Cine Luta indica: “Kingdom”, a série que todo fã de MMA deveria assistir

Cine Luta indica: “Kingdom”, a série que todo fã de MMA deveria assistir
MMA

O Cine Luta faz a análise de “Kingdom”, série sobre MMA da Audience Network, estrelada por Frank Grillo, Jonathan Tucker, Kiele Sanchez, Matt Lauria e um surpreendente Nick Jonas.

Crítica SEM Spoilers

Kingdom” é uma série que tinha tudo para dar errado. Ela está em um canal pequeno, trata de um tema de difícil abordagem, lida com um gênero esportivo que é conhecidamente difícil de se filmar e com a grande tentação de recorrer ao clichê de belas histórias de superação. Apesar de tudo isso, a série criada por Byron Balasco conseguiu vencer por 10-8 todas as adversidades.

O enredo começa simples. Alvey Kulina, ex-lutador e lenda do MMA, é proprietário de uma academia de MMA na Califórnia e é o líder da equipe Navy St. A equipe tem como principais destaques o ex-campeão Ryan Wheeler e os filhos de Alvey, Nate e Jay Kulina. Até aqui não há nada de diferente de qualquer outro filme de artes marciais, não? Pois logo no inicio somos apresentados a uma realidade não tão padrão assim.

frank-grillo-2015-kingdom

Alvey é um ex-dependente de drogas que tenta dar a volta por cima, mas redireciona o seu vício no álcool e no dom de destruir suas relações familiares. Ryan é um ex-presidiário, que conheceu o sistema carcerário após agredir o próprio pai, que retorna à academia para reerguer sua carreira e ir atrás da (ex-) namorada, esta que é a atual namorada de Alvey. Nate é uma jovem promessa do esporte que tem problemas com a sua introspecção e sexualidade. E Jay, bem… Jay é praticamente a soma de todos os problemas que alguém pode ter em conjunto com um talento natural absurdo.

Todas essas situações fazem de “Kingdom” uma série dramática que usa as lutas de MMA como um catalizador das reações provenientes de cada um desses históricos. Há tempos não se via uma série que lidava com temas tão profundos como as relações familiares, o alcoolismo, a sexualidade, a prostituição, o uso de drogas e a solidão de modo tão cru e profundo. Não ficam de fora os dramas característicos dos lutadores e treinadores do MMA, como as dificuldades com lesões, corte de peso e falta de dinheiro. Todos esses problemas são apresentados de modo realista e com responsabilidade. O enredo é imprevisível e realista. Essas características são levadas a um extremo que faz com que o telespectador fique preso à trama e em uma montanha-russa de emoções durante a série.

A direção e todo os aspecto visual são básicos, haja vista o baixo orçamento da série. Contudo, isso é compensado com um roteiro bom na primeira temporada e ótimo na segunda, ótima entrega física dos atores, uma atuação excelente e uma das melhores construções de personagens feitas no ramo. Nick Jonas (sim, o do Jonas Brothers) surpreende, entregando uma atuação sólida sobre um assunto complexo e polêmico. Frank Grillo está no melhor papel de toda a sua carreira. E Jonathan Tucker faz um dos melhores personagens dentre todas as séries em atividade. É incrível o seu alcance dramático e como o personagem parece estar em simbiose com o ator. Tucker está merecidamente entre os melhores atores deste ano e espero que as premiações lembrem dele. Jay é um personagem complexo, carismático, um anti-herói que rouba a cena em todos momentos em que aparece. É um dos raros casos em que um personagem coadjuvante é tão bem interpretado que fica mais interessante que a trama de qualquer um dos outros personagens.

Como tudo tem defeito, a série tem problemas como o uso inicial do triângulo amoroso, a diferença de ritmo e episódios entre as duas temporadas, cenas de nudez e sexo gratuitas e a previsibilidade de alguns combates. Porém, os pontos positivos suplantam os negativos e fazem de “Kingdom” uma das melhores séries da atualidade e uma recomendação obrigatória para todo fã de MMA.

