Por Pedro Carneiro | 08/07/2016 04:58

Em uma categoria onde não se sabe se o campeão linear retornará para defender o seu cinturão, a luta pelo título interino entre José Aldo e Frankie Edgar, no UFC 200, é um dos melhores casamentos que o MMA pode fazer atualmente.

Aldo e Edgar se enfrentaram no UFC 156, em 2013. Na ocasião, Edgar fazia a primeira luta como peso pena depois de três derrotas consecutivas que lhe custaram o título da categoria de cima. Por sua vez, Aldo era o rei soberano dos penas. Três anos e meio depois, Edgar está totalmente adaptado ao peso e parece estar no melhor momento da carreira, enquanto Aldo viu sua longa invencibilidade ruir em 13 segundos.

Para destrinchar uma luta tão sensacional vamos dividir a avaliação nas categorias arsenal ofensivo, sistema de proteção, condicionamento físico, estratégia, experiência e o Fator X, aquele artifício inesperado usado na hora em que a dificuldade aparece.

Arsenal ofensivo

Quando o assunto é arsenal ofensivo, José Aldo é uma referência de qualidade. O brasileiro faz bem tudo o que se propõe a fazer ofensivamente. Possui um boxe e um muay thai poderosos e velozes; suas combinações são extremamente rápidas e sua precisão beira o estado da arte. Aldo esconde seus golpes com maestria, atrapalhando a defesa dos adversários, e seus chutes básicos funcionam como um ticket de viagens para o inferno para a base e a movimentação dos oponentes. O muay thai agudo faz com que seu clinch seja bastante perigoso e ainda pode ser um catalisador para o jogo de quedas. Aldo derruba relativamente bem e é um lutador que sabe controlar as posições no solo.

Esconder golpes e bater pesado com variação são especialidades do muay thai de Aldo

Esconder golpes e bater pesado com variação são especialidades do muay thai de Aldo

As quedas subestimadas livraram Aldo do perigo em alguns combates

As quedas subestimadas livraram Aldo do perigo em alguns combates

Frankie Edgar é outro ás do ataque, está na melhor fase da sua brilhante carreira e diminuiu a distância que havia entre ele o brasileiro na primeira luta. O americano possui um boxe acima da média, movimentação alucinante e imprevisível, uma esquiva veloz e eficaz e um queixo sobrenatural. Apesar do tamanho, Edgar é contundente e aplica golpes com potência, mesmo entrando e saindo. O wrestling é ótimo, com um timing preciso tanto no single leg quanto no double leg. O controle posicional do americano é um dos melhores da divisão e se alia ao ótimo jiu-jítsu, refinado por Ricardo Cachorrão.

Apesar de pequeno, Edgar tem um wrestling poderoso

Apesar de pequeno, Edgar tem um wrestling poderoso

Jogo de pernas fluido, movimentação de cabeça, criação de ângulos: Edgar é um dos melhores boxeadores do MMA

Jogo de pernas fluido, movimentação de cabeça, criação de ângulos: Edgar é um dos melhores boxeadores do MMA

Poucas vezes o nome “duelo de titãs” fez tanto sentido quanto para esse embate. Aldo e Edgar são geniais ofensivamente e possuem a qualidade necessária para vencer qualquer lutador no peso. A primeira luta não é um parâmetro tão fiel dada a evolução e fase de Edgar. Além disso, há a dúvida em saber como Aldo voltará depois da traumatizante derrota em sua última luta.

Contudo, as combinações certeiras terminadas com chutes nas pernas, dificultando a movimentação de Edgar, os jabs precisos e a maior potência de Aldo dão a ele uma vantagem nesse quesito.

Sistema de proteção

Não se deixem enganar pelos 13 segundos da luta contra Conor McGregor, pois Aldo é uma fortaleza defensiva. O jogo de pernas e quadril aliado à movimentação da cabeça impedem que o manauara se torne um alvo fixo. Seus contragolpes poderosos também fazem com que os oponentes se sintam acuados.

Mais difícil que atingir seu rosto é derruba-lo. Apesar de já ter sido derrubado pelos seus oponentes, para cada queda bem-sucedida há uma enorme quantidade de tentativas negadas. Outro empecilho para quem deseja derrubar o brasileiro é que ele se levanta rapidamente e seu jiu-jítsu defensivo é muito bom. Um fator que pode ser um entrave para José Aldo é que, se motivado por uma necessidade de querer se provar após o nocaute sofrido em sua última luta, ele esqueça tudo e parta para cima, se expondo.

