Derek Campos vence Brandon Girtz em batalha sangrenta no Bellator 181 e fica perto da disputa do cinturão

Derek Campos vence Brandon Girtz em batalha sangrenta no Bellator 181 e fica perto da disputa do cinturão
MMA

O Bellator 181 abriu o fim de semana no MMA internacional com uma pancadaria alucinada na luta principal, que deixou Derek Campos perto de uma chance de disputar o cinturão do peso leve.

Quase um mês depois do maior evento de sua história, o Bellator MMA voltou ao WinStar World Casino & Resort, em Thackersville, Oklahoma, para o Bellator 181, card bem mais modesto se comparado com seu antecessor.

Com a definição do duelo entre Patricky Pitbull e Ben Henderson para setembro, sobrou para Brandon Girtz o chamado de última hora para enfrentar pela terceira vez o ascendente Derek Campos. Com pouco tempo de preparação, o duelo foi marcado em peso casado de 158 libras, por pedido do próprio Campos. Ele havia solicitado que a luta acontecesse em limite de peso próximo à categoria de cima, mas acabou batendo na pesagem uma marca abaixo da divisão dos leves.

Quem parou em casa na noite desta sexta-feira para ver este combate saiu bastante satisfeito. Os dois lutadores protagonizaram uma baita troca de sopapos sangrenta, comparável a um Johnson vs. Gaethje, mas menos técnico e com mais sangue.

O ritmo da luta até começou lento. Girtz ensaiava entrar com suas combinações explosivas, mas acelerou depois que Campos acertou uma joelhada na testa, abrindo um corte enorme na carroceria. Com sangue escorrendo para todo lado, Girtz passou a avançar soltando socos com elevada potência, conectando alguns, mas também se abrindo para bons golpes de Campos. Os dois chegaram a trocar francamente antes de Girtz lembrar que é bom wrestler e levar a luta para o chão, controlando por pouco tempo antes de Campos levantar, voltando para a troca de golpes em pé em ritmo bem mais lento até o final do round.

Mesmo com um corte absurdo na testa, Girtz foi autorizado a voltar com um grande bolo de vaselina em cima do ferimento. Ele já começou a segunda parcial avançando com tudo, mas quase sem precisão nenhuma. Campos ia cadenciando o ritmo da luta e mantendo a distância até ser acertado novamente por Girtz, que voltou a avançar, fazendo a luta descambar para a trocação franca novamente, dessa vez com vantagem para Campos. Novamente diminuindo o ritmo na reta final, Campos acertou mais uma boa joelhada em cima do corte.

 

Antes da volta para o terceiro round, os médicos finalmente decidiram interromper e impedir Girtz de retornar para a luta, já que este parecia ter um vulcão no meio da testa. Interrupção correta, apesar de dolorosa para Girtz, pois, na contagem do MMA Brasil, a luta estava empatada antes do round derradeiro. Campos foi então declarado vencedor por nocaute técnico no intervalo entre o segundo e o terceiro assaltos.

Agora com um histórico de 2-1 contra Girtz, Derek Campos está em excelente momento na organização. Numa sequência de quatro vitórias, vindo de ótimos resultados sobre Derek Anderson e Brandon Girtz, ele já mereceria facilmente uma chance pelo título da categoria se o peso leve do Bellator estivesse em outro momento. Porém, com a revanche entre Brent Primus e Michael Chandler para acontecer ainda neste ano, se Campos decidir esperar por muito tempo, pode ver Patricky Pitbull passar à sua frente vencendo Ben Henderson. Caso realmente Campos não seja o próximo a disputar o título, uma luta contra quem sair derrotado do confronto entre Primus e Chandler também faria sentido.

Brandon Girtz foi de uma ótima para uma má fase muito rápido. Antes de se lesionar, em 2016, ele vinha de uma ótima sequência de três vitórias, incluindo um nocaute sobre o próprio Derek Campos. Hoje, ele está numa série de três derrotas, incluindo um nocaute técnico sofrido para Campos. Agora é o momento de recuperar a confiança, pois ele ainda é um ótimo lutador na divisão. Um confronto futuro que poderia ajudar nesse sentido seria contra David Rickels.

John Salter apaga Kendall Grove no primeiro round

Com a chegada de Gegard Mousasi no Bellator, outros integrantes da divisão dos médios ficaram para trás na fila da disputa de título. Com isso, o vencedor do duelo entre John Salter e o veterano ex-UFC Kendall Grove, que antes seria uma possível eliminatória, hoje já não tem mais tanto o caráter decisivo.

