. São eles: o top 5 meio-pesado Ryan Bader, o meio-médio do UFC Lorenz Larkin, os campeões do WSOF Marlon Moraes e Justin Gaethje, o já citado Bibiano. Esta lista também poderia conter Tom Duquesnoy, dono dos cinturões dos pesos galo e pena do BAMMA, considerado por este que vos escreve como o principal prospecto do MMA fora das grandes organizações, mas boatos recentes dão conta de que ele assinou com o UFC e fará sua estreia em abril.

Dessa forma, algumas das questões mais interessantes a serem respondidas nas próximas semanas dizem respeito ao destino que estes atletas terão. A ideia aqui é analisar, com bases nas declarações dos cinco lutadores citados, qual será o final mais provável para cada um deles.

Ryan Bader – Bellator

Ryan Bader negou o wrestling de Phil Davis (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

Ryan Bader já venceu o campeão do Bellator Phil Davis (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

Lutador mais consolidado na lista, Bader é um dos melhores meios-pesados do mundo e apresenta um retrospecto de oito vitórias e apenas duas derrotas desde o começo de 2013. Já tendo enfrentado os melhores nomes que a categoria pode oferecer e com seu papel de porteiro para a elite no UFC claramente desenhado, o duas vezes All-American da Divisão I do wrestling da NCAA já declarou que considera este o momento perfeito para estar no mercado.

Com 20 lutas no UFC no currículo, Bader pode tentar uma mudança de ares e o Bellator é o lugar certo para tal. Para deixar a escolha ainda mais convincente, ele ainda pode usar como argumento o fato de ter superado o atual campeão da categoria na organização em 2015, podendo se colocar diretamente em uma disputa de cinturão.

Lorenz Larkin – Bellator

Quando estava sob o comando de Scott Coker, Larkin venceu Robbie Lawler (Foto: Esther Lin/Forza LLC/Zuffa LLC)

Quando estava sob o comando de Scott Coker, Larkin venceu Robbie Lawler (Foto: Esther Lin/Forza LLC/Zuffa LLC)

Após fazer carreira como meio-pesado e médio, Larkin finalmente tomou a decisão de descer para a divisão até 77kg no começo de 2015 e, desde então, encontrou sua melhor fase, tendo perdido somente para Albert Tumenov, mas compensando este revés com triunfos sobre Jorge Masvidal e um atropelamento contra Neil Magny. Após a vitória diante de Magny, seu contrato com o UFC se encerrou e ele está a procura da melhor oferta.

Segundo o próprio Larkin, o UFC, Bellator e RIZIN demonstraram interesse em seus serviços, só que nenhum deles ainda lhe fez uma proposta concreta. A expectativa, no entanto, é que a proximidade com Scott Coker, proveniente da época em que os dois trabalharam juntos no Strikeforce, faça com que a organização financiada pela Viacom saia com vantagem nesta disputa. Caso assine com o Bellator, Larkin pode chegar rapidamente a uma disputa de título e terá grandes lutas a realizar em uma das melhores categorias da promoção.

Bibiano Fernandes – ONE Championship

Matt Hume entre o campeão dos galos do ONE FC Bibiano Fernandes e o melhor peso mosca do mundo, o campeão do UFC Demetrious Johnson

Especulado como possível contratação do UFC, em 2012, Fernandes optou por assinar com o ONE Championship e lá se tornou seu mais dominante campeão, tendo defendido o cinturão dos galos em cinco oportunidades, a última delas em dezembro, uma decisão dividida contra Reece McLaren. Especializado em superar adversários jovens e talentosos, mas ainda pouco experientes no cenário asiático, o brasileiro é o lutador mais velho dos elencados.

Esta foi uma das decisões mais difíceis da lista e isso tem a ver com o fato de que o UFC deve ter interesse em contratar Bibiano. Contudo, ele já se encontra na porção final de sua carreira e tem um bom salário na Ásia. Além disso, o ONE recentemente viu sua principal estrela, o japonês Shinya Aoki, perder seu cinturão, o que torna o brasileiro seu nome mais forte no momento, por conta da dificuldade de Ben Askren lutar com frequência. Isto deve levar a organização de Victor Cui a oferecer uma boa quantia para garantir a renovação e o lutador provavelmente aceitará.

