Comissão Atlética da Califórnia aprova nova regra contra corte de peso severo

Por Tiago José Paiva | 17/10/2019 18:31

A Comissão Atlética do Estado da Califórnia (CSAC) votou na última terça-feira, 15, uma importante medida para tentar combater os cortes de peso extremos do MMA.

Foi aprovada por unanimidade uma nova norma que cancelará lutas em que um dos competidores pesem mais de 15% no dia da luta do que o que foi mensurado na pesagem oficial, no dia anterior. A Comissão definiu que promotores, empresários, treinadores e matchmakers são responsáveis para que os atletas sigam essa nova regulação.

A ideia é que a regra faça com que os atletas deixem de cortar grande parte do peso por meio de desidratação severa. O corte de água faz com que seja comum que lutadores ganhem entre 8% e 18% do seu peso após as pesagens.

Em adição, a CSAC também busca diminuir as disparidades entre os tamanhos dos lutadores em combate. De acordo com os dados da Comissão, 28 lutas entre janeiro e outubro de 2019 seriam canceladas de acordo com as novas regras, o que dá cerca de 10% do total de lutas sancionadas pelo órgão.

Apenas no UFC 241, que ocorreu em agosto na Califórnia, três lutas seriam canceladas. Sodiq Yussuf, Manny Bermudez e Sabina Mazo ganharam mais de 15% do peso no dia da luta.

De acordo com Andy Foster, executivo da CSAC, demorará cerca de um ano para que a nova regulação seja implantada. Foster também alertou a possibilidade que os lutadores façam dois cortes de peso em sequência para burlar a legislação.

“O único jeito de conseguirmos diminuir isso (corte de peso severo) é criando o medo de um cancelamento”, afirmou Foster. “Com isso, acho que os matchmakers irão provavelmente ter mais responsabilidade e usar mais o peso-casado para diminuir o risco de cancelamento.”

A CSAC vem tentando combater o corte de peso severo desde 2016, quando aprovou uma série de regulamentações como a pesagem na manhã do dia anterior à luta e as recomendações de subida de divisão caso o lutador pesasse mais de 10% acima do peso estabelecido no dia da luta.

O que você achou dessa medida, leitor? Conte para nós aí na caixinha de comentários!