Por Alexandre Matos | 04/07/2018 14:12

O UFC 226 é um evento tão importante que a coluna Choque de Titãs volta em dose dupla. Depois da análise da luta coprincipal, chegou a hora de dissecar o duelo Stipe Miocic vs Daniel Cormier. Trata-se do primeiro entre campeões reinantes dos pesados e meios-pesados, que vai liderar o evento de sábado.

Miocic quebrou uma barreira antiga em seu último combate, a de número de defesas do cinturão do peso pesado. Já Cormier tenta se tornar o quinto na história do UFC a conquistar título em duas categorias. Apenas estes detalhes já fariam desse confronto algo importante, mas ainda estamos falando de dois dos melhores atletas da história das duas divisões.

Como nas vezes anteriores, dividimos esta avaliação nos âmbitos de arsenal ofensivo, sistema de proteção, estratégia, condicionamento físico e ritmo de luta, experiência, além do que chamamos de Fator X, aquela carta na manga que os lutadores poderão lançar na mesa caso o negócio comece a apertar.

Arsenal Ofensivo

Falamos aqui de dois dos melhores lutadores no aspecto ofensivo que as categorias mais pesadas já produziram. Miocic e Cormier possuem bases bem definidas – inclusive dividem a mesma origem -, mas evoluíram significativamente ao longo das carreiras.

Tanto Miocic quanto Cormier possuem o wrestling como porto seguro. O meio-pesado conquistou mais glórias na modalidade e aplica melhor seus conceitos no MMA, mas é possível afirmar que Stipe é tão eficaz quanto Daniel. As estatísticas mostram quase igualdade na média de quedas aplicadas por 15 minutos (2,35 x 1,89 para Miocic) e precisão nas quedas (42% x 37% a favor de Cormier).

O sistema ofensivo do campeão dos pesados foi reforçado com o boxe. Seu estilo parece econômico – a esquerda quase sempre sai em jab e a direita navega entre o direto e o cruzado numa proporção de 75%-25% -, com poucos chutes, mas com brilhante movimentação, elevado volume e controle de distância, o que torna seu arsenal de uma meia dúzia de três ou quatro técnicas altamente eficaz e perigoso.

Stipe Miocic trabalha tão bem as combinações de jab e direto com movimentos rápidos de pés que não precisa variar tanto seus ataques para ser muito eficaz

Stipe Miocic trabalha tão bem as combinações de jab e direto com movimentos rápidos de pés que não precisa variar tanto seus ataques para ser muito eficaz

Cormier se tornou um striker mais versátil que Miocic, muito por conta da tradição da AKA com o kickboxing. Porém, é na curta distância que o dono do cinturão dos meios-pesados brilha mais. Dali, DC dispara violentos uppercuts, joelhadas, sequências de dirty boxing, deixando o adversário em posição defensiva, pois, de perto, a qualquer momento ele pode entrar com uma queda. Aliás, as transições são um aspecto genial no jogo de ambos.

Até mesmo Jon Jones sofreu com o trabalho de Daniel Cormier no infighting

Até mesmo Jon Jones sofreu com o trabalho de Daniel Cormier no infighting

O tema versatilidade vs economia de movimentos também é visto no jogo de quedas. Miocic raramente sai da dupla single e double leg e as executa com enorme precisão – embora nem sempre complete a queda, a transição é quase sempre feita corretamente. Já Cormier derruba de tudo que é jeito: com single, double, duck under, erguendo no ombro e arremessando corpo no chão como se fosse um saco de batatas, no go-behind seguido de arrasto para o solo, no passa-pé a partir do clinch.

Daniel Cormier tem uma força descomunal para fazer seres humanos de sacos de batatas

Daniel Cormier tem uma força descomunal para fazer seres humanos de sacos de batatas

É difícil definir uma vantagem neste aspecto, visto que o estilo minimalista de Miocic é tão eficiente quanto a versatilidade de Cormier.

Sistema de Proteção

A análise das defesas de Miocic e Cormier é um caso à parte neste duelo de gigantes.

A carreira de Miocic tem um divisor de águas claro: a derrota para Junior Cigano, em dezembro de 2014. Antes, apesar de já mostrar muito talento, ele era um tanto desajeitado defensivamente e acabava muitas vezes exposto, principalmente quando apresentava queda de rendimento. Naquela época, até Cigano o derrubou e Stefan Struve o nocauteou. Após a derrota para o catarinense, Stipe se tornou um lutador muito mais seguro: nunca mais foi derrubado e, embora tenha sofrido um knockdown por descuido, passou a ser muito menos acertado. O mérito é do jogo de pernas e do senso tático.