Justin Gaethje – Bellator

Um dos lutadores mais empolgantes da atualidade, Gaethje ainda não está livre do contrato com o WSOF, uma vez que ainda tem uma luta por fazer. Todavia, o tempo pelo qual assinou expira em fevereiro e ele se tornará apto a fechar com a organização que quiser.

Aqui temos provavelmente a opção mais surpreendente. Por mais que seja um dos nomes mais fortes do WSOF, Gaethje recebe um salário que dificilmente será mantido – sua bolsa para o WSOF 23 foi de US$100 mil dólares – e não deve ter vida fácil no UFC em uma das categorias mais difíceis do MMA e com um estilo de luta muito franco. Assim, apesar das cinco defesas do título dos leves, ele deverá aceitar uma redução em seus ganhos. Como esse corte provavelmente será muito drástico se fechar com o UFC, a expectativa é de que Justin acabe assinando com o Bellator e proporcione guerras contra Michael Chandler, Ben Henderson, Patricky Pitbull e outros.

Marlon Moraes – UFC

Marlon Moraes, um dos melhores lutadores peso por peso fora do UFC, está sem contrato. E agora?

Nenhum outro nome nesta lista reúne tanto interesse do público do MMA em ser visto atuando no mais alto nível de competição. Maior vencedor da história do WSOF, Moraes está em uma sequência de 13 vitórias, sendo 11 delas na organização de Ray Sefo, incluindo a conquista do título dos galos e mais cinco defesas bem sucedidas. Com triunfos sobre nomes fortes como Josh Hill, Naldo Silva e Sheymon Moraes, o brasileiro já praticamente varreu todos os maiores desafios que a categoria poderia lhe proporcionar e é visto pela maior parte da mídia especializada como um dos melhores lutadores do mundo na divisão.

Na última vez que esteve sem contrato, Marlon optou por renovar com o WSOF e recebeu 180 mil dólares em sua última bolsa declarada, no WSOF 32 (90 mil por aparecer e bater o peso e outros 90 mil pela vitória). Após sua vitória no evento da virada do ano, o brasileiro se tornou agente livre novamente e cada vez mais demonstra interesse em realizar o salto para o UFC. Ele por diversas vezes deu declarações dizendo que venceria Dominick Cruz quando este era o campeão e, agora, já está desafiando o recém-coroado Cody Garbrandt. Caso decida por efetivamente assinar com o UFC, Marlon chegará brigando por uma vaga no top 5 da divisão e pode disputar o cinturão com apenas uma ou duas boas vitorias.

Concordam com as análises ou acreditam em um destino diferente para algum dos lutadores listados? Deixem suas opiniões nos comentários.

  • Asisz Marco

    que grande ironia, o lugar onde ha a maior competiçao do mundo(ufc) nao ter os melhores salarios para varios atletas.
    mas eu pergunto: sera msm q esses talentos fora ufc se criariam intra ufc?
    se pegar como base crias do bellator com will brooks e marcin held por exemplo, ambos nao venceram caras que nem ranquados estao.
    indo um pouco atras hector lombard, apesar de nao ser cria do bellator, viveu seu auge no cage redondo, mas no ufc nao rendeu, e deve ate o fim de sua carreira alternar altos e baixos na organizaçao.
    eddie alvarez foi exceçao, mas ele tbm nao e cria do bellator, ele lutou por outros eventos e o dream antes de ir para o cage redondo.
    por mais q tanto marlon moraes e justin gaetje sejam bons, os adversarios enfrentados por ambos nao tem nivel proximo aos atletas do ufc, e wsof em teoria e inferior ao bellator, entao nao botaria tanta fe q esses caras ja chegariam causando no ufc nao.
    para mim 2 caras q poderiam dar certo trabalho no ufc seriam chandler e ben askren, ambos venceram adversarios de bom nivel, e chandler poderia ter um cartel mais recheado, se nao fosse garfado contra o alvarez, na 1 contra o brooks era vitoria do chandler ou empate.
    enfim esses 2 caras para mim tem carteis mais solidos, e eles certamente pelo menos top 10 seriam no ufc.