A defesa de quedas de Aldo é quase intransponível mesmo para os melhores wrestlers

A defesa de quedas de Aldo é quase intransponível mesmo para os melhores wrestlers

Atingi-lo também não é fácil para muitos strikers habilidosos

Atingi-lo também não é fácil para muitos strikers habilidosos

Edgar é um excelente wrestler e sua defesa de quedas é apenas mais um elemento no seu jogo defensivo, juntamente com sua movimentação lateral e seu queixo inquebrável. Ele também usa seu jogo de entradas e saídas para se defender, com a boa e velha estratégia de atingir e não ser atingido.

Apesar de ambos se defenderem bem, Edgar é mais acertável que Aldo. Só sabemos da qualidade do queixo do americano porque vimos ele ser atingido diversas vezes. Contra um adversário forte e potente como José Aldo, isso pode ser um problema e é por isso que aqui a vantagem é do brasileiro.

Condicionamento físico e ritmo de luta

Aldo está acostumado a fazer lutas de cinco rounds, já que apenas duas de suas vitórias no UFC terminaram antes da última buzina. Entretanto, as quedas de rendimento do brasileiro são frequentes nos últimos assaltos. Contra adversários que crescem ao longo da luta, isso pode ser um problema grave.

Frankie Edgar também está acostumado a lutas de 25 minutos, só que aqui a situação se inverte. Edgar já voltou do fundo mais profundo da vala, em rounds onde tudo parecia estar perdido, como se nada tivesse acontecido. O americano, além de ter um ótimo preparo físico, costuma crescer ao longo das lutas, fazendo do último assalto o seu melhor momento. E é justamente por esse motivo que aqui a vantagem é de Frankie Edgar.

Depois de se recuperar de um virtual 10-7 contra, Edgar nocauteou Gray Maynard numa virada épica

Depois de se recuperar de um virtual 10-7 contra, Edgar nocauteou Gray Maynard numa virada épica

Estratégia

O manauara é um lutador completo e fluido. Suas possibilidades de estratégia podem passear por todos os aspectos do jogo. Treinado por um grande estrategista como Dedé Pederneiras, o plano tático jamais será um problema para Aldo.

O ex-campeão dos leves possui uma arma estratégica incomum, que é a sua inteligência acima da média. Edgar fez várias revanches ao longo da carreira e, em todas elas, apareceu como um lutador melhor do que na primeira luta. Além disso, Frankie consegue se adaptar ao adversário e mudar a sua estratégia ao longo da luta.

Nesse ponto há um equilíbrio e não há uma vantagem definida para nenhum dos lados.

Experiência

O brasileiro já fez quase 30 lutas profissionais, sendo que mais da metade delas no WEC e no UFC. Esta é sua 12ª luta valendo um cinturão na carreira, o que faz com que já tenha enfrentado adversários dos mais diversos estilos.

Edgar também é um ex-campeão. Já viveu de tudo no octógono. Venceu, perdeu, mudou de categoria, foi campeão, perdeu o título e agora faz sua nova escalada ao topo da divisão.

Porém, há um detalhe determinante aqui. Frankie Edgar já passou pela dor de perder um título e se reinventar, já passou pela reconstrução da carreira e da autoestima dilacerada por uma derrota em uma disputa de cinturão. Por isso, Aldo nunca havia passado e não sabemos como o brasileiro lidará com essa adversidade na carreira. Tendo em vista essa situação, a vantagem aqui é de Edgar.

Fator X

José Aldo e Frankie Edgar são praticamente o manual do “Fator X”. Aldo possui tantos recursos que é quase impossível mapeá-lo. Socos escondidos, chutes vindos de onde menos se espera, pêndulos, movimentação e genialidade impressionantes. José Aldo é quase todo “Fator X”.

E o que dizer de um atleta que passou o que passou contra Gray Maynard duas vezes e voltava no round seguinte como se fosse um treino de terça-feira à tarde? O boxe de Edgar é tão imprevisível quanto a sua movimentação e a sua fluidez é tão grande quanto o seu coração. Frankie Edgar é um lutador muito versátil.

Haja vista tamanha desconstrução, é mais provável que o jogo ofensivo preciso de Aldo e a sua fortaleza defensiva sejam determinantes no embate. Neste caso há uma pequena vantagem para José Aldo.

Conclusão

Quer saber como tudo isso que foi exposto nesta análise pode ser usado na luta? Não perca a nossa prévia do UFC 200, que será publicada ainda nesta semana.