Por Pedro Carneiro | 25/09/2016 08:22

Em uma noite movimentada no ginásio Nilson Nelson, em Brasília, Cristiane Cyborg espancou Lina Lansberg na luta principal do UFC Fight Night 95.

A maioria sabia que Lansberg era mais um boi de piranha para Cyborg abater. O que ficou diferente neste sábado foi a duração do sacrifício da sueca. No primeiro soco que a brasileira acertou, já foi possível ver que Lansberg não tinha a menor possibilidade de vencer a luta. Cyborg aplicou fortes socos que balançaram a sueca e, após uma queda seguida de uma montada, Cris usou um ground and pound poderoso para amassar o rosto de Lina. O round foi encerrado com Cyborg aplicando uma forte sequência em Lansberg.

No segundo round, mais do mesmo, só que em uma versão compacta. Cyborg continuou aplicando fortes socos, levando a melhor no clinch e, para concluir, derrubou a adversária e aplicou um ground n’ pound avassalador até a interrupção do árbitro.

Em combate insosso Renan Barão vence Phillipe Nover na decisão unânime dos juízes

Em uma luta marcada para que o ex-campeão Renan Barão recuperasse a confiança, o brasileiro fez um combate desnecessariamente parelho com o nem tão talentoso Phillipe Nover.

O primeiro round foi bastante equilibrado, com o potiguar apostando na potência dos golpes e Nover oferecendo um volume maior de golpes. A potência foi preponderante e Barão venceu o assalto por 10-9.

Renan voltou melhor no segundo, demonstrando lampejos do lutador avassalador que foi outrora. Assim, mais um round foi marcado para ele. A ultima parcela da luta prosseguiu em um ritmo não muito forte, em que havia a sensação de que o brasileiro não passava a terceira marcha. Com um uso maior de quedas mescladas com momentos de trocação, Barão levou mais um round.

No fim, dois juízes marcaram 29-28 para o potiguar e o restante concordou com o 30-27 apontado pelo MMA Brasil. No combate entregue para recuperar a confiança de Barão, vimos uma “oportunation” perdida.

Roy Nelson usa o peso de suas mãos para nocautear Antônio Pezão

Em um embate entre amigos, Roy Nelson abusou dos overhands para construir um nocaute contra Antonio Pezão.

O primeiro round foi marcado por uma troca de mãos pesadas entre os lutadores, até o momento em que Nelson surpreendeu e levou a luta para o clinch. O assalto passou a ter o ritmo de uma luta de pesos-pesados e ali ficou até o fim.

Os amigos voltaram com uma postura diferente na segunda etapa e os overhands de Nelson começaram a lapidar o queixo de Pezão. O brasileiro aguentou duros golpes, o que tem sido raro nas suas últimas lutas, até o momento em que o americano atingiu o seu intento e um forte soco explodiu no queixo de Pezão. Os demais golpes foram somente para cumprir o protocolo e, após Big John McCarthy encerrar a peleja, Roy protestou com um tiro de meta na nádega esquerda do juiz por ter tido que acertar um amigo mais do que deveria.

Francisco Massaranduba usa o cotovelo contra Paul Felder e emociona a plateia

Piauiense que viveu anos em Brasília, Francisco Massaranduba começou os trabalhos surpreendendo Paul Felder na área de maior vantagem do americano. Com uma troca de golpes bem ajustada, o brasileiro aplicou os melhores golpes e conseguiu a vantagem minima em um primeiro round equilibrado.

No recomeço do combate, a luta prosseguiu parelha até o momento em que foi para o solo e “Massaramito” iniciou um ground n’ pound furioso. As cotoveladas abriram um abismo no supercílio de Felder e só cessaram com a buzina do fim do segundo assalto.

O derradeiro round começou com momentos de trocação e clinch. O corte do americano sangrava bastante e, após o exame do médico, o árbitro, visando a integridade fisica de Paul Felder, declarou o nocaute técnico.

Francisco Massaranduba ainda encontrou energia para emocionar a plateia ao anunciar que está iniciando um projeto social e a chegada da paternidade. QUE HOMEM!

Eric Spicely silencia o ginásio com uma finalização em Thiago Marreta

O grappler ex-TUF 23 Eric Spicely começou a luta deixando claro que a sua proposta era levar Thiago Marreta para o chão. A primeira tentativa foi com uma omoplata, que, apesar de incomodar o brasileiro, foi defendida. No seu melhor momento no round, Marreta acertou um estridente chute na costela de Spicely. Porém, não foi o suficiente. Eric mais uma ver levou a luta para o chão e conseguiu uma finalização via mata-leão.

Para Thiago Marreta a segunda derrota acendeu o sinal amarelo e deixou clara a necessidade de investir nos treinos de grappling.

Godofredo Pepey reencontra a vitória em finalização no 1º round

O card principal iniciou com um ritmo eletrizante, no qual Godofredo Pepey e Mike de la Torre trocaram socos e chutes como se o amanhã não fosse chegar. Apesar da troca franca de golpes, o brasileiro levou vantagem imprimindo um ritmo forte e encurralando De La Torre. Assim que Pepey teve oportunidade de encurtar a distância, derrubou o adversário, foi para as costas e ali trabalhou intercalando botes e socos até encontrar o momento certo de encaixar o mata-leão para voltar ao caminho das vitórias.