Batismo de fogo: Deontay Wilder nocauteia Luis Ortiz e mantém cinturão em luta dramática

Por Alexandre Matos | 04/03/2018 05:24

Muitos criticam Deontay Wilder. Acham estranho alguém que, teoricamente, não possui talento tão refinado para ostentar um cinturão mundial há três anos. Porém, são raros os que possuem dinamite nos punhos. Neste sábado, o americano demoliu o cubano Luis Ortiz na luta mais difícil de sua carreira.

Wilder teve seu batismo de fogo no Barclays Center, no Brooklyn, Nova York. O combate seguiu praticamente todo o script previsto, mas apresentou um desvio de roteiro que transformou a noite em drama. Com excelente postura defensiva, Ortiz dominou os quatro primeiros assaltos, fazendo com que o campeão apresentasse uma postura muito comedida. Lançando poucos golpes e usando mal o jab, Deontay viu Luis abrir 40-36 na contagem do MMA Brasil.

A expectativa era que o combate ficaria mais aberto a partir do quinto assalto. Foi exatamente o que aconteceu. Wilder seguiu com problemas para lidar com o desafiante, mas quem tem um poder de punch tão intenso consegue mudar o panorama de um confronto rapidamente. Nos segundos finais da etapa, o “Bronze Bomber” jogou um direto de direita que fez Ortiz balançar. Um cruzado de direita mandou o desafiante à lona pela primeira vez e o gongo salvou a pele do cubano.

O campeão não acelerou no sexto round, mas fez o suficiente para manter o domínio. Parecia que o nocaute viria em questão de tempo. E ele quase aconteceu no sétimo, mas a favor de Ortiz. Wilder foi salvo pelo coração gigante e um queixo que ainda não havia sido testado daquele jeito. Faltou pouco para o árbitro David Fields dar contornos finais ao combate, no maior aperto da vida de Wilder. Naquele momento, todas as antigas reclamações sobre ele pareciam aquecer nas cordas vocais dos críticos.

No oitavo assalto, o campeão simplesmente entregou o 10-9 para o rival a fim de sobreviver e se recuperar da parcial anterior. O plano deu certo e o americano conseguiu voltar melhor para o nono. Recuperado, Wilder mandou Ortiz novamente a knockdown no décimo. O desafiante tentou se levantar, mas logo recebeu um uppercut que teria nocauteado um búfalo. Fields intercedeu aos 2:05, fazendo os 14.069 presentes ao ginásio explodirem.

Com o resultado, Wilder se tornou o único campeão da história do peso pesado a conquistar 39 nocautes nas primeiras 40 lutas. Ele nocauteou todos os seres humanos que dividiram um ringue consigo – Bermane Stiverne, único que aguentou todos os rounds, foi brutalmente nocauteado na revanche. Agora é só esperar Anthony Joshua fazer o seu papel na luta de unificação contra Joseph Parker, no próximo dia 31, para que possamos testemunhar mais uma luta de proporções épicas ainda em 2018.

Fundador e editor-chefe do MMA Brasil. Colunista do site oficial do UFC. Prestes a se aposentar e virar colunista especial do próprio site.