Começando a luta na troca de golpes, pouca ação era vista. Os lutadores soltavam chutes baixos ocasionais, com Grove se movimentando e usando a envergadura para manter distância enquanto Salter não encontrava o tempo de entrada para golpear. Numa tentativa de avanço de Salter, Grove encaixou um bom cruzado de encontro, fazendo seu adversário entrar automaticamente em queda. Conseguindo levar a luta para o chão, Salter aproveitou o desespero do “Aranha” para tentar se levantar e conseguiu encaixar um mata-leão. Ele ajustou a posição nas costas e fez com que Grove apagasse na marca de 4:37 do primeiro round.

Se alguém ainda duvidava da capacidade de John Salter no Bellator, as dúvidas acabaram agora. Com quatro vitórias seguidas desde que chegou na organização, incluindo três interrupções no primeiro round contra nomes como o ex-campeão Brandon Halsey e Kendall Grove, o americano poderia estar em ótima posição na fila da categoria. Porém, com o campeão Rafael Carvalho já marcado para defender o título contra Alessio Sakara e com Gegard Mousasi e Alexander Shmelenko casados em eliminatória, Salter acabou ficando para trás. Agora com poucas opções, ele pode se ver envolvido num duelo contra Hisaki Kato no futuro.

Enquanto isso, Kendall Grove emendou sua segunda derrota seguida no Bellator e 17ª na carreira. Sem grandes aspirações para algo decente no futuro, ele poderia ser usado como escada para testar o prospecto russo Anatoly Tokov, que ainda precisa de uma boa vitória para se tornar conhecido no Bellator.

Emily Ducote vence Jessica Middleton em decisão apertada

Depois da saída do UFC, Valerie Letourneau faria sua estreia no Bellator encarando a grappler Emily Ducote. Porém, com a lesão da canadense, Jessica Middleton foi chamada com pouco mais de uma semana de preparação, ainda tendo que passar pelo processo de corte de peso.

Ducote passou quase a luta inteira buscando uma queda, sem ser contundente em nenhum momento. No primeiro round, apesar de controlar posicionalmente a maior parte do tempo na grade, Ducote levou muitos golpes no clinch. Quando conseguiu as quedas, Middleton se levantou rapidamente, usando a grade para ajudar.

Nos dois rounds seguintes, Ducote conseguiu muito mais facilmente a queda, apesar de não ser também tão efetiva no grappling. Na segunda parcial, quando ela chegou na montada, acabou raspada por Middleton, que passou o restante do assalto golpeando por cima, se defendendo bem das tentativas de finalização da oponente. Já no terceiro assalto, Middleton não conseguiu tirar uma carta da manga e acabou com Ducote dominando quase o tempo todo no chão, conseguindo pegar as costas e ameaçando encaixar uma finalização.

No final, a luta, bem difícil de pontuar, foi para a decisão dos juízes laterais. A grande dúvida ficou no segundo round, quando Ducote controlou posição por mais tempo, mas Middleton foi mais efetiva, fazendo com que, na contagem do MMA Brasil, este round – e, por consequência, a luta – fosse marcada para ela, com 29-28 na contagem geral. Porém, os juízes discordaram de nosso placar e marcaram vitória de Ducote com placares de 29-27, 29-28 e 29-28.

Apesar de não se apresentar tão bem, Emily Ducote ganhou mais uma vitória para o cartel e se manteve como figura de destaque na categoria peso mosca feminino, que ainda vai engatinhando no Bellator. Agora é hora de remarcar a luta que aconteceria neste evento, contra Valérie Létourneau.

Joe Warren domina Steve Garcia Jr.

Para abrir o card principal, em luta com muita cara de tentativa de passagem de bastão, o veteraníssimo Joe Warren buscava se recuperar de derrota na disputa de cinturão contra o prospecto Steve Garcia Jr.

Apesar da animação em cima do nome de Steve Garcia, o wrestler Joe Warren mostrou o motivo pelo qual está no topo da categoria do Bellator há anos. Warren grudou em Garcia por quase a luta inteira, segurando o rival no clinch na grade e eventualmente conseguindo quedas. Sem conseguir se ver livre da pegada de Warren, Garcia não tinha espaço para desenvolver sua troca de golpes criativa e só conseguiu levar algum perigo ao acertar uma boa combinação em Warren no começo do terceiro assalto, mas o ex-campeão continuou sem tomar conhecimento e levou a luta novamente para o chão poucos momentos depois.

Os juízes marcaram unanimemente a vitória de Warren com placar de 30-27, concordando com a contagem do MMA Brasil.

