Demian Maia fala sobre desafio contra Usman: “Recompensa grande se ganhar”

A grande estrela do UFC Fight Night 129 atende pelo nome de Demian Maia. O meio-médio brasileiro fará a luta principal da noite contra o nigeriano Kamaru Usman no próximo sábado, no evento que marcará a estreia do UFC em Santiago, no Chile.

Após duas derrotas consecutivas, uma delas em disputa de cinturão contra Tyron Woodley, Demian contou em entrevista ao MMA Brasil sobre aceitar o combate contra Usman com pouco tempo de preparação e sobre os ganhos que pode conseguir em caso de vitória sobre o “Pesadelo Nigeriano”:

“Eu tenho várias oportunidades. Uma dela é a que você falou, é uma luta dura, com pouco tempo. É muito difícil preparar para uma luta dessas com duas semanas. Mas é uma luta que tem uma recompensa grande se ganhar, pode me colocar bem perto de uma disputa de cinturão. E eu queria muito lutar no Chile porque é a primeira vez que o UFC vai para outro país da América Latina sem ser Brasil ou México. É legal fazer parte desta história, até porque não pretendo lutar por mais muito tempo. Pretendo fazer as lutas que tenho contrato, encarar, lutar e por isso que aceitei”.

Em suas duas derrotas recentes, Maia enfrentou Woodley e Colby Covington, atletas conhecido pelo alto gabarito no wrestling, mesmo ponto onde Kamaru Usman é forte. O brasileiro comentou sobre a semelhança de estilos dos três lutadores, e acredita que Kamaru está em um “meio termo” comparado aos outros dois:

“Eu sempre treinei para conseguir derrubar e finalizar qualquer um, então o que o Woodley fez foi pela qualidade que ele tem. Um jogo bem estratégico, defendendo queda o tempo inteiro e segurando a distância para ele. O Colby é o contrário do Woodley, ele veio pra cima o tempo todo, defendeu queda bem, mas errei ali no começo porque tentei só nocautear, já que ele sentiu uma mão e tentei completar. Vejo o Kamaru como uma mistura dos dois, um cara que joga na segurança e também joga agredindo, vindo pra cima. O Woodley joga sempre indo pra cima e eventualmente dá um tiro, isso na minha luta e nas anteriores. O Colby é um cara que vem pra cima o tempo todo. O Usman é um meio termo, é agressivo, mas sabe jogar na segurança também. Essa que é a grande diferença”.

Mesmo aos 40 anos de idade, Demian Maia ainda é um lutador no top 5 de sua categoria. Perguntado sobre a longevidade no MMA, Demian responsabilizou o estilo de vida mais saudável e a forma como tratou certos itens em sua carreira, inclusive citando que quanto mais velho, menos erros pode cometer:

“Acho que teve principalmente no estilo de vida. É claro que treino, mas tive algumas sortes. Eu nunca me machuquei muito, tive apenas uma lesão séria que foi a infeção no ombro há quatro anos atrás, mas isso me fez rever muita coisa. Mentalmente, no estilo de vida, na alimentação, acho que mudou bastante e isso me dá uma longevidade. Acho que tive uma vida bem regrada, isso ajuda também. Uma vida ponderada, sem exagero de nenhum lado, e sou muito focado em ser o melhor. Sou profissional, quero chegar lá e apresentar o meu melhor. Sei o que preciso fazer pra isso. A único problema que vejo com a idade é que você pode errar menos, o que podia fazer quando era mais novo com erros, de não descansar tanto, comer um pouco pior, fazer um treino sem muito foco, hoje em dia não posso, tem que ser tudo cirurgicamente planejado”.