    • João Gabriel Gelli

      Eu acho que o Marlon seria no mínimo um top 15. O Gaethje eu não vejo chegando no ranking em um curto prazo. Justamente por isso que eu acho que o UFC não vai querer pagar uma bolsa alta pra ele e o cara vai optar por lutar em outro lugar.

      • Asisz Marco

        do thomas para baixo realmente ele pode passar o carro, porem do dodson para cima ae eu ja nao boto mta fe nao, pelo menos a curto prazo.

    • Sexto Empírico

      O UFC tem sim os melhores salários, não se iluda. As estrelas do ufc ganham muito mais que as de outras promoções. O mínimo pago no UFC, 12k+12k, é bem mais q o do Bellator, $1500, ou dos ridículos $500 (Sim! quinhentas doletas) pagos pelo WSOF. Marlon é uma excessão devido à concorrência, ganha 90k + 90k. A única vantagem das outras promoções é que liberam o patrocínio individual. Mas isso só acontece por não terem tanto poder como o UFC, senão fariam igual.

      • Asisz Marco

        entao cara, eu falei q nao tinha para varios atletas,e nao todos os atletas, q eu sei q mts ganham mt bem, mas pegue o caso do ex campeao tj que ganha bem menos q o marlom moraes e o bibiano fernandez por exemplo, para quem esta iniciando o ufc e bem ingrato, mas sei q na concorrencia e ainda pior,
        caras como askren, chandler, aoki, roger gracie, marlon moraes, e prospects bons q tem mundo afora pensam varias vezes antes de poder vir ao ufc, que como melhor liga do mundo deveria pagar melhor sim, no minimo 50 mil, e nem ia ser tao oneroso para a empresa, visto q a empresa lucra demais em cima desses caras.

        • Sexto Empírico

          Vc tem razão, haja vista q o Barão recebeu 16k+16 pra disputar o título contra o Faber. Os que vc citou, são lutadores caros pro UFC por justamente serem ainda promessas ou medianos supervalorizados. O Roger é o maior exemplo disso. Foi dispensado do UFC justamente por ganhar muito pelo pouco q produziu.

      • Tem mais gente que ganha mais fora do UFC do que ganharia no octógono: Marlon Moraes, Bibiano Fernandes, Justin Gaethje, Ben Askren, Ben Henderson, Shinya Aoki, Rory MacDonald, Phil Davis…

    • Sim, tem gente fora do UFC ganhando bem mais do que ganharia no UFC. A parada é: esse pessoal que inflaciona o mercado acaba falindo e o UFC segue soberano, comprando geral.

      No entanto, isso parece estar mudando. Desde a venda pra WME-IMG, o UFC tem andado melhorando as bolsas.

      Gaethje certamente não chegaria causando. Tem peso leve no top 40 do UFC que ganha dele. Já o Marlon tem potencial pra chegar disputando posição no top 10.

  • Sexto Empírico

    Vejo muitas pessoas considerarem o Bellator um campeonato de segunda divisão. Pra mim, não. Ao meu ver, o Bellator é uma organização de segunda mesmo, sem a palavra divisão.
    Dana White, mesmo com toda a sua infinita ganância, ainda tenta equilibrar um pouco o show com a parte esportiva. Não que ele morra de amores pelo MMA, ama mesmo é só o dinheiro, mas sim pq sabe que sua franquia não pode perder a credibilidade para se manter a maior (mais lucrativa) do mundo. Cocker, por sua vez, não mede esforços em sua gananciosa busca por audiência e lucro e transita, sem o menor escrúpulo, entre o esporte, o show, o bizarro e o desastre. Sua franquia é capaz de oferecer desde espetáculos épicos, como Bendo vs Chandler/Koreshkov, Chandler vs Alvarez duas vezes, entres tantos outros a cenas lamentáveis de horror, totalmente desnessárias e que só depõem contra o esporte, como Dada vs Slice e Royce vs Shamrocky. O que tiver potencial de lucro, por mais lamentável que seja, Scott Coker está lá para assinar e fazer acontecer. Sem o menor pudor.

