Por Edição MMA Brasil | 05/09/2019 15:13

Aproveitando a brecha de horário proporcionada pelo UFC 242 neste sábado, o Bellator monta seu cage circular na cidade de San Jose, na Califórnia para sua edição 226. O carro-chefe do evento é a disputa do cinturão peso pesado entre o estadunidense campeão Ryan Bader e o veterano francês Cheick Kongo.

Uma das atrações da noite californiana é a primeira rodada do promissor torneio do peso pena. O tarimbado ex-campeão Daniel Straus vai encarar o valente Derek Campos, enquanto outro veterano, Sam Sicilia enfrenta o português Pedro Carvalho, com os vencedores se pegando na próxima fase. Outra quarta de final será composta entre os vencedores dos duelos entre o húngaro Adam Borics e o outro ex-campeão Pat Curran, além de Emmanuel Sanchez contra Tywan Claxton.

O canal Fox Sports transmite o card principal do Bellator 226 e marca o início da transmissão para as 23h (horário de Brasília).

Cinturão Peso Pesado: C Ryan Bader (EUA) vs. Cheick Kongo (FRA)

Por Diego Tintin

Ryan Bader (27-5 no MMA, 5-0 no Bellator) conviveu por toda a sua carreira com o peso das derrotas para lutadores de elite, após destroçar adversários do segundo escalão com facilidade. Mais que as derrotas, a decepção vinha da pouca resistência oferecida na maioria das vezes em que tentou alcançar o alto da montanha no UFC, mas a atual fase é ótima: nas últimas treze lutas, o constrangedor nocaute sofrido para Anthony Johnson está cercado de vitórias por todos os lados, inclusive sobre Phil Davis duas vezes e os veteranos Rashad Evans, Rogério Minotouro e Fedor Emelianenko. A revanche contra Davis lhe valeu o cinturão do Bellator nos meios-pesados e a final do torneio contra Emelianenko, a coroa dos pesados, premiando a boa carreira e o talento inegável do atleta revelado no TUF 8.

Muito forte fisicamente, Ryan é dono de um respeitável poder de nocaute no punho direito, mas não é muito polido na nobre arte e deixa espaços defensivos flagrantes. Ao sair do UFC com retrospecto recente de 7-1, correspondeu à expectativa de dominar o meio-pesado do Bellator, com o luxo de passear também no torneio dos pesados.

O melhor ajuste que fez no seu jogo foi utilizar melhor o wrestling, modalidade em que conseguiu duas vezes o status de All-American na Divisão I da NCAA. A aproximação rústica precede um arsenal de quedas tão técnicas quanto explosivas, além do forte ground and pound. Importante destacar o seu ótimo condicionamento, alicerce que garante a implantação de um ritmo intenso e uniforme em seus combates.

O primeiro desafiante ao cinturão de Bader é um velho conhecido dos fãs de MMA, mesmo os mais casuais. Cheick Kongo (30-10-2 no MMA, 12-2 no Bellator) não saiu em alta do UFC como seu oponente, mas faz no Bellator um papel melhor que o esperado. De carreira irregular e criticado por fazer lutas com pouca ação, o francês encontrou na nova organização uma forma de prolongar de forma digna sua longa carreira. Ganhou de um monte de gente ruim e um torneio do mais alto baixo nível. Todavia, Kongo até conseguiu vitórias significativas contra Alexander Volkov e Vitaly Minakov, que havia lhe derrotado em sua primeira chance pelo cinturão. O que não melhorou foi o estilo monótono e a falta de senso de urgência, estes ainda motivo de reclamações por crítica e público.

Cheick sempre chama atenção por seu porte físico assustador, um certo refinamento técnico na trocação e até sabe se virar para aplicar e defender quedas. Aos 44 anos, não é um expoente da resistência física, mas está melhor que a maioria dos pesos pesados neste aspecto. Seu grande problema sempre foi a falta de agressividade, que o prejudica tecnicamente e comercialmente. Quando derrubado, é uma presa fácil para gente mais capacitada na luta agarrada, o que pode ser um grande problema nesta luta. Os punhos são pesados, mas poucas vezes se coloca em situação de conseguir o nocaute, pela atitude sempre cautelosa acima do necessário

Cheick Kongo vs Ryan Bader odds - BestFightOdds
 

Bader é um grande atleta, não há nenhum motivo para se acreditar que apresentará um relevante declínio em um futuro breve. Com muito mais intensidade, talento e versatilidade, é o favorito destacado nesta peleja. Pode acontecer do velho Bader entregador de paçoca dar as caras, contra um peso pesado forte como vodka barata? Pode, mas o costume aqui é apostar no mais provável e não no cabaré em chamas.

