Como ficaria o UFC com as novas regras para as categorias de peso?

Por Alexandre Matos | 17/05/2017 13:45

Nesta terça-feira, um trabalho que vinha sendo discutido há alguns meses foi aprovado por unanimidade pela Comissão Atlética do Estado da Califórnia (CSAC, na sigla em inglês). Preocupada com o problema do severo corte de peso do MMA, especialmente após o banimento da reidratação por soro intravenoso, a CSAC baixou um planejamento de 10 pontos, incluindo a criação de novas categorias de peso, como já falávamos há um bom tempo.

O CEO da CSAC, Andy Foster, disse que as novas regras passam a vigorar a partir de 15 de junho, de acordo com reportagem do MMA Fighting. O primeiro grande evento que será disputado sob esta regulamentação será o UFC 214, que acontecerá no dia 29 de julho, em Anaheim, quando Daniel Cormier e Jon Jones farão a mais aguardada revanche do MMA atual, valendo pelo cinturão dos meios-pesados do primeiro.

O UFC, o Bellator e o Invicta já enviaram cartas à comissão dando total apoio às regras. Ainda de acordo com a reportagem de Marc Raimondi, a ABC Boxing, entidade que controla as comissões atléticas americanas e canadenses, vai recomendar o pacote das novas regras para todas as suas afiliadas no congresso anual que acontecerá em julho.

Neste artigo, vou focar apenas na questão das novas categorias. As demais nove regras definidas pela CSAC serão debatidas em outra matéria ou numa edição do podcast It’s Time! quando tivermos folga na programação.

O UFC 214 será o primeiro evento sancionado pela CSAC sob as novas regras de corte de peso

O UFC 214 será o primeiro evento sancionado pela CSAC sob as novas regras de corte de peso

O planejamento da CSAC, o maior relativo ao controle de peso da história do MMA, surpreendeu ao definir quatro novas categorias. Pelo modo com que as filiadas da ABC Boxing tratam o MMA, eu tinha a impressão que criariam no máximo mais duas.

É importante frisar que, assim como já acontece atualmente, nenhuma organização será obrigada a implementar todas as novas categorias – hoje não existe nenhuma organização que utilize todas as categorias definidas nas Regras Unificadas de Conduta do MMA. Porém, algumas informações já pipocaram dando conta de que algumas organizações usarão as novas divisões apenas para oficializar lutas em pesos casados, sem implementá-las a pleno, com novos rankings e campeões – esta é uma hipótese provável por não terem mexido nos limites de nenhuma divisão existente, algo que eu faria para acomodar novas categorias. De qualquer maneira, parti do ponto que as novas divisões podem ser implementadas de modo integral para separar os lutadores do atual plantel do UFC na nova distribuição de divisões. O Bellator, por exemplo, pediu um tempo para a CSAC para implementar todas as novas divisões.

Para analisar tecnicamente as listas abaixo, é necessário focar no equilíbrio técnico das disputas, esquecendo quem é estrela, quem vende pay-per-view ou coisas do tipo. Minha intenção aqui é mostrar como (ou se) ficariam equilibradas as disputas no novo cenário proposto levando em conta apenas aspectos técnicos, não comerciais.

A ideia inicial era colocar prováveis integrantes de top 10 dentro de cada uma das novas divisões e das categorias atuais. Algumas ficaram com mais de 10, seja para mostrar equilíbrio ou já pensando na aposentadoria de uns e ascensão de outros. Para o completo entendimento, precisamos também entender que lutadores que já se enfrentaram e foram movidos juntos para outra categoria podem fazer uma nova luta com outras implicações, já que o corte de peso pode ter afetado mais um do que outro no primeiro duelo.

Para evitar a fadiga de aparecer alguém sem tanto o que fazer e começar a reclamar da ordenação dos lutadores, informo logo que foram listados em ordem alfabética. Reparem como duas categorias ficaram enfraquecidas, em relação a hoje em dia (meio-médio e médio), mas, em compensação, como ficaram fortes as novas divisões. E mesmo as enfraquecidas ainda mantiveram um belo índice de competitividade.

