Contraprova confirma doping de Jon Jones no UFC 214 por anabolizante

Por Matheus Costa | 13/09/2017 09:29

Após ser pego no exame antidoping em período de competição do UFC 214, o então campeão dos meio-pesados Jon Jones recebeu mais uma péssima notícia na madrugada da última quarta-feira (13). O resultado da contraprova requisitada pelo atleta e seus treinadores foi divulgado de forma exclusiva pela “ESPN“, e como esperado, o novo exame confirmou a presença da substância proibida Turinabol no sangue do norte-americano.

Com a confirmação do doping, a situação do atleta fica oficialmente mais complicada. Embora o UFC não tenha ainda retirado o cinturão dos meio-pesados e a comissão responsável não tenha revertido o resultado da luta contra Daniel Cormier para sem resultado – ambas aguardam o desenvolvimento do caso para tomar qualquer atitude -, Jon Jones agora enfrentará uma punição de quatro anos com a USADA, já que o atleta é reincidente.

Muito usado em competições de definição muscular, o esteroide anabolizante Turinabol é utilizado para um ganho acentuado de massa muscular com uma aparência de definição muscular. Além disso, o esteroide não causa tanta retenção hídrica no usuário, facilitando assim no corte de peso, além de ter menos efeitos colaterais do que outros anabolizantes.

Mesmo com a confirmação do doping, a equipe de Jon Jones crê na inocência do atleta no caso. Acredita-se que o episódio de suplemento contaminado se repetiu com o atleta, pois as partes envolvidas afirmam que desconhecem qualquer uso feito da substância pelo atual campeão dos meio-pesados.

Em 2016, Jon Jones foi pego em exame antidoping dias antes do UFC 200, onde enfrentaria o próprio Daniel Cormier na tão aguardada revanche entre ambos. Com a presença dos bloqueadores de estrogênio Clomofeno e Estrozol, Jones conseguiu provar no juri que usou pílulas para melhora de performance sexual contaminadas pelas substâncias e foi suspenso apenas por um ano, mas acabou tendo o cinturão retirado pela organização.