GP Peso Pena: Daniel Straus (EUA) vs. Derek Campos (EUA)

Por Tiago Paiva

Duas vezes campeão da divisão dos pesos-penas do Bellator, Daniel Straus (26-8 no MMA, 12-5 no Bellator) coroou com chave de ouro em sua última luta a recuperação da mais dura batalha de sua vida, um acidente de moto que o impossibilitou de andar por oito meses e o afastou das competições por dois anos. O atleta da American Top Team finalizou Shane Kruchten no primeiro assalto, se colocando novamente na busca de uma disputa de cinturão.

Dono de um boxe bem alinhado e uma movimentação fluída, Straus usa e abusa de golpes retos em velocidade para minar o oponente, especialmente em combinação com potentes chutes baixos. O dirty boxing e as quedas também têm bastante força no jogo do ex-campeão assim como o uso da boa estatura e envergadura do lutador de 35 anos. Embora tenha vencido seu último combate via mata-leão, o ponto fraco de Straus é a defesa de tentativas de submissão, visto que suas quatro últimas derrotas foram por esta via.

Estreando na divisão dos pesos pena diretamente no torneio desta categoria, Derek Campos (19-9 no MMA, 8-7 no Bellator) não vive uma boa fase. O “Garanhão” foi derrotado em seus últimos combates, incluindo um acachapante nocaute no primeiro round para o português Pedro Carvalho, em maio deste ano. Campos tem seu jogo baseado na clássica combinação americana de boxe com wrestling, demonstrando versatilidade para atuar bem em qualquer área do jogo e ditar onde a luta se desenrolará. O atleta da Mohler MMA tem facilidade de criar ângulos para lançar potentes golpes, porém peca ao se expor mais do que deveria, dando brechas defensivas que podem ser exploradas por seus oponentes.

Daniel Straus vs Derek Campos odds - BestFightOdds
 

Ambos atletas são experientes, já passaram quase por tudo possível dentro uma jaula e tem bastante qualidade em praticamente todas as áreas do jogo, porém o ex-campeão Daniel Straus é franco-favorito, tanto por mostrar-se mais dinâmico e cadenciado na transição entre as áreas quanto pelo momento atual na organização. Apostando que Straus irá lutar com tranquilidade e não cairá na tentação de ir para matar ou morrer como provavelmente Derek Campos tentará fazer, vamos com ex-campeão avançando no torneio por decisão unanime.

GP Peso Pena: Pat Curran (EUA) vs. Adam Borics (HUN)

Por Idonaldo Filho

É tranquilo falar que Pat Curran (23-8 no MMA, 13-5 no Bellator) foi um dos grandes nomes do Bellator no início da década. O ex-campeão conta com vitórias sobre os grandes nomes da divisão daquela época, como Joe Warren, Daniel Straus e Patricio Pitbull. Tendo sido responsável por lutas de alto nível ajudando a organização a se consolidar no posto de segunda melhor do mundo. O problema é que a fase não é boa, aos 32 anos e sem manter uma regularidade devido as lesões, pode-se falar que Curran está já numa descendência na carreira não sendo mais o mesmo lutador de outrora. Em sua última luta teve um desempenho vergonhoso contra AJ McKee, saindo derrotado na decisão dos juízes, com direito a um placar de 30-26 marcado por um deles.

Curran era conhecido pelo ótimo jogo de contragolpes e boas mãos para a categoria. Versátil, o seu wrestling sempre foi de alto nível e era exemplo de como mesclar as duas áreas – a trocação e o grappling – executando um jogo completo e muito eficiente. Porém as lesões sofridas nos últimos anos diminuíram a tenacidade física, fundamental para seu jogo, além disso, após onze anos como profissional, a confiança não parece mais a mesma. Contra McKee parecia estar lutando de calça jeans molhada, com uma movimentação que pouco lembrava seu auge. O que vimos foi um peso pena muito lento, extremamente cauteloso e que parecia um saco de pancada – só apanhava e pouco reagia. Ainda assim chegou a derrubar seu adversário, o que pode ser um indicativo de que ainda exista um caminho para uma sobrevida na sua carreira: apostar no wrestling.

Na terra de Ferenc Puskas, foram buscar Adam Borics (13-0 no MMA, 4-0 no Bellator). O prospecto húngaro chamou a atenção no circuito regional europeu e foi contratado para fazer número nos eventos que foram realizados em Budapeste. Com desempenhos impressionantes, incluindo uma joelhada voadora contra Teodor Nikolov, Borics foi subindo de nível e suas em suas duas últimas lutas finalizou o ex-desafiante do WSOF, Josenaldo Silva e conseguiu um surpreendente nocaute – também por joelhada voadora – contra o fenômeno Aaron Pico.