ATUALIZAÇÃO: como muita gente começou a questionar a quantidade de categorias no começo da nova lista, vou adicionar o que eu teria feito no lugar da CSAC (também não concordei integralmente com as novas divisões):

Peso Palha: até 115 libras (52,2 quilos)
Peso Mosca: até 125 libras (56,7 quilos)
Peso Galo: até 135 libras (61,2 quilos)
Peso Pena: até 145 libras (65,8 quilos)
Peso Leve: até 155 libras (70,3 quilos)
Peso Superleve: até 165 libras (74,8 quilos)
Peso Meio-médio: até 175 libras (79,4 quilos)
Peso Médio: até 185 libras (83,9 quilos)
Peso Supermédio: até 195 libras (88,5 quilos)
Peso Meio-pesado: até 205 libras (93 quilos)
Peso Cruzador: até 225 libras (102,1 quilos)
Peso Pesado: sem limite de peso ou até 285 libras (129,3 quilos)

Peso Leve: até 155 libras – 70,3 quilos

O peso leve é uma selva tão densa que, mesmo perdendo lutadores para a nova categoria dos superleves, ainda sobra gente de peso para manter a competição acirrada pelo cinturão de Conor McGregor. A ideia do top 10 acabou com 14 lutadores.

Al Iaquinta
Anthony Pettis
Charles do Bronx
Conor McGregor (C)
Dustin Poirier
Eddie Alvarez
Edson Barboza
Evan Dunham
Gilbert Melendez
José Aldo
Kevin Lee
Mairbek Taisumov
Michael Chiesa
Michael Johnson

Peso Superleve: até 165 libras – 74,84 quilos

Muita gente na elite do peso leve corta muito peso, o que me leva a acreditar que poderiam render ainda mais sofrendo menos antes da pesagem. Do mesmo modo, lutadores que ficam pequenos como meio-médio encontrariam uma situação mais confortável como superleve. Na lista abaixo, que também tem 14 nomes, há chance de talentos desabrocharem para chegar junto a uma elite poderosa.

Alex Cowboy
Beneil Dariush
Donald Cerrone
Gunnar Nelson
Islam Makhachev
James Vick
Jorge Masvidal
Khabib Nurmagomedov
Nate Diaz
Rafael dos Anjos
Rashid Magomedov
Thiago Pitbull
Tony Ferguson

Observando a lista acima, eu apostaria em Khabib Nurmagomedov como campeão inaugural.

Peso Meio-Médio: até 170 libras – 77,11 quilos

Aqui me bateu uma dúvida. Pelo tamanho que Georges St. Pierre está, talvez fosse melhor a próxima categoria para ele. De qualquer maneira, teríamos uma divisão enfraquecida em comparação ao que existe hoje, mas ainda assim boa para render combates de alto nível. E como saíram duas divisões muito fortes acima e abaixo, o enfraquecimento desta nem seria tão grave.

Obs.: no meu cenário ideal, esta lista seria redividida entre as categorias até 165 e 175.

Alan Jouban
Carlos Condit
Georges St. Pierre
Leon Edwards
Matt Brown
Mike Perry
Rick Story
Ryan LaFlare
Tarec Saffiedine
Tim Means
Tyron Woodley (C)

No cenário da atualização acima, sem esta divisão, os lutadores poderiam ser redistribuídos em:

Até 165 lb: Story, Means, LaFlare, Perry
Até 175 lb: GSP, Woodley, Condit, Brown, Jouban, Edwards, Saffiedine

Peso Médio-ligeiro: até 175 libras – 79,37 quilos

Situação bem semelhante aos superleves, gerando uma nova elite bem forte aproveitando meios-médios grandes e médios pequenos.

Demian Maia
Dong Hyun Kim
Hector Lombard
Johny Hendricks
Kamaru Usman
Kelvin Gastelum
Neil Magny
Nick Diaz
Robbie Lawler
Santiago Ponzinibbio
Stephen Thompson
Thiago Marreta
Tom Breese

Tendo em vista a nova distribuição, torceria por um terceiro encontro entre Lawler e Hendricks para definir o primeiro campeão.

