Bellator 179: Rory MacDonald finaliza Paul Daley em estreia dominante

Sem sustos, Rory MacDonald comprovou seu status de um dos melhores do mundo entre os meios-médios, passou o carro em Paul Daley, já se credenciando para tomar o cinturão "e a saúde" do vencedor de Douglas Lima e Lorenz Larkin.

Depois de uma longa pausa que se seguiu à conquista do cinturão do peso pena por Patricio Pitbull, quase um mês atrás, a organização comandada por Scott Coker finalmente voltou a dar as graças com o Bellator 179, evento que cruzou o Oceano Atlântico para lotar mais uma vez a SSE Arena, logo ao lado do estádio de Wembley, em Londres.

Depois de chocar o mundo do MMA no ano passado, ao abandonar o UFC e assinar com o Bellator, Rory MacDonald finalmente fez sua estreia na segunda principal organização do esporte. Apesar da expectativa de entrar diretamente disputando um cinturão, o canadense não conseguiu recusar o desafio proposto por Paul Daley após sua vitória espetacular, nocaute por joelhada voadora no Bellator 170, aceitando duelar com o inglês em território britânico para realmente mostrar a que veio.

MacDonald começou o primeiro round encaixando dois bons jabs e entrando rapidamente em queda, levando a luta para o chão no single leg. Com a grande deficiência de Daley no chão, MacDonald teve muita facilidade de controlar o duelo, conseguindo diversas transições, inclusive chegando à montada, punindo bastante o inglês no processo até o final da parcial.

O canadense voltou a derrubar nos primeiros segundos no segundo round, já caindo com a guarda passada e fazendo chover cotoveladas na fuça do inglês. Sem aparentar muito esforço, MacDonald conseguiu novamente transicionar para a montada e, na tentativa desesperada de Daley de dar as costas, acabou encaixando um mata-leão que forçou o batuque do inglês aos 1:45 do segundo round.

Pouco mais de um ano e meio sem vencer, Rory MacDonald voltou a mostrar porque é inquestionavelmente um dos melhores do mundo na divisão ao vencer Paul Daley sem tomar praticamente nenhum dano, mostrando que será uma ameaça gigante na organização. Agora, nenhum casamento faz sentido para o canadense sem ser uma disputa de cinturão contra o vencedor do confronto entre Douglas Lima e Lorenz Larkin. E foi para eles que MacDonald mandou a seguinte declaração: “Eu garanto que vou tomar o cinturão de você e vou tirar sua saúde”. Sempre simpático, o menino Rory.

Já Paul Daley teve o momento mágico da carreira pelo qual passou após o nocaute sobre Brennan Ward totalmente destruído por MacDonald. Ainda assim, ele é um top 5 da divisão e deve continuar disputando contra a elite em suas próximas lutas. Como próximo passo, continuo com minha sugestão por um confronto de ingleses entre Daley e Michael Page, que estava inclusive planejado para este evento até Rory MacDonald entrar na jogada. Após o combate, Daley provocou e causou confusão com Page na saída do cage, praticamente selando o casamento de uma luta futura entre os dois.

Linton Vassell finaliza Liam McGeary com excelente desempenho

Como evento coprincipal, foi entregue um duelo de tops britânicos da divisão dos meios-pesados entre o ex-campeão Liam McGeary e o ex-desafiante ao título Linton Vassell, provavelmente valendo o posto de próximo contender ao cinturão da categoria.

Os dois começaram a luta muito equilibrados na trocação, buscando soltar muitos chutes, mas com McGeary levando certa vantagem na troca de golpes. Em um desses chutes, o ex-campeão se desequilibrou e acabou caindo por baixo de Vassell, que dominou o restante do round controlando na meia guarda, sem dar espaço para a guarda ativa de McGeary.

O controle continuou no round seguinte, com Vassell conseguindo rapidamente uma queda no double leg e dominando completamente no chão, chegando a montar três vezes em McGeary e castigando bastante o ex-campeão no ground and pound. Linton não demorou a derrubar também no terceiro round, já indo direto para a montada e trabalhando com calma até encaixar um katagatame que fez Liam dar os três tapinhas aos 2:28 do terceiro assalto.

Impressionando com um desempenho dominante sobre um ex-campeão da categoria, talvez na melhor atuação de sua carreira, Linton Vassell agora emenda três vitórias sobre alguns dos melhores nomes da divisão, como Emmanuel Newton e Francis Carmont. Na entrevista pós-luta, ele já aproveitou para desafiar o vencedor da disputa do cinturão entre Phil Davis e Ryan Bader, o que, na minha opinião, também é o caminho mais justo para o futuro.