Mesmo sendo pressionado, caminhando para trás, Stipe Miocic passou a ser menos atingido

Mesmo sendo pressionado, caminhando para trás, Stipe Miocic passou a ser menos atingido

Cormier tem um problema nítido em seu sistema defensivo: a exposição da linha de cintura. Jones conseguiu frear seu ímpeto com chutes na barriga e Alexander Gustafsson foi capaz de evitar uma queda e derrubar DC depois de uma joelhada no plexo ter tirado o atual desafiante do prumo.

Até um striker conseguiu derrubar o wrestler olímpico explorando uma deficiência defensiva de Cormier

Até um striker conseguiu derrubar o wrestler olímpico explorando uma deficiência defensiva de Cormier

A vantagem neste ponto é de Miocic.

Condicionamento Físico

Os corpos enganam.

Frente a frente, um desavisado pode imaginar que Cormier tenha algum problema com o condicionamento físico. Que nada. O ex-capitão da seleção olímpica americana de wrestling consegue manter o ritmo de seus desempenhos por longo tempo sem mostrar queda brusca de rendimento, além de estar mais do que acostumado com lutas de cinco rounds, das quais ele só não venceu o quinto uma vez, na derrota para Jones. E essa observação tem um peso ainda maior visto que o jogo imposto por Daniel é muito cansativo.

Mais magro, Miocic não lutava cinco rounds fazia quatro anos antes de bater Francis Ngannou. Neste último combate, o americano descendente de croatas mostrou condicionamento físico exemplar, mas é necessário frisar que o africano já estava na raspa do tacho ainda na primeira metade da luta, passando a maior parte do tempo sem conseguir pressionar o campeão. E você pode acreditar que isso não vai acontecer neste sábado.

Por ter mais elementos de análise e já ter se provado mais vezes, a vantagem é de Cormier.

Estratégia

Uma análise estratégica aprofundada faz parte da prévia que será lançada nesta semana. Porém, o raio-x pode enumerar algumas possibilidades.

Diz a sabedoria popular que juntar dois wrestlers costuma render pancadaria. Pode ser, mas esta estratégia daria ao campeão, que faz o controle de distância com mais fluência que o desafiante, uma leve vantagem. Porém, Cormier tem habilidades suficientes para equiparar a disputa aqui.

Por outro lado, colocar Miocic de costas para o chão poderá simplificar o caminho de Cormier ao novo ouro. Para tanto, DC tem a seu favor a maior versatilidade não só para aplicar quedas, mas para chegar nelas. E ele tem histórico de botar para baixo gente do tamanho e peso de Miocic, então não vejo problemas neste sentido.

Embora a luta comece do modo que Miocic precisa, vai ser difícil evitar todas as aproximações de Cormier, que leva vantagem neste aspecto.

Experiência

Aqui provavelmente é o único campo em que há um favorito claro.

Embora Miocic seja o recordista de defesas da história dos pesados e esteja no UFC há mais tempo, Cormier já passou por mais experiências na carreira profissional. Depois de passar por Jogos Olímpicos, UFC 200, alguns dos maiores pay-per-views que não tiveram envolvimento de Conor McGregor e uma das maiores rivalidades do MMA, Cormier já viu de tudo como lutador, até mesmo perder um cinturão e recuperá-lo sem precisar subir no octógono.

O Fator X

Miocic pode surgir com um jogo diferente, explorando a linha de cintura de Cormier com chutes a fim de facilitar a entrada de queda e trabalhar o ground and pound.

Cormier pode atuar como kickboxer e atrapalhar o controle de distância de Miocic com volume de golpes elevado, fazendo com que a dúvida da queda nunca deixe de incomodar os pensamentos do campeão.

Numa hipótese de mudança de plano padrão, por ser mais versátil, Cormier já se mostrou capaz de executar uma estratégia que confunda Miocic.

Stipe Miocic vs Daniel Cormier: Conclusão

Quer saber como tudo isso que foi exposto nesta análise pode ser usado em Stipe Miocic vs Daniel Cormier? Não perca a nossa prévia do UFC 226, que será publicada ainda nesta semana.

Fundador e editor-chefe do MMA Brasil. Colunista do site oficial do UFC. Prestes a se aposentar e virar colunista especial do próprio site.