Peso Médio: até 185 libras – 83,91 quilos

Neste caso, o cenário fica parecido com o peso meio-médio, pois a saída de alguns integrantes da elite enfraquecerianm o quadro atual. Porém, seguimos com a situação de novas categorias nascendo bem fortes para minimizar as perdas.

Antonio Carlos Cara de Sapato
Daniel Kelly
David Branch
Derek Brunson
Elias Theodorou
Gegard Mousasi
Krzysztof Jotko
Michael Bisping (C)
Robert Whittaker
Ronaldo Jacaré
Thales Leites
Uriah Hall

Peso Supermédio: até 195 libras – 88,45 quilos

Será que Maurício Shogun ou Rashad Evans teriam sobrevida? Será que a queda de rendimento de Chris Weidman seria minimizada com menos corte de peso? Até quando Anderson Silva resistiria? Eu fiquei curioso.

Anderson Silva
Chris Weidman
Gadzhimurad Antigulov
Gian Villante
Ilir Latifi
Luke Rockhold
Mauricio Shogun
Rashad Evans
Vitor Belfort
Yoel Romero

Com esta distribuição, novamente teríamos Rockhold, Romero e Weidman lutando pela peça de ouro e couro.

Peso Meio-Pesado: até 205 libras – 92,98 quilos

Sem os dois elementos que fizeram da outrora melhor divisão uma terra arrasada, os meios-pesados teriam um belo ganho de competitividade. Tanto que até imaginei Anthony Johnson repensando a aposentadoria.

Alexander Gustafsson
Anthony Johnson
Corey Anderson
Glover Teixeira
Jared Cannonier
Jimi Manuwa
Misha Cirkunov
Patrick Cummins
Rogério Minotouro
Tyson Pedro
Volkan Oezdemir

“Rumble” seria a minha aposta para o posto de dono do cinturão inaugural, mas fico empolgado em imaginar o que Gustafsson, que sempre cresce de rendimento em lutas por título, poderia fazer sem os atuais chefões por perto.

Peso Cruzador: até 225 libras – 102,05 quilos

Ah, rapaz… aqui nem mesmo listei 10 nomes, mas o cenário apresentado é tão especial que acho que ninguém vai se importar. Para preencher a categoria, peguei dois meios-pesados que cortam muito peso e juntei com pesados que batem até 108 quilos. Já pensou colocar Daniel Cormier e Jon Jones no mesmo saco com Stipe Miocic, Cain Velasquez e Fabricio Werdum? Que baita momento para se estar vivo.

Alexey Oleynik
Andrei Arlovski
Cain Velasquez
Daniel Cormier
Fabricio Werdum
Jon Jones
Junior Cigano
Ovince St. Preux
Stipe Miocic

Campeão inaugural? Enquanto o nome de Velasquez estiver por aí, tendo a ir nele, mas ainda não me arrisco dizer o que aconteceria quando juntarmos todos esses titãs. Prefiro esperar pela hora das prévias e raios-x para queimar a mufa com isso.

Peso Pesado: até 265 libras – 120,2 quilos

Aqui não tem jeito. Se a categoria era ruim com as estrelas que passaram para a divisão anterior, imagine sem eles. Pelo menos o fator competitividade fica acentuado, pois não era possível imaginar um Derrick Lewis ou Francis Ngannou da vida vencendo Velasquez, Miocic ou Werdum, por exemplo.

Outro ponto a ser debatido nesta categoria seria a extinção do limite de peso, atraindo mais competidores do wrestling, por exemplo, já que esta modalidade possui um limite de peso mais alto do que no MMA.

Alexander Volkov
Alistair Overeem
Ben Rothwell
Derrick Lewis
Francis Ngannou
Josh Barnett
Marcin Tybura
Mark Hunt
Stefan Struve
Tim Johnson
Travis Browne

E aí, gostaram das novas divisões? Acham que o UFC vai implementar ou apenas usar como catchweight? Quem mais poderia aparecer nas listas? Mandem bala na caixinha de comentários!

Fundador e editor-chefe do MMA Brasil. Colunista do site oficial do UFC. Prestes a se aposentar e virar colunista especial do próprio site.