Por Edição MMA Brasil | 08/04/2019 20:47

Por Idonaldo Filho e João Gabriel Gelli

O peso pesado é a divisão mais pobre de talento entre as masculinas do UFC e, por consequência, do Bellator e em outras regiões do mundo. Mesmo assim, isto não quer dizer que não é possível encontrar nomes promissores para a categoria ao redor do mundo e que poderão fazer estrago no futuro. Nessa segunda e última parte do De Olho no Futuro dedicado aos pesados, apresentaremos mais dois deles e também deixaremos os nomes de mais três menções honrosas.

Deixem suas sugestões de outros nomes que poderiam ser incluídos e digam se concordam ou discordam das escolhas nos comentários.

LEIA MAIS De Olho no Futuro: Peso Pesado – Parte 1

Alexander Romanov (11-1)  – Moldávia – 28 anos

Campeão do Eagles FC, na Moldávia, Alexander Romanov é dono de um bom cartel nos 12 combates realizados em sua jornada como profissional de MMA. Ele saiu derrotado somente na estreia e enfrentou oposição de nível relativamente adequado, considerando que está em uma organização pequena. Com origem no sumô, é notável que Romanov é um lutador gigante e bastante pesado e grosseiro, mas que possui habilidades mais do que surpreendentes para o porte físico, inclusive com relativa agilidade nos movimentos.

Romanov não é adepto da trocação. Ele quase nunca soca e muitas vezes mostra brechas defensivas que podem ser exploradas, limitando-se a alguns chutes nas pernas e frontais, que apareceram em suas últimas lutas, numa demonstração de evolução. O objetivo dele desde o primeiro minuto de combate é avançar como uma carreta, grudar no oponente e leva-lo para o chão. Ao chegar no clinch na grade, ele aplica muita pressão e, como é muito grande, fica difícil para o adversário sair da posição – sem falar que joelhadas poderosas no corpo também estão sempre presentes. Romanov gosta de aplicar quedas de grande amplitude, chegando a mostrar alguns suplês sensacionais em seu arsenal, derrubando na maioria das vezes ajudado pela sua imensa força.

Uma vez no chão, o ground and pound é constante e forte, embora não seja técnico, incomodando bastante o adversário. Romanov possui sete finalizações na carreira, todas conquistadas da forma mais grosseira e monstruosa possível, como gravatas de porteiro, ezequieis e neck cranks, esmagando os adversários de forma constrangedora. Ele já chegou a ganhar uma luta só metendo o antebraço no pescoço do oponente por cima e forçando a desistência. Sendo o lutador com mais combates na lista, é bem possível que ele pinte numa grande organização em breve. Deve-se esperar por um competidor intenso, com potencial para se estabelecer no top 10 da divisão.

Cyril Gané (2-0)  – França – 28 anos

Um dos principais parceiros de sparring de Francis Ngannou na MMA Factory em território francês, Cyril Gané é o atual campeão dos pesados do TKO MMA, no Canadá, mesmo com apenas duas lutas.

Ele tem raízes no muay thai, modalidade na qual foi bicampeão francês invicto. Logo depois, assinou com a organização canadense para entrar no mundo do MMA e conquistou o cinturão com uma guilhotina no primeiro combate de sua carreira. Forte, atlético, com 1,94m de altura e 2,10m de envergadura, Gané é um tipo raro de lutador para essa categoria. As suas duas lutas podem ser assistidas no vídeo abaixo.

Com uma técnica refinada e versátil na trocação e velocidade incomum para um peso pesado, Gané é um striker de elite. O controle de distância é ótimo, com bons contragolpes, e os socos são velozes e precisos. Em seu combate contra o prospecto Adam Dyczka, Cyril praticamente humilhou o adversário no striking, mostrando muita habilidade com chutes também. No clinch, Gané tem joelhadas cruéis e sequências perigosas, que podem encerrar o combate a qualquer momento. Seu condicionamento atlético é bastante digno. Além disso, ele é um lutador defensivamente completo para alguém com apenas dois combates, movimentando-se com muita leveza e tranquilidade.

Embora Gané tenha mostrado em seu primeiro combate que consegue aplicar quedas, mesmo que o adversário não seja a melhor referência, ainda existem dúvidas sobre como seria sua atuação contra um grappler de pressão. Por mais que ele possa muito bem usar a envergadura e a intensa movimentação lateral para manter a distância, o que fará quando o oponente conseguir grudar ou colocá-lo de costas no chão será um ponto muito interessante para se analisar. Empolgante, talvez Gané seja um dos mais próximos do UFC mesmo com o cartel reduzido, justamente por estar fazendo carreira perto dos Estados Unidos e por ter chocado os fãs do MMA regional com seu desempenho irretocável no último combate.

Próxima luta: Roggers Souza, no TKO 48, no dia 24/05.


Menções Honrosas


Hugo Cunha (4-0)  – Brasil – 25 anos

Hugo Cunha chegou a fazer parte da seleção brasileira de wrestling, com participação nos Jogos Pan- Americanos, e possui faixa preta de jiu-jítsu. Membro da Tata Fight Team, onde treina com Thiago Marreta, Alex Cowboy, Luis Henrique KLB entre outros, Hugo é enorme e quase sempre está em vantagem física contra o adversário. Ele gosta de impor pressão, derrubar e interromper combates com um poderoso ground and pound. Falta seguir com a evolução em pé e ser menos passivo, já que em muitas vezes oferece brechas para o adversário encurralá-lo e ter posições favoráveis no clinch.

Shamil Abasov (5-0)  – Rússia – 32 anos

Campeão mundial de kickboxing, em 2017, após vencer o brasileiro Felipe Micheletti, medalha de prata no Campeonato Russo de combate corpo a corpo, Shamil Abasov é um peso pesado bastante perigoso, que mostra habilidade fenomenal com chutes altos e movimentos plásticos, anotando alguns nocautes absurdos em sua carreira até o momento. Embora já tenha mostrado habilidade com quedas, ainda preocupa ver como atuará contra grapplers mais intensos e com maior habilidade no wrestling, ou adversário que possam explorar sua defesa ainda um pouco deficiente no boxe. Atualmente, o russo é o campeão do Battle on Volga.

Próxima luta: Rizvan Kuniev, no Battle on Volga 10, no dia 14/04.

Adlan Ibragimov (4-0)  – Russia – 30 anos

Competidor de alto nível do wrestling estilo livre russo, Adlan Ibragimov, oriundo da Chechênia, fez a transição para o MMA em 2018 e foi campeão do GP de prospectos promovido pelo Berkut Young Eagles. Seu estilo até agora é marcado pela trocação rudimentar de golpes singulares, disparados com toda a potência possível, e amor pelos ineficientes chutes rodados. A boa habilidade de anotar quedas e um forte controle posicional se destacam. Quando está estabilizado, usa um ground and pound constante. Como tem apenas um ano como profissional no MMA e possui um patamar técnico acima da média em um fundamento importante, com um título relevante para alguém de carreira tão curta, Ibragimov tem potencial para evoluir e adicionar algum senso de urgência e habilidades em pé em sua abordagem. Caso consiga, poderá se tornar um nome marcado no ranking da categoria no UFC.