Enquanto isso, Liam McGeary mostrou que não melhorou em nada as falhas de seu wrestling defensivo, mais do que expostas por Phil Davis e agora por Vassell. Mesmo em sua vitória contra o fraco Brett McDermott, McGeary passou por muito mais perigo do que deveria pra finalizar. Agora com mais uma derrota, sua capacidade vai ser mais do que contestada. Para o próximo passo, vejo com bons olhos um confronto com um adversário como Guilherme Viana ou até a remarcação da luta contra Chris Fields, que deveria ter acontecido no Bellator 173.

Cheick Kongo vence Augusto Sakai em decisão divida após luta chatíssima

Apesar de ter uma sequência de vitórias digna de disputar o cinturão-fantasma do peso pesado da organização, Cheick Kongo continuou ativo pegando a luta contra o brasileiro invicto Augusto Sakai de última hora.

A luta foi incrivelmente frustrante para o público inglês, com os dois passando quase o tempo inteiro trocando força na grade, com Kongo buscando a queda e Sakai se defendendo, mas não conseguindo se desvencilhar do abraço do francês. Na troca de golpes em pé, vimos um concurso de encaradas que só era interrompido eventualmente por um ou outro chute nas pernas, com somente um momento no qual foram conectados golpes contundentes, quando Kongo acertou uma boa combinação só para se aproximar e levar Sakai para a grade.

No final, a torcida inglesa começou a vaiar constantemente e o árbitro “Big” John McCarthy teve que separar os dois na grade por três vezes durante o combate. Terminado o tempo regulamentar, a contagem do MMA Brasil marcou vitória de Cheick Kongo por 29-28 – não que isso importe muito. Já os juízes se dividiram no julgamento, com um deles marcando 29-28 para Augusto Sakai, enquanto os outros dois marcaram o mesmo resultado para Cheick Kongo, declarando o francês como vencedor na decisão dividida.

Em uma das piores lutas do ano, Cheick Kongo conseguiu emendar sua quinta vitória. Apesar disso, seus desempenhos nada empolgantes neste ano, quando também enfrentou Oli Thompson, no Bellator 172, parecem estar afastando da organização a ideia de dar a ele uma chance pelo cinturão-fantasma. Ainda assim, uma chance pelo título vago da categoria é o único caminho que faz sentido agora, e deveria ser feita contra o vencedor do embate entre Fedor Emelianenko e Matt Mitrione.

Já Augusto Sakai emenda sua segunda atuação nada animadora sem vitória, perdendo a invencibilidade para Cheick Kongo logo depois de um empate contra Dan Charles. Antes tido como prospecto na categoria – o que nem sempre é sinônimo de qualidade nesta divisão – agora as expectativas com seu nome estão bem baixas. Para seu próximo passo, ele deve voltar a competir com a ralé da categoria e pode ter como próximo oponente um nome como Chase Gormley, que também acabou de dar um passo maior que a perna ao lutar contra Sergei Kharitonov.

Alex Lohore nocauteia Dan Edwards em luta animada

Depois da lesão de Michael Page, que acabou retirado do card, o duelo entre o francês/inglês Alex Lohore e o britânico Dan Edwards foi puxado do card preliminar para as lutas principais do evento.

Entrando na luta, Lohore conseguiu rapidamente uma queda e passou a trabalhar por cima, no chão. Edwards tentava sempre se manter ativo, atacando diversas vezes a perna, mas Lohore se defendia bem e se mantinha por cima batendo no ground and pound. O francês chegou a conseguir pegar as costas de Edwards, mas acabou perdendo a posição e ficou por baixo por pouco tempo até reverter a posição, voltando a dominar as ações até o final do round.

De volta para a segunda parcial, Lohore de novo entrou rapidamente em queda, mas desta vez deixou Edwards levantar e voltar para a trocação. O francês acertou um direto de direita que abalou o inglês e completou com outro direto de direita para mandar Edwards de cara para a lona na marca de 56 segundos do segundo round.

Em sua segunda aparição em cards principais do Bellator em três meses, o francês Alex Lohore conseguiu sua segunda finalização na organização, com ótimas apresentações até agora. A aposta é que o Bellator ainda não corra muito rápido com Lohore, provavelmente casando o lutador com um adversário de mesmo nível de dificuldade em um evento europeu no segundo semestre.

Outros destaques do Bellator 179

Abrindo o card principal vimos a primeira vitória profissional de Kevin Ferguson Jr., mais conhecido como “Baby Slice”. Ele pressionou DJ Griffin desde o começo, acertando um cruzadão forte de esquerda, completando com marteladas no ground and pound pra vencer a peleja aos 3:40 do primeiro round. Após a luta, Ferguson dedicou a vitória a seu falecido pai, Kimbo Slice, para aplausos generalizados na arena.

