Bellator 176: Rafael Carvalho mantém cinturão com chute brutal em Melvin Manhoef

Bellator 176: Rafael Carvalho mantém cinturão com chute brutal em Melvin Manhoef
MMA

O campeão Rafael Carvalho finalmente teve uma atuação mais empolgante e nocauteou Melvin Manhoef na revanche que serviu como a segunda defesa do cinturão do peso médio em Turim, na Itália.

Depois de um dos combates mais lastimáveis dos últimos tempos, Rafael Carvalho e Melvin Manhoef se redimiram e fizeram uma luta que vai ser lembrada por um ponto positivo. A revanche serviu como evento principal do Bellator 176, que aconteceu no Pala Alpitour, em Turim, na Itália. Com um nocaute avassalador no quarto round, Rafael defendeu o cinturão dos médios pela segunda vez e agora recuperou a confiança dos fãs.

O primeiro minuto deste sábado foi bem mais movimentado que a última luta inteira – o que não é muito difícil, né? -, com Rafael soltando diversos chutes na linha de cintura e Melvin tentando responder com chutes na perna. O campeão pressionava o desafiante, sempre buscando colocá-lo contra a grade. Com uma joelhada e uma entrada de queda, Carvalho levou o combate ao solo, mas Manhoef se recuperou e ficou de pé com as costas na grade. Após soltar diversas joelhadas, Rafael acabou sendo interceptado por Melvin e derrubado, mas ainda garantiu o round. 10-9.

No segundo assalto, Carvalho voltou com a estratégia dos chutes na linha de cintura e buscando pressionar o desafiante contra a grade, mas trouxe o jogo de clinch para o combate. Em diversos momentos, o brasileiro conseguiu colocar o holandês de costas para a grade, mas sem tanta efetividade e rendendo algumas interrupções do árbitro para colocá-los no centro da arena circular. Os momentos na troca de golpes não foram dos mais emocionantes, mas foram suficientes para garantir mais um 10-9 para o campeão, totalizando 20-18 na contagem do MMA Brasil.

No terceiro round, Rafael conseguiu uma vantagem no placar. Ele não demorou muito para aplicar uma joelhada e levar o combate para o clinch, de onde tentou quedar o já desgastado Manhoef, que cometeu a atitude cachorra de segurar na grade. O árbitro Kevin MacDonald tomou a decisão certa e retirou um ponto de Melvin. Após a interrupção, Rafael conseguiu levar Manhoef ao solo, sem grade atrapalhando desta vez. O brasileiro mostrou um interessante controle posicional, tentando buscar as costas de “No Mercy”. Apesar de não conseguir sucesso e o assalto ter terminado em pé, Carvalho abriu dois pontos de vantagem por conta da dedução, totalizando 30-26.

Já no quarto assalto, o campeão decidiu deixar o clinch de lado e apostar mais na troca de golpes. O brasileiro soltava bons chutes na linha de cintura, com Manhoef tentando responder com chutes baixos, mas bem atrapalhado pelo desgaste. Dono do combate e gozando da sua vantagem física, Rafael aproveitou um descuido de Manhoef para acertar uma sonora bica de esquerda no maxilar, fazendo o holandês cair instantaneamente na marca de 3:15 do quarto round.

Com a segunda defesa de cinturão concluída, o próximo adversário de Rafael Carvalho ainda é incógnita. A principal opção seria o russo ex-campeão Alexander Shlemenko, que tem luta marcada no M-1 Challenge para junho. John Salter também aparece na disputa por ter vencido o ex-campeão Brandon Halsey, mas vem de um triunfo sobre um desconhecido lutador italiano. Com menos chances na corrida, quem aparece é o canadense Rory MacDonald, que já admitiu a possibilidade de disputar o cinturão dos médios, e, com menos chances ainda aparece Gegard Mousasi, que vai fazer a última luta do contrato com o UFC, mas ainda não citou se pretende renovar com a organização.

Anastasia Yankova mantém invencibilidade e cura insônias

Um dos xodós da expansão do Bellator na Europa, Anastasia Yankova manteve a sua invencibilidade no MMA profissional, só não foi uma das melhores apresentações já vistas dentro da arena circular. Ela derrotou a grega Elina Kallionodou por decisão unânime dos juízes, chegando à terceira vitória dentro do Bellator e a quinta na carreira.

Anastasia começou com uma estratégia bizarra, soltando diversos socos aleatórios, sem um pingo de técnica, apenas com o objetivo de levar a luta para o clinch, onde raramente conseguia segurar Elina por um longo espaço de tempo. A grega era mais leve e não conseguia tomar o controle do combate, raramente soltando um golpe contundente quando a luta permanecia no centro. Com uma queda no final do round, Anastasia garantiu o seu primeiro 10-9.

O segundo round foi um replay do primeiro – e tão lamentável quanto. Anastasia seguiu com a mesma estratégia de aplicar bltiz em Elina com socos aleatórios e levando a luta constantemente para o clinch, que era quebrado com menos de 30 segundos. Elina chegou a controlar a russa no clinch, mas não conseguiu muito sucesso e foi obrigada a retornar ao centro, sofrendo com a pressão de Yankova, que garantiu o 20-18.

A conta bem básica 1 + 2 = 3 mostra um pouco do que foi o terceiro round. Yankova chegou a ter um pouco de avanço quando levou a luta para o clinch na grade, tentando agarrar as costas de Kallionodou, que, após escapar, teve boas posições sobre a russa na grade. O problema é que Elina não conseguia aproveitar as oportunidades dadas e deu margem para o retorno de Anastasia ao centro. Soltando alguns socos giratórios, Elina conseguiu convencer alguns de que o terceiro round foi seu, mas eu ainda marquei vitória de Yankova.

Na decisão oficial dos juízes, o primeiro anotou um 29-28 e os outros dois completaram com 30-27 a vitória unânime de Yankova. Elina ficou surpresa com o resultado (que autoestima da porra!), que marcou a sua segunda derrota dentro da arena circular.

Avassalador, Mihail Nica finaliza Samba Coulibaly em 36 segundos

Em uma das suas cavadas nos eventos europeus, o Bellator conseguiu achar um nome que tem certo potencial. O peso leve romeno Mihail Nica abriu o card principal com uma rápida vitória sobre o francês Samba Coulibaly.

A luta começou com Mihail soltando alguns chutes baixos, claramente incomodando o francês, que decidiu derrubar o romeno, mas não sabia que seria vítima de um belo triângulo de mão invertido, que forçou Samba a batucar com apenas 36 segundos de luta.

A vitória foi a sexta seguida do invicto Mihail Nica, que também venceu a sexta por interrupção e pela quinta vez no primeiro round.

O Bellator voltará na próxima semana com a edição 177, que será realizada em Budapeste, na Hungria (não me perguntem o porquê), com a disputa do cinturão dos galos entre o campeão Eduardo Dantas e o desafiante recém-contratado Leandro Higo. Além disso, contará também com o confronto entre John Macapá e Daniel Weichel, que provavelmente definirá o próximo desafiante peso pena.

  • Rafael Oreiro

    “que forçou Samba a batucar” —-> Biel invocou Carlos Alberto de Nóbrega em modo de ataque

  • James sousa

    poucos nomes pra desafiar o cinturão no Bellator essa categoria fora do UFC é bem fraca