Coluna do Coach: Jones vs Belfort

Como o cancelamento do UFC 151 e as mudanças no card do UFC 153 podem interferir na preparação de Jones e Belfort para a disputa do cinturão dos meio-pesados no UFC 152?

No próximo sábado, dia 22, teremos a disputa pelo título dos meio-pesados no UFC 152, em Toronto, Canadá, onde o atual campeão Jon Jones enfrentará Vitor Belfort, que vinha lutando nos últimos anos pela divisão dos pesos médios e aceitou subir de categoria, especialmente para esta disputa de cinturão. Como preparador físico, passarei uma análise desse ponto de vista específico. Também falarei um pouco sobre as configurações de treino de cada um dos lutadores.

Analisando primeiro as características do desafiante, é importante destacar que Vitor Belfort já estava se preparando para o duelo com Alan Belcher, que estava pré-marcado para o UFC 153, que acontecerá no Rio de Janeiro. Portanto, ele não teve dificuldades em adaptar seu camp de aproximadamente três semanas para o combate com Jones, lembrando inclusive que o lutador brasileiro já declarou estar com 92 quilos, um abaixo do peso limite da categoria dos meio-pesados. Vitor costuma pesar cerca de 95 quilos quando não está se preparando para uma luta e, já acostumado a atingir os 83,9 quilos – limite da categoria de baixo -, não precisou de grandes esforços no quesito “perda de peso”.

Passada a adaptação em relação à mudança de categoria, entramos na questão das valências físicas do atleta. Belfort tem ataques potentes em linha reta através de golpes diretos, devido em grande parte aos treinos de boxe e karatê. Estas características me levam a crer que serão os principais trunfos do atleta na tentativa de conquistar o cinturão.

Já o campeão Jon Jones certamente seguiu sua rotina de treinos prevista para um atleta de MMA de alto nível, algo que gira em torno de 90 dias intensos. Alguns lutadores optam por iniciar o camp antes, com um forte trabalho de base. Jones, como a maioria dos campeões, utiliza seus camps preparatórios para aprimorar e aprender novas técnicas, surpreendendo assim seus desafiantes ao tão cobiçado cinturão. Porém, ele não esconde que parte do seu treinamento foi fundamentado em sua escola de base, retomando as origens do forte jogo de wrestling que possui.

Quando falamos de estratégia para MMA, destacamos que inúmeras variáveis podem acontecer dentro do octógono. Posso arriscar que, por ser explosivo, Belfort usará seu boxe e atacará em linha reta e que Jones aproveitará sua envergadura tentando mais quedas do que nas últimas lutas, evitando assim os ataques de encontro do desafiante, tendo a oportunidade de trabalhar seu forte ground and pound com as já famosas e potentes cotoveladas.

A diminuição da duração do camp não deve prejudicar o brasileiro, pois normalmente os lutadores usam a última semana para treinos estratégicos e para baixar o peso. Como ocorreu a subida de categoria, Belfort provavelmente está no pico máximo da potência em um atleta. No caso de Jones, que estava se preparando para lutar no UFC 151, três semanas antes, provavelmente seus treinadores deram uma queda no ritmo de poucos dias, isto próximo à data anterior para a luta contra Dan Henderson (1º de setembro) e, logo depois, picos de alta intensidade para manter o atleta. Independentemente da melhor condição de cada, a última semana de camp é direcionada a treinos técnicos estratégicos e corte de peso, com treinos intervalados e de menor duração.

Jon Jones já provou a todos que possui credenciais suficientes para manter-se campeão do evento, mas na noite de sábado teremos o confronto da potência dos golpes do boxe com as acrobacias e projeções do wrestling.

  • Felipe Freitas

    Coach, treinos estratégicos tem sparring ou são apenas falar sobre o adversário, o que fazer, revisar o estilo ou ambos? Fazer sparring na última semana, quando está cortando muito peso não é apropriado, certo?

    • Fala Felipão, tranquilo? Na verdade o sparring para cerca de 7 a 10 dias antes da luta. O que acontece são treinos de escolinha segregados. Por ex: Manopla e movimentação (tiros curtos). Parte de movimentação de grade mas com força moderada e com finalidade técnica. Treinos de movimentação de chão e quem está por baixo segura uma manopla para melhorar o aproveitamento de ground and pound. Todos leves a moderados, nunca intensos, para que o atleta não sofra um desgaste maior do que o corte de peso. Espero ter ajudado. continue seguindo os treinos no youtube.com/coachdiogomma twitter @coachdiogomma ou fan page facebook.com/coachdiogomma Grande abraço.

  • Marcelo Sucuri

    Diogo, não sei se é verdade (é bem provável que sim) mas o Vitor disse que já está no peso da categoria e o Jon Jones ainda vai ter que corta alguma coisa. Eu imagino que o Vitor teve menos desgaste para cortar peso, porém na hora de repor o Jon Jones vai vir bem mais pesado. A minha dúvida é: até que ponto o peso pode influenciar no desempenhos dos atletas?

