Por Elias Freire | 12/02/2016 11:29

Começamos aqui um ano muito importante para o wrestling, um ano de Olimpíadas, competição em que todo wrestler sonha em conquistar a mais almejada medalha de ouro que o esporte tem a oferecer. Os fãs têm a a sorte de pegar uma das melhores épocas do esporte, com cobertura extensiva da mídia, várias plataformas para ver ao vivo e um dos melhores e mais empolgantes conjuntos de regra da história da modalidade, especialmente no estilo livre. Para completar, os brasileiros ainda verão as estrelas nos Jogos Olímpicos de perto, no Rio de Janeiro.

Nada melhor para começar este ano olímpico do que três campeonatos muito fortes e renomados que ocorreram do dia 29 de janeiro a 7 de fevereiro. Esses torneios já mostraram alguns destaques que teremos (sim, é uma ordem!) que ficar de olho, pois são wrestlers com grandes chances de levarem para casa o ouro olímpico do Rio de Janeiro. Por causa dos Jogos, a coluna vai se ater aos destaques das categorias olímpicas do estilo livre (57kg, 65kg, 74kg, 86kg, 97kg e 125kg).

Começamos com um dos torneios mais difíceis do mundo – muitos sustentam ser mais difícil do que o próprio Campeonato Mundial, pela enorme quantidade de russos cascas-grossas – o Golden Grand Prix Ivan Yarygin, criado em lembrança ao wrestler Ivan Yarygin, bicampeão olímpico pela extinta União Soviética. A cidade-sede do torneio é Krasnoyarsk, na Rússia.

O grande destaque da competição foi o russo (checheno) medalhista de bronze na categoria até 97kg no Mundial de 2013, Anzor Boltukaev. Ele derrotou seus dois primeiros adversários por 10-0 (superioridade técnica) antes de enfrentar o atual campeão mundial da categoria, o jovem americano Kyle Snyder, na semifinal do torneio. O checheno conseguiu anular o jogo de Snyder e o derrotou por 3-0, com destaque ao mortal que aplicou para escapar de um single-leg do americano (um cara de 100kg com esse nível atlético é insano), como você pode ver no vídeo abaixo:

Na final, Boltukaev enfrentou outro americano, desta vez o atual campeão olímpico, Jake Varner. Com duas quedas, uma de 4 pontos ao final da luta, como você pode conferir no vídeo abaixo, e um turn, o russo bateu Varner por 8-2, consolidando-se como o nome da categoria no momento.

Vale ressaltar que Boltukaev tem vitórias sobre a lenda viva Khadzhimurat Gatsalov e o russo ex-campeão mundial Abdusalam Gadisov. Uma curiosidade: o checheno não luta com frequência, pois faz parte da polícia especial russa (é muito bad ass para um cara só). Ele aparece aos 2:12 e 2:21 do vídeo abaixo, com o presidente checheno Ramzan Kadyrov inspecionando a sua unidade:

Outro destaque da competição foi o russo Aleksander Bogomoev, campeão dos primeiros Jogos Europeus e agora bicampeão do Ivan Yarygin, dessa vez na categoria até 57kg. Bogomoev derrotou seu três primeiros adversários por 8-0, 10-0 (superioridade técnica) e 7-2. Na semifinal, teve pela frente o russo Gadshimurad Rashidov, bicampeão mundial cadete. Numa luta muito acirrada, que teve como placar 1-1, Bogomoev superou Rashidov no critério de desempate. Na final, o campeão europeu enfrentou o vencedor do Ivan Yarygin de 2014, Rustam Ampar, e venceu com duas quedas e um ponto no shot clock, marcando 5-1, como você pode assistir no vídeo abaixo:

Indo para a França, tivemos o renomado torneio Paris Grand Prix, no qual a maioria dos wrestlers de ponta do Irã foi participar. Como esperado, o destaque foi o iraniano campeão mundial júnior e medalhista de bronze do mundial de 2015, Alireza Karimimachiani, na categoria até 86kg. Karimi é considerado pela maioria como o segundo melhor wrestler da categoria e quase uma certeza de títulos mundiais se não fosse pelo azar de lutar na mesma época de um dos melhores wrestlers que o esporte já viu, Abdulrashid Sadulaev. Apesar disso, ele é o único com reais chances de vencer o jovem russo, que não perde desde 2013.

Karimi conquistou o bicampeonato do Paris Grand Prix sem tomar conhecimento dos seus adversários, derrotando os três primeiros por superioridade técnica (10-0, 11-0 e 12-1), antes de chegar à final e bater o húngaro Istvan Vereb por 7-1.

Alireza Karimimachiani ergue o bielorrusso Amarhajy Mahamedav no Paris Grand Prix

Alireza Karimimachiani ergue o bielorrusso Amarhajy Mahamedav na Copa do Mundo de Los Angeles

O destino final foi a Turquia, com o campeonato Yasar Dogu 2016, de onde saíram os dois wrestlers desses 10 dias de competição com as maiores chances de levar o ouro nas Olimpíadas.

Na categoria até 74kg, o tricampeão mundial e campeão olímpico Jordan Burroughs bateu seus três primeiros adversários sem levar nenhum ponto (10-0, 10-0 e 5-0). Na final, encontrou o francês Zelmkhan Khadziev. Surpreendentemente os 3 primeiros pontos foram do francês, com 3 step-outs, um atrás do outro. Burroughs não deixou barato, conseguindo 14 pontos seguidos e a superioridade técnica, com quatro quedas, dois turns e dois step outs, o chamado massacre. Com mais esse título, Burroughs aumenta seu cartel no estilo livre de wrestling (adulto) para 118 vitórias e apenas 2 derrotas. Ele realmente é uma aberração da natureza. Confira o vídeo da luta a partir de 4:25:07:

Na divisão até 125kg, o monstro turco Taha Akgul, bicampeão mundial, conquistou o pentacampeonato do Yasar Dogu sem levar nenhum ponto, com uma facilidade absurda, usando quedas que ninguém consegue parar e leg-laces que ele aperfeiçoou quase num nível de completa perfeição.

Akgul levou a primeira luta por WO. Nas quartas, enfrentou o azerbaijano Jamaladdin Magomedov, seu adversário na final do Mundial do ano passado, e novamente não tomou conhecimento do rival, anotando 10-0 rapidamente. Na semifinal, teve pela frente o tricampeão pan-americano Zach Rey e outra vez o turco conseguiu uma superioridade técnica (10-0). Na final, bateu de frente com o americano Anthony Nelson, bicampeão da Divisão I da NCAA. Com 1:04 de ação, a luta já tinha acabado. Akgul conseguiu duas quedas e três turns, anotando mais uma vez 10-0 e mostrando o porquê é o favorito absoluto a levar o ouro na divisão dos mamutes nas Olímpiadas.