Anthony Joshua para Wladimir Klitschko no 11º assalto em batalha para as eras

Em duelo dramático, tanto Anthony Joshua quanto Wladimir Klitschko beijaram a lona, mostraram coragem, coração e talento e ganharam os fãs. Na luta, melhor para o jovem campeão, que agora tem os cinturões da IBF e WBA.

A passagem de guarda foi completada. E não poderia ter acontecido em melhor situação. Numa luta dramática, Anthony Joshua venceu Wladimir Klitschko por nocaute técnico no 11º assalto, enloquecendo os 90 mil torcedores que lotaram o estádio de Wembley, em Londres.

No começo do combate, nem parecia que Joshua era o inexperiente. Ele usou o jab com maestria para impedir os ataques de Klitschko, exatamente como o veterano se notabilizou em fazer. Pouco a pouco, a partir de um nada movimentado primeiro round, Joshua foi se estabelecendo até chegar ao quinto assalto, quando mandou Klitschko à lona pela primeira vez na noite. Wlad voltou claramente abalado, mas AJ não conseguiu o nocaute.

O duelo parecia o confronto entre o invicto campeão Mason Dixon, que precisava de um batismo de fogo, e Rocky Balboa, o veterano campeão do povo. E Dixon, ou melhor, Joshua, teve seu batismo de fogo.

A partir do quinto round, como antecipamos na prévia, Joshua seria levado a águas profundas se não conseguisse o nocaute. Pois bem. Klitschko retornou inteiro para a sexta parcial e, bastante agressivo, mandou o jovem campeão a knockdown pela primeira vez na carreira.

Como disse o narrador do filme, “welcome to Klitschkoland”.

Joshua nunca tinha lutado sete rounds completos na vida. Ele ficou tão cansado após beijar a lona que chegou a dar a impressão que não superaria o limite. Mas superou. Do sexto até o décimo assalto, Joshua só venceu uma parcial. Porém, deu mostras que havia se recuperado no décimo para anotar um feito tremendo.

O 11º round foi aberto por um Joshua agressivo num combo jab-direto. Pouco tempo depois, um uppercut batizado pelo demônio em pessoa quase arrancou a cabeça de Klitschko. O veterano, que sempre foi criticado pelo queixo de argila, tentou mostrar que estava bem, mas claramente havia sido abalado duramente. Mais dois socos e Klitschko estava na lona pela segunda vez no combate.

Wladimir se levantou bravamente, mas Joshua sentiu o cheiro de sangue e avançou de modo explosivo, lançando Klitschko ao terceiro knockdown. Sabe-se lá como, Wlad voltou mais uma vez, mas agora claramente sem condição nenhuma. O árbitro David Fields permitiu que a luta prosseguisse, mas o que se viu foi Joshua encurralar Klitschko contra as cordas. O ucraniano manteve-se sobre as pernas até que Fields decretasse o fim na marca de 2:25 do 11º assalto.

Para se ter uma ideia do buraco que Joshua estava metido, os juízes Don Trella e Nelson Vazquez marcavam 96-93 e 95-93 para ele, enquanto Steve Weisfeld tinha 95-93 para Klitschko. Isso tudo numa luta em que Joshua abriu quatro ou cinco rounds de vantagem, com direito a um knockdown, no começo das ações.

Os fãs viram grandes demonstrações de coração, coragem e talento da parte de ambos. Joshua, que chegou a 19-0 e 19 nocautes, não poderia ter tido um melhor batismo de fogo, contra a última estrela da categoria, diante de um estádio lotado. Ao final, AJ mostrou respeito ao ex-campeão e se firmou como um grande caráter e um grande boxeador. Tudo o que a nobre arte precisava em sua categoria mais nobre.

Agora, que façam Anthony Joshua vs. Deontay Wilder. E obrigado por tudo, Wladimir Klitschko.