Crítica de filme: “Maravilla”, um documentário sobre o ex-campeão mundial Sergio Martínez

Depois de "Encarando Ali", "Klitschko" e "Tyson", o Netflix e o iTunes, serviços de filmes sob demanda pela internet, trazem mais uma aquisição sobre a Nobre Arte. Há poucas semanas chegou o documentário Maravilla, sobre o lendário boxeador argentino Sergio Martínez.

Por Rafael Frias (*)

Quem conhece a história de vida do pugilista Sergio Martínez logo pensa que é digna de um bom enredo de cinema. Porém, o documentário “Maravilla” não se trata somente da vida de conto de fadas que viveu um dos maiores ídolos argentinos. Vemos durante o filme passagens de toda a dificuldade vivida por Martínez, desde garoto pobre, quando teve que abandonar os estudos para trabalhar com seu pai e irmãos, à fuga ilegal para a Espanha, onde passou fome e teve diversos empregos.

O grande diferencial do documentário, no entanto, são sobre as dificuldades encontradas por “Maravilla” no mundo do boxe, desde seu início tardio no esporte, problemas para encontrar oponentes, valores baixíssimos de suas primeiras bolsas e, principalmente, a grande batalha contada no filme.

“Um boxeador decide recuperar o título que lhe foi injustamente retirado em uma profissão que muitas vezes menospreza a disputa esportiva em nome do entretenimento”. É com essa breve sinopse que o Netflix apresenta a história desse ótimo documentário.

O filme começa mostrando “Maravilla” como um grande pugilista, campeão dos médios e considerado o terceiro maior lutador peso por peso do mundo. Logo então se inicia a grande história que nos mostra toda a politicagem dos bastidores do boxe, em que Martínez tem seu cinturão retirado injustamente numa manobra que acabou favorecendo Julio César Chávez Jr, filho da lenda mexicana Julio César Chávez. O pugilista argentino teve que travar uma luta fora dos ringues para obter uma oportunidade de readquirir seu cinturão.

O diretor Juan Pablo Cadaveira nos fornece uma visão geral do boxe moderno, revelando a política nos bastidores onde a luta não é somente contra o oponente, mas sim contra todo um jogo de bastidores que muitas vezes coloca o entretenimento acima de tudo. Cadeveira faz isso sem tirar o aspecto emocional, reforçando o motivo pelo qual Sérgio “Maravilla” Martinez é considerado o campeão do povo.

Não contarei mais detalhes e sim convidarei os amigos para que assistam a esse ótimo documentário e venham dar suas opiniões.

(*) Rafael Frias é professor de educação física e um dos mais antigos leitores do MMA Brasil.

  • Pedro Lins

    Assistam! Um dos melhores filmes desse ano. O documentário é animal!

    • André Guilherme Oliveira

      Esse que falaram la no podcast ne Pedrão. Parece ser bacana, vou conferir. Gostei muito do Facing Ali e agora pretendo ver o Klitschko.

      • Pedro Lins

        Sim, esse mesmo que eu falei! É só dar play lá no netflix. Não vai se arrepender

        • David Oliveira

          Mas o Klitschko não tem no netflix não, né? Alguém sabe onde encontrar?

      • Klitschko é irado também.

  • Felipe Biancardi Justo

    Rapaz a cabe criar uma coluna “cine luta” ? Poderiam se dar dicas de documentários, criticas de filme e etc, sempre sobre artes marciais (sejam novos ou antigos)

    Sugiro que se inicie pelo clássicos dos clássicos Rocky, um lutador

    • Pedro Lins

      Pretendo fazer uma coluna só sobre cinema, vai sair em breve!

    • André Guilherme Oliveira

      Falando em Rocky, e o Creed heim, será que é um filme bacana ?

      • Pedro Lins

        mestre Stallone e ruim são palavras rivais.

      • Certamente é.

      • Willian Henrickson

        Cara to esperando muito esse filme, senti um forte clima de Rocky 1 nele!!

    • A ideia era fazer isso dos lançamentos, mas podemos recapitular boas opções. Tem lesado na própria equipe do site que nunca viu Rocky. Merece apanhar de cinta no lombo.

      • Willian Matos

        O filme do Rocky é ruim gente. Só tem canastrão! A música é foda, mas o resto…

        • Pedro Lins

          Já vi gente aqui ser rebaixada no campeonato mundial de seres humanos por muito menos…

          • Já vi gente receber abraço de homem-bomba por muito menos.

  • Beto Magnun

    Vou assistir assim que tiver tempo. Outra dica é o fantástico When We Were Kings (Quando eramos reis – esse titulo é sensacional). Que mostra os bastidores da maior luta da história: George Foreman vs Mohammad Ali.

    • André Guilherme Oliveira

      When we were kings é sensacional, filme que todos os fãs de esportes deveriam assistir.

    • Esse filme é irado. Ano que vem ele faz 20 anos e a gente prestará uma homenagem.

  • Deivisson Teixeira

    Não tem comparação entre a produção cultural do boxe com a de nenhum outro esporte, muito bom mesmo, espero que um dia o MMA chegue perto disso, único filme de MMA que curti mesmo foi Guerreiro, fora os documentários os outros são bem fraquinhos.

  • Willian Matos

    Eu achei que era o Túlio…

  • David Oliveira

    Segui a dica desse doc no podcast e valeu a pena. Ótimo vídeo. E, como o Felipe sugeriu abaixo, uma coluna envolvendo cinema e luta aqui no site seria incrível! Meu parco conhecimento só me permite lembrar dos mais clássicos, e adoraria ver sugestões num espaço deste tipo.

    • Vou passar pro Pedro tentar fazer uma por mês. Eu acho que não tenho a manha de fazer resenhas de filmes, mas já devo ter visto uns 90% dos filmes de luta hahaha