Cláudia Gadelha vence combate equilibrado contra Carla Esparza no UFC 225

Por Gustavo Bizzo | 09/06/2018 22:45

Em uma luta apertada, a peso palha Cláudia Gadelha voltou a vencer no UFC 225, em Chicago. Por decisão dividida — e sob vaia do público –, a brasileira ganhou da ex-campeã Carla Esparza. A luta, que representa o encontro entre as duas rivais, que iam e vinham em tentativas de se encontrar desde os tempos de Invicta, teve gosto de controvérsia. No fim do combate, Joe Rogan questionou Gadelha se ela achava que as pontos realmente iriam para seu lado. A brasileira confirmou e pediu bônus da noite para Dana White.

O primeiro round foi iniciado com ambas lutadoras estudando distância e fazendo tentativas de golpes no centro do octógono. Claudinha consegue encaixar um knockdown em Esparza, e acaba dominada no chão. As duas se mantém no solo, até voltarem e pé, permanecendo no meio do cage, sem encaixar golpes significativos. Ao contrário de sua especialidade, Esparza aceita a luta de pé e tenta trocar com Gadelha, até que encaixar um golpe forte, acusado por Claudinha, que cai. A brasileira tenta sem sucesso encaixar uma chave de tornozelo, fazendo transição até a guarda fechada da americana. Claudia se pôs de pé, levando a luta de volta ao centro do octógono e de pé. Claudia encaixa um single leg e cai com a guarda passada, enquanto Esparza tenta se defender com golpes na cabeça da brasileira. Gadelha começa o ground and pound, encaixa uma guilhotina até o último instante do round, quando a buzina soa e acaba o primeiro assalto.

O segundo assalto começa com Esparza mais ativa, tomando o protagonismo na trocação, mas sem encaixar golpes significativos. As duas trocam golpes até se encontrarem na grade, brigando no clinch, com Claudinha de costas na parede. Esparza por mais de 30 segundos mantém a brasileira encostada, fazendo pressão, até que Gadelha inverte o jogo, coloca a americana no chão, faz a transição no solo e cai na meia guarda. Esparza se defende com cotoveladas no rosto de Claudinha, que tenta abafar a americana, que consegue fechar a guarda. Neste ponto, Claudinha não consegue aproveitar para efetivar golpes significantes, até que Carla se coloca de pé para ser quedada uma  vez mais pela brasileira. As duas ficam no solo, no meio do octógono, na meia guarda. As duas se mantém na posição por cerca de 30 segundos, até Gadelha abrir espaço o suficiente para Esparza pedalar, ser afastada e cair de costas no chão. Carla fica em cima de Claudinha até os último segundos do round, que acaba na posição com poucos golpes trocados.

O último round começou como o segundo, com Esparza golpeando em sequência e mais ativa de pé. Claudinha se defende, encaixa golpes no rosto da americana, mas aparenta mais cansada, de boca aberta. O primeiro minuto da luta se decorre no centro do cage, com troca de golpe entre as duas atletas . A luta fica morna, com ambas aparentemente cansadas. Esparza tenta chutes baixos, ataca e recua. Claudinha se restringe a contragolpes, sem tomar iniciativa no combate até a metade do round. No contra golpe, Gadelha consegue segurar o chute lateral de Esparza, encaixa um single leg, leva a americana à grade e a coloca no chão. Como nos últimos rounds, a brasileira não aproveita a posição por cima para encaixar golpes, provando socos defensivos de Esparza, que consegue espaço para ficar de pé. A americana pega um single leg, e cai na guara fechada da brasileira. Claudinha se defende tentando evitar postura ereta de Carla, mas a americana consegue se levantar a inicia um ground and pound até o final do round, encaixando cotoveladas e socos no rosto da brasileira, até a buzina soar.

Nas papeletas dos juízes, 29-28 para Gadelha, 29-28 para Esparza e 29-28 para a vencedora Cláudia Gadelha.