Aquecimento para o UFC 198: quando as luvas eram quimonos

Pela primeira vez em sua história, o UFC escala quatro campeões mundiais de jiu-jítsu num mesmo card. Vamos relembrar alguns dos melhores momentos desses monstros.

Fala, galera do MMA Brasil!

Assim como eu, imagino que muitos de vocês estão ansiosos para o UFC 198, que, além de ser a primeira edição brasileira em um estádio de futebol, também será a estréia de Curitiba como sede do maior evento de MMA do planeta.

Conhecida por revelar alguns dos melhores lutadores de MMA da história – três dois deles inclusive presentes no card – a cidade é reduto e um dos berços do muay thai no Brasil. Porém, o evento não contará somente com o pessoal oriundo da trocação, já que teremos a presença de quatro campeões mundiais de jiu-jítsu que fizeram historia na modalidade. Falo das feras Serginho Moraes, Demian Maia, Ronaldo Jacaré e Fabricio Werdum. Nunca o UFC reuniu tantos campeões mundiais da arte suave num único evento.

Para instigar ainda mais a galera, escolhi alguns dos melhores momentos de cada um deles da época em que, ao invés de luvas, vestiam quimonos.

Ronaldo Jacaré: cinco vezes campeão mundial na faixa preta

Numa luta que para muitos é a maior final de todos os tempos, Jacaré pegou as costas de Roger Gracie e abriu 4-0. Roger conseguiu repor a guarda e atacou com um armlock tão justo que quebrou o braço de Jacaré. Mesmo com “um braço só”, o atual peso médio do UFC conseguiu resistir e levar o Mundial de 2004 no absoluto por 4-2, botando o ginásio abaixo. Além deste título, Jacaré venceu no peso e absoluto em 2005. Pela CBJJO, conquistou os mundiais no peso e absoluto do ano anterior.

Demian Maia: três vezes campeão mundial na faixa preta

O maior representante, na minha humilde opinião, do jiu-jítsu no MMA atual, Demian foi campeão mundial em 2002 (até 88kg), em 2003 (absoluto) e em 2005 (novamente até 88kg), pela CBJJO. Em 2003, seu título mundial na categoria absoluto foi atingido após vencer na final o gigante Gabriel Napão, por pontos. Um feito e tanto.

Veja abaixo a vitória de Demian Maia sobre Gabriel Napão, na final do Mundial de 2003 no absoluto:

Serginho Moraes: três vezes campeão mundial na faixa preta

Vindo de 55 finalizações seguidas na faixa marrom, Kron Gracie chegou com moral na faixa preta, mas não contava com a pressão do até então “desconhecido” Serginho, que impôs seu jogo e finalizou o filho de Rickson Gracie numa Ezequiel que possibilitou avançar na chave e ser campeão mundial pela primeira vez. Isso aconteceu em 2008, na categoria até 82kg. Serginho ainda ganhou o Mundial de 2009, na mesma categoria, e o de 2011, lutando até 88kg.

Confira abaixo a finalização de Serginho Moraes sobre Kron Gracie, no Mundial de 2008:

Fabricio Werdum: duas vezes campeão mundial na faixa preta

Muito antes de sair por aí finalizando os maiores pesos pesados da história do MMA, Werdum já se destacava nas competições de pano. Com uma boa mobilidade e elasticidade para seu biótipo, o gaúcho gostava de fazer guarda, mas também jogava muito bem por cima. Foi assim que ele finalizou, com um estrangulamento da montada, o duríssimo atleta da BTT Pedro “Matraca” Damasceno, na Copa do Mundo de 2004. Werdum venceu o Campeonato Mundial em 2003 e 2004.

Veja como Fabricio Werdum passou por Pedro Matraca, na Copa do Mundo de 2004:

Menção honrosa

Realmente 2004 foi o ano de Ronaldo Jacaré. Na semifinal da Copa do Mundo daquele ano, ele simplesmente aplicou um 10-0 em Werdum. Posteriormente, ainda botou 7-0 na lenda Fernando Margarida para garantir o título absoluto da competição e o terceiro ouro de nível mundial do ano.

Confira o passeio que Ronaldo Jacaré aplicou em Fabricio Werdum, na Copa do Mundo de 2004:

Espero que tenham gostado de relembrar ou conhecer um pouco da história destes monstros do jiu-jítsu, que hoje já se mostram mais completos em todas as valências do MMA. Não sou do tipo que acha que só o jiu-jítsu salva, muito menos que dominar a arte suave já basta no MMA. Porém, em se tratando desses nomes, com certeza a arte suave é uma ferramenta que desequilibra e pode decidir uma luta.

E que venha o UFC 198.

Oss!

  • Maurício Oliveira

    Belíssima matéria, os vídeos a complementam de forma extraordinária e nos leva a imaginar como seriam esses monstros caso tivessem atingido o nível de mma que possuem hoje, mais cedo em suas carreiras!
    Seja como for, são homens que não devem nada a ninguém!
    Ouço muito nego dizendo que Werdum é o campeão mais fraco que já ouve nos pesados! Não sei nem o que dizer sobre um absurdo desses!
    Ele é um campeão vencível, mas nada mole!
    Velásquez pode até voltar a ser campeão, mas não o será em cima de Werdum! Acredito que este último seja o portador do jogo anti Velásquez!
    Quanto às três maiores ameaças, creio que Werdum enfrentará a mais difícil nesse fim de semana!
    O Renato crê que os piores encaixes de jogo para o Werdum sejam Cigano e Overeen. Mas não esqueçamos que além da absurda evolução técnica, nosso atual campeão evoluiu exponencialmente no quesito estratégico!
    Para finalizar, diz ae, Gustavo, qual a história do dedo, rsrsrsrsrs? Abraços!