    • Marcelo com certeza o peso pode influenciar se o atleta fizer a reposição de qualquer maneira. Por ex: ERRO 1: Sair da pesagem e ir direto comer o que quer para sentir-se satisfeito. ERRO 2: Comer o máximo que aguentar para ficar cada vez mais pesado. No caso desta luta mesmo que Jones esteja mais pesado ambos estarão dentro do limite da categoria, ou seja, Belfort pesando 92 e Jones 93. Seria muito difícil a diferença proporcional a de um duelo entre Minotauro e Bob Sapp. Minha conclusão é que mesmo alguns quilos mais leve não vejo problemas para Belfort estar tão forte quanto ou até mais do que o atual campeão.
      Espero ter ajudado. continue seguindo os treinos no youtube.com/coachdiogomma twitter @coachdiogomma ou fan page facebook.com/coachdiogomma Grande abraço.

  • Danilo Lima

    Olá Diogo tranquilo???
    Ao meu ver Belffort tem leva vantagem no quesito peso pq ele não tem q cortar de peso e Jon Jones deve pesar normalmente na faixa dos 100 e isso impacta no gás apesar de Jones ter um preparo físico muito bom ja vimos ele abrir o bico em algumas lutas e eu acredito q Belfort vá apertar o ritmo logo no primeiro round pra fazer valer sua explosão, então se a luta seguir um ritmo frenético o Belfort pode ter boa chance.

    • Tranquilo Danilo e você? Concordo com você. Quando conquistou o cinturão contra Maurício Shogun ele estava muito cansado, porém acelerou o ritmo quando um do seus treinadores apontou para Shogun do outro lado do cage dizendo que o mesmo estava mais.

      Você definiu bem. Nem sempre o que vence está com um bom condicionamento. No caso da luta de sábado temos alguns fatores que contam e um deles é o fato do Belfort já ter lutado nesta categoria. Outro ponto é a explosão inicial em linha reta, algo que pode ser perigoso pra Jones. Boa definição sobre a manutenção do peso. O atleta nunca está 100% recuperado no dia seguinte. Por melhor que seja a reposição existem subtâncias em nosso organismo que serão repostas dias depois.

      Espero ter ajudado. continue seguindo os treinos no youtube.com/coachdiogomma twitter @coachdiogomma ou fan page facebook.com/coachdiogomma Grande abraç

  • Edson Xavier de Sousa

    Em condições normais, a única chance de Belfort é repetir a sua performance contra Vanderlei Silva, não necessariamente tão no início da luta, ou sim?…tudo indica que que Jones repetirá sua estratégia contra Lioto, fugir da trocação, derrubar, cortar, e finalizar. Sinceramente, salvo condições atípicas, as chances de Belfort, infelizmente, são mínimas, menores que as Sonnem na última luta, contra o Anderson.

    • Edson você definiu o que eu também acredito. Belfort deve atacar muito no começo da luta com golpes explosivos em linha reta e Jones deve movimentar-se tentando cansá-lo para o round seguinte. Existe uma possibilidade que o nosso amigo citou no comentário a cima.

      Contra Maurício Shogun Jones também cansou e muito, porém viu que o primeiro estava mais e logo acelerou o ritmo da luta. Os treinadores afirmam que o Belfort está pronto para os rounds seguintes e que poderá surpreender.

      Espero ter ajudado. continue seguindo os treinos no youtube.com/coachdiogomma twitter @coachdiogomma ou fan page facebook.com/coachdiogomma Grande abraç

  • Olimpio Silva

    Além do cara ser babao de gringo, a ponto de denegrir o lutador brasileiro com provocações, alguem reconhece esse post aqui, copiado na cara dura e sem dar nenhum crédito?? Sacanagem..

  • Leandro Ipanema

    boa analise do coach e ficou ainda melhor tirando as duvidas..parabens:

    *Coach oq Bel4 terá que fazer pra sair deste gameplan envergadura, wrestler, queda e cotoveladas?tendo em vIsta que o retrospecto seu não é bom contra wrestlers …
    *Voce acha que aplicando low kicks no interior da perna de apoio do Jones como fez Rampage em alguns momentos sem dar continuidade , poderia frustrar a movimentação do americano e cavar uma vantagem na luta?
    *Mudando um pouco do tema do topico , como esta o Minotauro pra esta luta no UFC RJ III?

  • Edu Machado

    até que ponto o fato de um lutador ter um estilo mais explosivo, influencia na menor resistência e diminui o gás de um determinado atleta?

    pq praticamente todos os atletas que vejo que uma das qualidades é a força e é conhecidamente um atleta explosivo e faz bastante uso da força fisica, o mesmo nunca possui gás e resistência para 3 ou 5 rounds completos de luta.

    e a que se atribui isso? é somente ao fato do lutador ser explosivo ou vem existindo alguma falha na preparação fisica?

    e outra pergunta, até que ponto a envergadura do jon jones pode ajudar ou atrapalhar nessa luta contra o vitor belfort?