Por Alexandre Matos | 18/11/2014 19:12

No fim das contas surgiu uma máxima: “Nunca aposte contra Frankie Edgar“. Mas de onde saiu isso?

Ninguém dava nada pelo baixinho que havia sido rejeitado nas seletivas do TUF 5. Continuaram não dando nada quando, depois de ser contratado pelo UFC, Edgar foi dominado por Gray Maynard – por acaso, ele próprio semifinalista do mesmo TUF 5. Um trio de vitórias e bônus de lutas da noite, complementando um retrospecto de 6-1 no UFC rendeu a Frankie uma chance de desafiar o cinturão do ícone BJ Penn.

Luta marcada para o UFC 112. Alguém passou a dar bola para o baixinho? Não. Porém, ele venceu em Abu Dhabi, numa das grandes zebras da história do UFC. Como a luta foi controversa, poucos deram valor até Frankie justificar o apelido de “A Resposta” e dominar o “Prodígio” inteiramente na revanche imediata, disputada no UFC 118.

Então Maynard cruzou novamente o caminho de Edgar como o invicto desafiante número um e único homem a tê-lo vencido até então. No primeiro round da lendária batalha do UFC 125, Maynard deu razão ao apelido “Bully” e justificou um 10-7, numa das maiores surras que um campeão havia levado na história do UFC (Maurício Shogun enfrentaria Jon Jones dali a dois meses e meio). Como que por milagre, Edgar voltou ao segundo assalto como se nada tivesse acontecido, equilibrou a luta e manteve o cinturão com um empate numa das melhores lutas que o MMA já viu.

Obviamente o UFC escalou uma revanche. Edgar era o campeão, mas não havia vencido Maynard nas duas lutas que disputaram. A trilogia, finalizada nove meses depois, no UFC 136, novamente teve contornos dramáticos. Edgar voltou a apanhar como boi ladrão no primeiro round e novamente ressurgiu sabe-se lá de onde. Mas, desta vez, o final foi outro. E épico.

Confira no vídeo abaixo a íntegra da terceira luta entre Frankie Edgar e Gray Maynard, no UFC 136.