Apesar da idade avançada, Joe Warren continua mostrando que tem lenha para queimar, ainda mais numa divisão rasa como a dos galos do Bellator. Com Darrion Caldwell definido como o próximo desafiante de Eduardo Dantas, o veterano pode ser envolvido numa eliminatória contra o recém-chegado Michael McDonald.

Já Steve Garcia Jr. deu um passo maior que as pernas contra um adversário do nível de Warren. Ainda não preparado para este nível de competição, ele deve retornar para fazer cartel com nomes menos conhecidos da categoria. Seu próximo adversário poderia ser, por exemplo, LC Davis, que, apesar de vir em fase ruim, ainda é razoavelmente reconhecido.

Outros destaques do Bellator 181

Diferentemente do que estamos acostumados em eventos do Bellator, o card preliminar deste evento trouxe uma série de atletas interessantes.

Tivemos dois brasileiros em ação, além de Rafael Lovato Jr., o primeiro estrangeiro a vencer um Campeonato Brasileiro de Jiu-Jítsu. Dos três, Lovato foi único a ter sucesso nesta sexta, mostrando o poder de seu jiu-jítsu ao finalizar Mike Rhodes no primeiro round. Enquanto isso, Guilherme Bomba e Bruna Vargas, que eram considerados favoritos em suas lutas, acabaram perdendo em decisões unânimes para EJ Brooks e Katy Collins, respectivamente.

Outro nome interessante que apareceu no meio do card preliminar foi o do prospecto português Andre Fialho, que se recuperou da primeira derrota na carreira e venceu AJ Matthews, na decisão, em boa pancadaria. Deixando a derrota para Chidi Njokuani para trás, o português já está pronto para tentar um nível de competição mais alto novamente.

Outros dois prospectos menos conhecidos do público anotaram vitórias em suas estréias no Bellator. O peso pesado ucraniano Valentin Moldavsky conseguiu uma decisão unânime sobre Carl Seumanutafa, enquanto o wrestler All-American Logan Storley nocauteou Kemmyelle Haley em menos de dois minutos com uma chuva de cotoveladas no ground and pound. Fiquem de olho em Logan Storley.

Também tivemos alguns bons nomes no chamado “card pós-liminar” do Bellator, isto é, as lutas que não conseguiram ser encaixadas antes do começo do card principal do evento e acabaram realizadas depois que todo mundo já havia saído da arena, sem quase nenhum público e transmissão.

Nessas condições, o ex-TUF 15 e antigo campeão da RFA, Justin Lawrence, despachou rapidamente Treston Thomison por nocaute, se recuperando depois da derrota para John Macapá, no ano passado. Também na categoria peso pena, uma das poucas esperanças da categoria feminina no mundo, Amanda Bell, estreou na organização nocauteando Brittney Elkin e já se colocou na fila para disputar o título de Julia Budd.

Essas foram as principais atrações do Bellator 181, pessoal! Voltaremos só daqui a mais de um mês, no dia 25 de agosto, para o Bellator 182, o segundo evento da organização realizado no estado de Nova York. Na luta principal, veremos o retorno do ex-campeão do peso meio-médio, Andrey Koreshkov, buscando voltar ao topo da divisão ao duelar com Chidi Njokuani. No restante do card, teremos lutas que prometem bom índice de violência, com Brennan Ward enfrentando Fernando Gonzalez, no meio-médio, e com Georgi Karankhanyan contra Daniel Piñeda e AJ McKee contra Blair Tugman, no peso pena. Até lá!

apoia-se-logo-180-100

Quer se tornar um COLABORADOR do MMA Brasil e concorrer a prêmios, participar do podcast e ajudar a fazer um site cada vez melhor? Conheça todos os BENEFÍCIOS do nosso projeto no APOIA.SE!

  • James sousa

    com a revanche do Chandler o Derek Campos pode encarar o vencedor de Ben Henderson e Patricky Pitbull

    • Rafael Oreiro

      Acho que é difícil o Campos encarar o vencedor de Henderson/Pitbull. Se o Patricky ganhar, acredito que vai direto pra TS, e se o Henderson ganhar, acho que o próprio Campos recebe chance pelo cinturão.

  • Matheus V.

    Curiosa a evolução do Campos. Melhorou o boxe e até o queixo parece ter ficado mais resistente (o que confiança não faz). Curtiria vê-lo contra o Bendo…

    • Rafael Oreiro

      Campos tá em ótima fase, mas acho que não é o suficiente pra ganhar do Bendo. Ainda assim, seria uma baita luta maneira.