No card preliminar do evento, vimos uma série de finalizações no primeiro round, somando cinco no total. A última delas foi de um dos pesos pesados mais freaks da Europa, Stav Economou. O cipriota finalizou o alemão Dan Konecke com uma guihotina em pé, que lembrou um pouco o movimento de Jon Jones contra Lyoto Machida, só que com muito menos técnica e muito mais peso.

Contudo, a finalização que realmente marcou as preliminares aconteceu na luta entre o inglês Fabian Edwards e o polonês Rafał Cejrowski. Em sua estreia profissional, Edwards conseguiu nocautear Cejrowski depois de uma sequência sensacional que terminou com uma joelhada voadora, levando o público londrino ao delírio.

Em uma das poucas lutas da porção preliminar que foram para a decisão, o prospecto sueco Amir Albazi dominou completamente Jamie Powell no chão, levando a luta na decisão unânime com placares de 30-25, 30-26 e 30-26.

Essas foram as principais atrações do Bellator 179, pessoal! Voltaremos só daqui a um mês, no dia 24 de junho, para um evento duplo especial: o Bellator NYC junto com o Bellator 180, que acontecerão no Madison Square Garden. No duelo principal, finalmente veremos o embate entre os já senhores Chael Sonnen e Wanderlei Silva. Na luta coprincipal, o duelo remarcado entre Fedor Emelianenko e Matt Mitrione. Descendo o card para o que mais interessa, teremos disputas de títulos nos pesos meio-médio, leve e meio-pesado, respectivamente entre Douglas Lima e Lorenz Larkin, Michael Chandler e Brent Primus, e Phil Davis e Ryan Bader. Além disso, ainda no card principal, teremos a estreia do superprospecto Aaron Pico, e as presenças de James Gallagher, Chinzo Machida e Neiman Gracie no evento inicial. Até lá!

apoia-se-logo-180-100

Quer se tornar um COLABORADOR do MMA Brasil e concorrer a prêmios, participar do podcast e ajudar a fazer um site cada vez melhor? Conheça todos os BENEFÍCIOS do nosso projeto no APOIA.SE!

  • James sousa

    “Eu garanto que vou tomar o cinturão de você e vou tirar sua saúde ” esse Rory e um psicopata não imagino o vencedor de Lima x Larkin ganhando do Rory não ainda mais agora onde ele parece recuperado da guerra com o Lawler e do nariz fraturado

    • Rafael Oreiro

      MacDonald tem tudo pra ser muito dominante no Bellator.

    • Eu não imagino nem o Rafael Carvalho ganhando do Rory MacDonald.

      • Lero

        Agora com o Phil Davis e Ryan Bader não da mais… mas antes deles dois chegar no Bellator… Acho que podia subir mais ainda.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Kongozzz…. mesmo sendo tão chato, nem duvido que com 42 anos seria top 15 do UFC, mas porra vai ser uma desgraça esse cara como campeão.

    • Malk Suruhito

      Tá fazendo tudo apagar o lutador empolgante que um dia foi e o único a apanhar 3 rounds (igual camelô levando da Guarda Municipal) do Velasquez e estar sem nenhum arranhão no desta.

      • Sexto Empírico

        Kkkk…

      • Faz tempo que o Kongo não empolga.

    • Rafael Oreiro

      Olha que era capaz de ser top 10 no UFC, que categoria deplorável.

  • Sexto Empírico

    Esse Paul Daley é um barraqueiro. Ele não foi lá dar uma no Page pra promover luta. Ele foi pra arranjar mesmo. Foi mandado embora do UFC por causa disso, apesar de eu achar injusto.

    Rory vai passear no Bellator, ganhar uma puta moral e voltar pro UFC com um cheque mais gordo. Nem teria saído se não fosse a Reebok.

  • Weslei Alvarenga

    Baita atuação sólida do canadense, o bicho papão do Bellator deu as caras. Certamente vai catar 2 cinturões da organização ( e se for maluco busca os do LHW também ).
    O foda é que ele é novo, pode ficar 3 ou 4 anos ou no Bellator ou pulando cada evento pra catar títulos, que quando voltar pro UFC, terá um status maior do que agora ( se tudo der certo
    e se ele quiser voltar).

    • Rafael Oreiro

      Pra ele descer pros leves vai ser foda hein hahaha

      • Weslei Alvarenga

        Porra, esqueci um “H” ali, é meio-pesado kkkkkk..

  • Hudson Paulo Dias

    Uma pergunta: O site do canal combate é proibido de noticiar sobre o Bellator?

    • Rafael Oreiro

      Deve ter alguma cláusula no contrato deles com o UFC que não permite eles comentarem de concorrentes diretos, como o Bellator. O pessoal da equipe do Combate costuma nunca falar no nome do Bellator ou de lutadores da organização.

      Enquanto isso, os direitos de transmissão ficam inteiramente com a Fox Sports, que é a única emissora brasileira que pode passar imagens dos eventos da organização.