  • Gefferson Nesta

    Excelente Texto! Relembrando os grande feitos de grandes atletas do nosso Jiu-jítsu, se fosse um esporte Olímpico seriamos quase que imbatíveis.

    • Gustavo Menor

      Valeu Gefferson! Poisé, realmente se fosse hoje seríamos quase imbatíveis, mas daqui uns anos já não acho tão certo assim. Abraço!

  • Beto Magnun

    Em que ano o Jacaré venceu o Demian? Eles terminaram empatados né (uma vitória pra cada)?!

    • Gustavo Menor

      Foi em 2005, na final do mundial. Segundo o Demian ele entrou sem estratégia por todo mundo contar fosse vitória certa para o Jacaré, pois em 2004 ele fez o que fez. De pano ficou 1×1, mas no ADCC o Jacaré desempatou.

      • Beto Magnun

        Não sabia que se enfretaram no ADCC vou procurar.

  • bruno carrer

    pooooorrraaaaa irada essa materia, faltou falar da luta controversa entre jacare vs demiam

  • Rafael Maia

    Esses dias tentei montar uma lista mental dos atletas que melhor usam o jiu-jitsu do UFC. Fiquei com medo de ser uma lista “caseira”. O que vcs acham:
    1 – Meu primo, Demian Maia
    2 – Werdum;
    3 – Jacaré
    4 – Joe Lauzon
    5 – Toquinho (78% das vitórias por finalização, 55% por chave de perna/calcanhar, não é pra qualquer um)

    • Gustavo Menor

      É sempre uma tarefa muito difícil fazer essa lista. Consigo te falar de bate pronto os TOP 3 do UFC hoje:

      1 – Seu primo
      2 – Werdum
      3 – Jacaré

      o 4 e o 5 fica muita gente no bolo. Vou pensar melhor e te responder.

    • Nem tem como fugir de lista caseira nesse caso, né? Os melhores são os daqui mesmo.

      Toquinho não tá mais no UFC (seria o quarto). Eu manteria seu top 3.

      1. Demian
      2. Werdum
      3. Jacaré
      4. Durinho
      5. Dos Anjos
      6. Formiga
      7. Gunnar Nelson

      • Gustavo Menor

        Puts, bela lista. Mas me dá uma dor no coração não colocar o DoBronx, o próprio Tanquinho, que chegou agora, o Cara de Sapato e etc. Teria que por um parâmetro pra eu poder escolher.

      • Gefferson Nesta

        Listão! Faltou o Serginho ai, mas tá de boa!

  • Gustavo Menor

    Obrigado Maurício! Hoje nos pesados não tem ninguém com aquele ar de invencível, porém eu acho que por ele ter o melhor Jiu-jítsu da divisão e um Wrestling descente faz com que fique muito mais confortável pra trocar “sem se preocupar”em ser posto pra baixo, pois ninguém é maluco de achar que ficar na guarda do Werdum seja mole. O ponto estratégico que você comentou faz muito sentido, tem mostrado cada vez mais maturidade.O que me preocupa para sábado nem é o adversário e sim como o Werdum encarou esse camp.

    Sobre o dedo, a história é a seguinte:
    Eu estava me preparando para lutar alguns campeonatosde Jiu-jítsu no final de 2014 e teve uma festa de aniversário da empresa que eu trabalho, portanto não poderia faltar ao treino de jeito nenhum, nem ao evento da empresa que me dá o sustento, rsrs. Fui à festa antes de ir treinar e saí à francesa para o pessoal não incomodar que estava indo embora cedo. Chegando na portaria do local, não havia ninguém na guarita. Esperei e ninguém veio. Tentei achar algum controle ou botão dentro da guarita e nada. Como estava prestes a perder o ônibus que me faria chegar no horário do treino resolvi pular o muro ao lado do portão. Subi no muro e olhei para o outro lado para pular, fiquei receoso de torcer o pé ou algo do tipo e preferi ir me escorando no muro para não pular tão do alto. Pra me escorar segurei no portão, mas não contava que havia um pequeno ganchinho que prendeu na minha aliança de noivado sem eu perceber e quando pulei ele simplesmente foi arrancado fora. QUE BELA CAGADA, EU SEI. ME JULGUEM! hahahahaha

    Abraço!

    • Bruno Fares

      Culpa do noivado, obviamente!

      • Gustavo Menor

        Hahahahahaha imagine o quanto não me é recorrente esta afirmação.

    • Puta que pariu, nem deve ter doído.

    • Maurício Oliveira

      Santa mãe de Deus, Gustavo! A história é mais trash e (desculpe) hilaria do que jamais pensei!
      Se um dia nos encontrarmos, as cervejas são por minha conta!
      E para os amigos do Gustavo fica a dica: um homem que perde um dedo dessa forma, por esses motivos, e ainda perde a noiva para um muro traiçoeiro (pois o muro ficou sendo oficialmente, por direito de conquista, o noivo), não deveria pagar nunca mais em uma mesa de bar! No máximo, os 10% do garçom, rsrsrsrsrs!

      • Gustavo Menor

        hahahahahahahahahaha

  • Werdum é um dos 5 maiores pesos pesados da história. Se ganhar do Miocic, do Overeem, do Cigano e do Velasquez de novo, pra mim vira o #1.