Conclusão e Nota

kingdom

“Kingdom” é umas das melhores séries em exibição, concorrendo com todos os outros gêneros. Se chegar ao mainstream, será amada pelos fãs e aclamada pelo público do MMA. Não é à toa que vários lutadores, treinadores, ex-lutadores e jornalistas do meio têm feito participações especiais e as filmagens foram visitadas pelo próprio Dana White. O Cine Luta recomenda fortemente a série e torce para que ela tenha o devido reconhecimento no futuro.

Em virtude da baixa popularidade da série e que muitos dos nossos leitores ainda não a assistiram, não faremos um bloco com spoilers. Todavia, fica a promessa de mais um Cine Luta em áudio com spoilers tratando de todas as temporadas de Kingdom até aqui.

Nota da série: Faixa Preta. É daqueles atletas fenômenos que, em três anos de treino, chegam na faixa preta e geram grande expectativa no público.

  • João Gabriel Gelli

    A série é fantástica. Um drama familiar tratado com toda a seriedade e complexidade que o tema merece.

    O nível da atuação do Jonathan Tucker é elevadíssimo. Ele faz um Jay muito intenso, que leva todas as suas ações às últimas consequências e que é, disparado, o melhor personagem da série. Seu instjnto de proteção com o irmão, a amizade com Lisa, a disposição inabalável para ajudar sua mãe (o que rende uma das melhores cenas da série, na segunda temporada) e a relação conturbada com Alvey. Aliás, Alvey é a personificação da decadência, aquele que, em um instinto de tentar reerguer a imagem, acaba se envolvendo em maus negócios um alcoolotra irreparável.

    Todo o elenco da série mostra grandes qualidades e os personagens têm grandes momentos ao longo dos 30 episódios já transmitidos. A atriz Kiele Sanchez que mostrou uma força impressionante para passar por um momento impossível na vida e seguir em frente com uma solução inesperada na série. O Nate de Nick Jonas com todo o seu companheirismo com Jay e o conflito interno que passa quanto a sua sexualidade. Ryan com a culpa pelo o que fez com o pai, tentando ajudar Keith e se dedicando a colocar sua promissora carreira de lutador de volta nos trilhos. Christina, a mulher que amamos odiar. O que não faltam são personagens bem construídos, carismáticos e, o mais importante de tudo, com os quais conseguimos nos identificar.

    Kingdom é o que de melhor já foi feito sobre MMA no entretenimento e é uma pena que seja tão pouco conhecida. Espero que, com esse belo texto, a série ganhe um pouco em reconhecimento por aqui, pois, sem dúvida alguma, ela merece demais.

    Curiosidade: A equipe da Jackson-Wink ajuda na direção das cenas de luta. Tem inclusive vídeos de making of do Greg Jackson e do Joe Stevenson falando sobre as gravações.

    • Pedro Carneiro

      A série é espetacular e é triste que ainda não tenha o devido reconhecimento. A sacada que eles tiveram pra resolver a situação da Kiele Sanchez foi sensacional.

  • Luiz Gustavo

    Eu realmente não havia ouvido sobre tal série mas só d ler este texto vou recorrer a velha internet pra poder assistir…
    Mais um belo trabalho do Pedro ao trazer um material que ainda não é tao comum pra podermos assisti lo.

    • Pedro Carneiro

      Recorra e assista. Você não vai se arrepender. A série começa lenta, mas entra em uma ascendente inacreditável.

  • James sousa

    comecei a assistir a serie meses atras por indicação do Rafael antigo leitor do site e curtir muito a serie

  • Saulo Henrique

    Rapaz. .nunca tinha ouvido falar. .e estava assistindo ” better call Saul.” Po, vou caça la..Netflix têm? Pedro , Saudades de você com mais frequência no podcast..e o vai ter outros sobre filmes? Tipo que teve com a série Rocky? Touro indomável talvez? Obrigado e abraços a todos do site.

    • Pedro Carneiro

      Cara, infelizmente não tem no Netflix. A série ainda é pequena, inclusive. Valeu, fera, vou tentar aparecer com mais frequência no podcast, mas como inventei de casar, minha rotina está bem corrida. Teremos sim, sobres mais filmes e séries. Touro Indomável está na lista, inclusive!