Com background no kickboxing e treinando com Henri Hooft na Hard Knock 365, Borics tem um interessante jogo em pé com bom controle de distância e chutes altos, sua principal característica é a ótima explosão seguida de joelhadas voadoras, que acabam entrando ainda que sejam bastante telegrafadas. Seu jiu-jítsu é oportunista, com bons momentos em transições para as costas e um mata-leão afiado, também tem capacidade de ameaçar da guarda, com triângulos. Do lado defensivo, guarda alguns buracos, que podem ser explorado pelo veterano adversário.

Adam Borics vs Pat Curran odds - BestFightOdds
 

Borics é mais jovem e também mais alto que Curran, podendo complicar em pé um adversário muito acuado e passivo, caso o americano se mostre da mesma forma que em seu ultimo combate. As joelhadas voadoras ameaçam, mas nesse momento é esperado que qualquer um que enfrentar o húngaro já saiba tomar os devidos cuidados. Não coloco dinheiro nessa luta, mas para não ficar em cima do muro acho que Pat Curran vai acordar e consegue uma decisão.

GP Peso Pena: Tywan Claxton (EUA) vs. Emmanuel Sanchez (EUA)

Por Idonaldo Filho

É de conhecimento geral que o Bellator adora assinar com prospectos que ainda não começaram no MMA ou tem pouca experiência e ir pouco a pouco desenvolvendo o lutador. Tywan Claxton (5-0 no MMA, 5-0 no Bellator) é um desses. O americano é All American da Divisão II da NCAA e tem experiência no MMA amador, se saíndo invicto com um cartel 8-0 antes de se profissionalizar. Vendo potencial, a organização americana deu uma chance para Claxton e ele não decepcionou. Em sua primeira luta uma joelhada voadora absurda acabou com a luta e em todos os lugares se via o nocaute, colocando um grande hype e que até o momento continua alto.

Um lutador muito atlético e explosivo, Claxton é otimo wrestler e até agora passou por cima de todos os adversários que foram dados a ele. A oposição que enfrentou não é boa, mas Claxton sempre derrubou e aplicou uma surra no ground and pound conseguindo três nocautes técnicos assim. Não mostrou nada de impressionante na trocação e isso preocupa, se resumindo em alguns chutes altos e a famosa joelhada. Como nunca enfrentou um lutador decente também não se sabe como ele se defende de possíveis investidas no solo. O que temos conhecimento até o momento sobre ele é que Claxton é um ótimo wrestler com um ground and pound muito perigoso mas relativamente unidimensional.

No plantel dos penas do Bellator se você procura por um lutador que garanta entretenimento a sua escolha tem que ser Emmanuel Sanchez (18-4 no MMA, 10-3 no Bellator). O americano com descendência mexicana é um dos maiores showman que a organização tem, e impressiona cada vez mais pela sua constante evolução no esporte. Sanchez chegou a ser desafiante no ano passado após uma sequência de quatro vitórias seguidas, mas ficou claro que Patricio Pitbull está em um nível bem diferente que ele poderia chegar. O membro da Roufusport tem suas maiores vitórias em Daniel Straus, Marcos Loro, Henry Corrales e Georgi Karakhanyan (duas vezes).

Emmanuel nunca negou uma briga e ele tem preferência pela curta distância quanto ao seu boxe, mas o principal foco de seu jogo no striking são os chutes. Não é que Sanchez tem muita potência nos golpes, mas ele é incansável e possui bom volume sempre atacando com chutes o corpo e a cabeça. Faixa preta de jiu-jítsu, Sanchez é muito perigoso no solo e é extremamente ativo. Ele já foi derrubado em algumas luta mas com uma guarda sempre enjoada ele consegue incomodar bastante e até mesmo raspar. Dono de boas transições, os estrangulamentos são a arma principal e já mandou triângulo, katagatame e mata-leão no Bellator. Muitas vezes acaba indo para a decisão mas nunca fazendo luta chata.

Emmanuel Sanchez vs Tywan Claxton odds - BestFightOdds
 

O casamento é muito estranho. Sanchez é ex-desafiante e top 3 da categoria, um dos melhores do mundo. Claxton ainda é inexperiente e busca se afirmar como lutador de MMA, subindo o nível de oposição de forma muito abrupta. Não acho que Sanchez irá derrubar Claxton, mas se Tywan for derrubar Sanchez ele provavelmente terá feito uma escolha muito errada, e eu acho que vai. Claxton leva Sanchez ao solo, acaba se complicando nos scrambles e é finalizado por Emmanuel.