Cris Cyborg supera Holly Holm em dura jornada no UFC 219

Na última vez que as portas do octógono foram fechadas em 2017 no UFC 219, Cris Cyborg precisou de muita estratégia, fôlego, técnica e força física para superar a talentosa e valente Holly Holm, sustentar sua invencibilidade no octógono e, de quebra, o título do peso pena.

A luta começou com Cyborg apostando em golpes singulares com muita potência enquanto Holm buscava acertar a distância, mais cautelosa. Um chute bloqueado pela americana levou a luta ao clinch na grade que não rendeu nada e elas voltaram ao centro da jaula. Holm passou a circular e tentar combinações curtas, mas a resposta da brasileira era sempre mais perigosa e apesar de mais rudimentar, causava mais danos no rosto de Holm. O panorama se manteve até o fim do round e foi o suficiente para Cristiane garantir o 10-9 inaugural.

O segundo round, no que diz respeito à estratégia, repetiu o panorama do primeiro. Mas desta vez, a americana estava mais habituada com a distância e conseguiu aumentar seu volume e evitar uma boa parte dos contraataques da curitibana. Para completar, Holm controlou Cyborg no terço final da parcial, abusando dos clinches. Holly empatou a luta em 19 no soar da buzina.

No round 3, Cyborg buscou uma mudança tática, tomando mais a iniciativa e deixando Holm no papel de contragolpeadora. O ritmo ainda seguia forte de ambas as partes e a tensão só aumentava na arena. Cristiane colheu bons frutos de sua nova estratégia, carimbando mais o rosto da estadunidense, a deixando com um inchaço considerável no rosto. O fim do round foi animador para a brasileira que voltou a liderar parcialmente o placar com 29-28.

No penúltimo capítulo da luta, finalmente o primeiro sinal de desgaste, com uma queda visível no ritmo. Nenhuma das duas queriam deixar golpes adversários sem resposta e as atletas se revezavam no papel de agressora. Menos fixa e apostando mais em combinações, Holm arrancou um round de difícil pontuação. A luta iria para um último ato recheado de suspense e drama, empatada em 38-38.

Outra mudança interessante de Cyborg para a parcial derradeira. Desta vez, o fator surpresa foi uma maior mescla de socos com chutes, confundindo a defesa e a movimentação de Holm. A luta nesta altura estava ótima e já era facilmente a melhor do evento. Crescendo ainda mais no round final, Cristiane deixava nas mãos dos juízes a decisão, mas com uma forte expectativa que conseguiria manter seu cinturão após uma difícil batalha. 10-9 Cyborg no quinto round e 48-47 para ela em nossa contagem.

Os juízes confirmaram a vitória e a manutenção do cinturão com um duplo 48-47 e um 49-46, coroando a grande exibição da brasileira contra a melhor desafiante que pode enfrentar no plantel do UFC.

  • total combat

    tintin,ver a holly atacando com impeto e algo inédito e ver a Cris contra golpeando foi algo que apimentou a luta e equilibrou os rounds,mais a pergunta que não quer calar , pq a brasileira não levou essa luta pro chão nenhuma vez?

    • Fernando

      Vdd…

      Principalmente pelas entrevistas eu jurava q ela ia levar essa luta no gnp..

      Um motivo bom p ela ter feito a luta td de pé, é p não deixar dúvidas na vitória. Venceu fazendo jogo que a Holm é forte.

    • Diego Tintin

      Acho que ninguém além da Cris pode responder essa pergunta com 100% de precisão, mas vou me arriscar:
      Eu acho que ela não levou para o chão porque não conseguiu. A movimentação da Holm é das melhores, o que dificulta bem as tentativas de aproximação e quedas. Algumas vezes elas chegaram ao clinch, quase sempre por iniciativa da Holm, mas não houve tentativas mais contundentes de queda por parte da Cyborg. Acho que apesar da vantagem física, a técnica de wrestling/judô da Cris não foi ou não seria suficiente para suplantar a boa defesa da Holly.
      Talvez, se fosse a estratégia principal da brasileira insistir em tentativas de quedas, ela fatalmente conseguiria, mas como não era o plano A, ela pode ter optado por evitar as tentativas para poupar energia e não ter que lidar com qualquer tipo de frustração.

  • Marcos E

    Grande luta, que deixa muito claro que a Cyborg também tem um excelente nível técnico, além do condicionamento físico fenomenal. No entanto, fica aquela impressão cada vez mais nítida que precisamos de mais atletas nessa divisão dos pesos penas. Holm estava aparentemente enorme nessa luta e bateu apenas 144 libras. O peso pena feminino no UFC precisa ser mais cheio, senão vamos ver a Cyborg sempre pegando as meninas que sobem de divisão. Tenho certeza que um cenário muito parecido vai ocorrer se Amanda Nunes tentar subir. Ela vai fazer um super trabalho para chegar ao peso pena e, mesmo em boas condições físicas, não conseguirá superar a Cyborg. Porque a Cris sempre vai gerar mais dano em seus ataques contra uma adversária de uma categoria mais leve.

  • Diego

    Sem dúvida que no papel, a Holm era a melhor lutadora que se poderia colocar na frente da Cyborg em termos de técnica, experiência e casamento de luta. Gostaria de ver elas se enfrentando em outra oportunidade, não lembro de ver visto uma luta feminina tão excelente e disputada. Fechou o ano com chave de ouro.

  • Fernando

    Vendo a luta, fiquei c a impressão que a Germaine “pipoqueira” de Randamie ou Amanda teriam levado mais perigo por terem mais punch e talvez até surpreendessem.

    Torço p Holly Holm não aposentar depois dessa, tem um estilo muito bonito de se ver…

    • Matheus V.

      Em compensação, a Randamie não tem a defesa de quedas da Holly, nem a Amanda tem a movimentação ou gás para 5 rounds de trocação franca.

  • AlbertoJr Amaral

    A melhor luta do MMA feminino da atualidade! Pura técnica, tenacidade e trocação.

  • Hudson Paulo Dias

    Tenho uma observação que acho até bizarra: Parece que a Cyborg tá chegando no auge dela agora. Quem acompanha essa mulher nas redes sociais, é surreal o quanto ela treina. Melhorou demais, ela não tá empurrando os golpes como fazia antes. Quanto ao Khabib só um frankfighter da divisão dos leves pra ganhar dele: Boxe do Connor, Chutes do Edson, Jogo de chão do chiesa, Wrestling do Alvarez e coração do Gaethe.