  • Rafa FriAll

    Ótima série, assisto desde o início. Jay Kulina é uma mistura de McGregor com Jon Jones, hahaha.

    • Pedro Carneiro

      HAHAHAHAHA! Vdd demais!

  • Rafael Oreiro

    Me convenceu, já baixei tudo e vou começar a ver finalmente.

    • Pedro Carneiro

      Isso ai, depois volta pra comentar o que achou!

      • Rafael Oreiro

        Consegui assistir 4 episódios até agora, e que personagem é o Jay!! Atuação ótima do Jonathan Tucker. Gostei bastante, agora não descanso enquanto não acabar.

        • Pedro Carneiro

          ele roubou a cena da série. Não vai se arrepender!

  • Juan

    Vou dar uma olhada.

  • kg

    Já acompanhava esta serie, muito boa mesmo. Tinham me indicado ela por ter um estilo parecido com outra serie, Friday Night Light, só que essa de Futebol Americano.

    • Pedro Carneiro

      Friday Night Light que tb é sensacional!

  • Weslei Alvarenga

    A série ja tava no meu radar, tem boas criticas ( e nem é de site nichado ) mas resolvi esperar pra poder maratonar, já ta na minha lista mas ira demorar um pouco ora chegar nela ( eu respeito a ordem da minha lista ).

    Nunca imaginaria q veria Nick Jonas sendo bem falado atuando kkkkkkkkkkk……. O cara é fã hardcore de MMA, se dedicou bastante pra integrar no papel.

    • João Gabriel Gelli

      O MMA é só um pano de fundo. A série é sobre os relacionamentos.

      O Nick Jonas merece todos os elogios que recebe pelo papel e superou em muito as minhas expectativas.

      • Weslei Alvarenga

        Ss, ainda mais nos esportes. Difundido ou n, uma obra tem q focar mais no character driven, focar só no esporte ficará massante pro público.

    • Pedro Carneiro

      eu dava uma pedalada nessa lista ai, porque Kingdom é uma das melhores séries do momento. Depois volta aqui pra dizer o que achou…

  • Digodasilva

    Anotado.

    • Pedro Carneiro

      depois deixa aqui o que achou!

      • Digodasilva

        Combinado! Deixarei o feedback. Mas deixo registrado que estou assistirei com boas expectativas criadas pela matéria. Hahahahaha!

        • Isso é perigoso… hahaha

          • Digodasilva

            Hehehe… Só pra botar uma pressão

  • Booa.. vou caçar.

    • Pedro Carneiro

      ache e depois deixa seu feedback!

  • Esqueci de comentar que achei a melhor resenha do Cine Luta até agora.

    • Pedro Carneiro

      valeu!

  • Digodasilva

    Ainda não vi todos os episódios, mas como prometi dar um retorno pro Pedro… Aí vai.
    Cara… Eu gostei bastante. Começando pela abertura que achei muito legal e bem produzida. O primeiro episódio consegue algo que sinto falta em muitas boas séries: te insere rapidamente e de forma dinâmica e divertida no ambiente da série. Achei as atuações são gratas surpresas e os personagens muito bem elaborados. Os clichês (principalmente no mote e roteiro) são suportáveis e vale pelo contraste com o peso dramático. A grande dificuldade de séries e filmes de MMA, as cenas de luta, também é um desafio bem encarado, mas, para mim, as cenas de treino são as que chamam atenção e merecem destaque. Como não assisti tudo talvez minha opinião sobre o nome da série seja precipitada, mas acredito que “Navy St” seria uma opção mais legal.
    Não sei se lembrei de todos os comentários. de qualquer forma agradeço pela dica e, concluindo, estou curtindo demais. Na minha opinião, faixa preta com certeza. Valeu Pedrão!

    • Pedro Carneiro

      Fico feliz de saber que vc está gostando! E a 2ª temporada via te fisgar de vez. É sensacional!