    • Sexto Empírico

      Marlon Moraes é um grande lutador. Está valorizado na empresa em que trabalha somente por que atingiu o maximo do sucesso alí: é o Campeão. Agora, será q no UFC teria o mesmo sucesso? Em que posição será que estaria entre essas feras:

      UFC BANTAMWEIGHT

      Champion : Cody Garbrandt

      1 Dominick Cruz
      2 TJ Dillashaw
      3 John Lineker
      4 Raphael Assuncao
      5 Bryan Caraway
      6 Jimmie Rivera
      7 Aljamain Sterling
      8 Michael McDonald
      9 John Dodson
      10 Thomas Almeida
      11 Eddie Wineland
      12 Johnny Eduardo
      13 Pedro Munhoz
      14 Rani Yahya
      15 Erik Perez

      • João Gabriel Gelli

        Vejo ele disputando o sétimo lugar com o Sterling.

        • Sexto Empírico

          Sterling é 7o com cara de top 5. Também acho q o Marlon ficaria por aí. Campeão? Acho bem difícil.

          • João Gabriel Gelli

            Acho que ele está em uma equipe muito boa e tem tempo pra evoluir. É um cara com bastante futuro e vale a pena ser contratado.

            • Sexto Empírico

              Também acho. Demorou pra ele se testar entre os melhores. Quanto à equipe, ele treina com o Ricardo Almeida que tem Edgard, Alvarez e cia. Mas isso não diz quase nada. O q importa mesmo é o talento e disposição do atleta. Lembremos q Ronda chegou ao topo do mundo despedaçando lutadoras em segundos, até um chute na cabeça derrubar ela e toda a sua motivação, treinando com o hoje escurraçado Taverdyan. A SBG é uma aberração em Dublin, boxe é a luta tradicional lá na Irlanda. Sem lutadores de nível em suas aulas e muito longe da elite, entregou Conor, que humilhou Alvarez e Aldo, da também prestigiada NU. A ATT, super festejada, nunca entregou um Campeão prata da casa pro UFC. Lawler e Amanda já estavam com o caminho todo andado quando fizeram as respectivas matrícula. Por isso acho que a questão de equipe é tão superestimada no MMA quanto ser um faixa preta de jiujtsu, ou um All-american. Funciona bem como marketing, mas não diz tanto frente a realidade. Talento e motivação são os fatores x. O resto, ferramentas.

              • A ATT foi fundamental nos títulos do Lawler e da Amanda. Ambos viraram outros lutadores, bem melhores e capazes de conquistar o título do UFC, na ATT.

  • James sousa

    concordo também acho que o Gaethje saindo do WSOF deve assinar com o Bellator , que ruim seria por UFC perder o Bader perderia um bom nome pra uma divisão arrasada

    • Eu não acho nada ruim pro UFC perder o Bader, acho que ele tem o teto dele e não vai passar dali. Não vejo nenhuma possibilidade dele vencer Cormier, Johnson ou Jones, então ele é um porteiro.

  • Ricardo Sedano

    Se o Marlon migrar para o UFC, não poderia ele ser o Adversário do Cruz enquanto Cody e Dillashaw se enfrentam? O ganhador vai para o cinturção e da mais esse ano para um dos prospectos amadurecer com mais 1 ou 2 lutas.

    E se o Bibiano fosse também para o UFC essa categoria dos galos ia ficar um negócio muito sinistro…

    • Sexto Empírico

      Seria lindo ver o bailarino contra o Marlon.
      A categoria já tá sinistra. Ainda mais com a queda do Cruz “melhor mosca de todos os tempos… Dominator…”, (as aspas são ironia mesmo. Sempre o achei um enrolador que inventou um meio de ganhar lutas sem bater efetivamente ou apanhar. Rela, pontua e sai. Tem gente que ama, eu não gosto. Ainda bem q o Cody mostrou pra ele o q é uma luta de verdade).
      Tanto Bibiano quanto Marlon terão um trabalho gigante pra pelo menos manterem-se no top 10.

    • De maneira nenhuma dar o Dominick Cruz pra uma estreia do Marlon Moraes no UFC. Acho que isso seria um erro bem grave de matchmaking. E o Marlon jamais pode ser inserido numa eliminatória logo de cara. Olha o exemplo do Will Brooks aí. Lutar no octógono do UFC é muuuuuito mais complexo.

  • Bruno Fares

    Baita matéria JGG! TUB vive.

  • O UFC não vai pagar a grana que o WSOF pagava pro Gaethje, mas não tenho certeza se o Bellator também vai, então eu acho que ele acabará no UFC.