Daniel Cormier espanta a zebra suiça e mantém seu cinturão no UFC 220

O TD Garden, em Boston, foi o palco de mais uma apresentação de gala do campeão meio-pesado do UFC, Daniel Cormier. O atleta dos Estados Unidos defendeu seu cinturão contra o surpreendente suíço Volkan Oezdemir e levou a melhor com um nocaute técnico pouco depois da metade do segundo round no duelo coprincipal do UFC 220.

A tarefa de Oezdemir era difícil, mas ele começou muito bem na missão de defender a busca de Cormier pelo clinch e ainda rechaçar os ataques com seus braços longos e dotados de potência. O suíço foi melhor nos quatro minutos iniciais, mas os sessenta segundos finais foram uma amostra do poder de fogo do campeão. Clinch recheado de uppercuts, overhands violentos e uma queda seguida de tentativa de mata-leão levaram o desafiante a águas profundas e foi o suficiente para deixar uma dúvida na pontuação da parcial.

Disposto a encerrar os trabalhos, Cormier voltou bezuntado no óleo do capeta no segunda parcial. Em meio minuto, um single leg aplicado com técnica impecável já deixou o suíço com as costas no tablado, com o norte-americano montado e com todo o espaço do mundo para desenvolver seu jogo de solo de elite. Alguns socos depois, o campeão estava de guarda passada e travou o braço esquerdo de Oezdemir, conseguindo um crucifixo, que deve ser uma situação nada menos que aterrorizante. Na marca de dois minutos e uns 30 socos depois, o árbitro Kevin MacDonald achou que já tinha visto o suficiente e terminou com o sofrimento do europeu.

Foi a vigésima vitória de Cormier em 22 lutas de MMA. Uma derrota para Jon Jones e uma luta sem resultado devido ao doping de seu maior rival foram as únicas oportunidades em que este monstro não terminou a noite com o braço levantado pelo árbitro. Espetacular!