Antecipar a pesagem criou um cenário melhor para os lutadores?

Por Gabriel Carvalho | 13/10/2017 12:46

Em junho de 2016, a Comissão Atlética do Estado da Califórnia (CSAC) adotou uma medida que mudaria todas as pesagens de eventos do UFC, Bellator e outras organizações: os lutadores se pesariam 30 horas antes da luta, não mais 24, como era de costume, visando melhorar a reidratação dos atletas.

De início, a proposta deu certo e o UFC 199, o primeiro sob as novas regras, foi um dos melhores eventos da história da organização. No entanto, mais de um ano depois, ficou uma dúvida: será que a pesagem 30 horas antes do combate é realmente mais saudável para os lutadores?

O MMA Brasil pegou estatísticas de 53 eventos realizados após a regra da pesagem antecipada e bateu com 53 eventos disputados antes da nova regulamentação. O que se viu foi um grande aumento na incidência de lutadores que não bateram o peso e, por este motivo, de lutas canceladas.

Lutadores que não bateram peso na pesagem normal

Paul Redmond (contra Mirsad Bektic, no UFC On FOX 24)
Kelvin Gastelum (contra Tyron Woodley, no UFC 183)
John Lineker (contra Ian McCall, no UFC 183)
Patrick Walsh (contra Dan Kelly, no UFC Fight Night 60)
James Moontasri (contra Cody Pfister, no UFC Fight Night 60)
Daron Cruickshank (contra Beneil Dariush, no UFC 185)
Yancy Medeiros (contra Dustin Poirier, no UFC Fight Night 68)
Leonardo Morales (contra Teco Quiñones, no UFC Fight Night 68)
Lewis Gonzalez (contra Leandro Buscapé, no UFC Fight Night 70)
Jeremy Stephens (contra Dennis Bermudez, no UFC 189)
Maximo Blanco (contra Mike de la Torre, no TUF 21 Finale)
Ray Borg (contra Geane Herrera, no UFC Fight Night 74)
Frank Trevino (contra Sage Northcutt, no UFC 192)
Charles do Bronx (contra Myles Jury, no UFC On FOX 19)
Augusto Tanquinho (contra Cody Garbrandt, no UFC Fight Night 83)

Lutas canceladas na pesagem normal ou em decorrência da pesagem

Wendell Negão vs. TJ Waldburger (UFC Fight Night 61)
Rose Namajunas vs. Nina Ansaroff (UFC 187)
Johny Hendricks vs. Tyron Woodley (UFC 192)

Lutadores que não bateram peso na pesagem antecipada (nova regra)

Randa Markos (contra Jocelyn Jones-Lybarger, no UFC Fight Night 89)
Johny Hendricks (contra Kelvin Gastelum, no UFC 200)
Chad Laprise (contra Thibault Gouti, no UFC On FOX 21)
Michael McBride (contra Nik Lentz, no UFC 203)
Michel Trator (contra Gilbert Durinho, no UFC Fight Night 95)
Hacran Dias (contra Andre Fili, no UFC Fight Night 96)
Alex Cowboy (contra Will Brooks, no UFC Fight Night 96)
John Lineker (contra John Dodson, no UFC Fight Night 96)
Felipe Sertanejo (contra Erik Perez, no UFC Fight Night 98)
Charles do Bronx (contra Ricardo Lamas, no UFC Fight Night 98)
Thiago Alves (contra Jim Miller, no UFC 205)
Zak Cummings (contra Alexander Yakovlev, no UFC Fight Night 99)
Justine Kish (contra Ashley Yoder, no UFC Fight Night 102)
Anthony Pettis (contra Max Holloway, no UFC 206)
Valerie Létournéau (contra Viviane Sucuri, no UFC 206)
Rustam Khabilov (contra Jason Saggo, no UFC 206)
Johny Hendricks (contra Neil Magny, no UFC 207)
Ray Borg (contra Louis Smolka, no UFC 207)
Marcos Rogério Pezão (contra Jeremy Kimball, no UFC on Fox 23)
Bec Rawlings (contra Tecia Torres, no UFC Fight Night 104)
Gina Mazany (contra Sara McMann, no UFC Fight Night 105)
Marcos Rogério Pezão (contra Ovince St. Preux, no UFC Fight Night 108)
Darren Till (contra Jessin Ayari, no UFC Fight Night 109)
Chan Mi-Jeon (contra JJ Aldrich, no UFC Fight Night 110)
Carls John de Tomas (contra Naoki Inoue, no UFC Fight Night 111)
Johny Hendricks (contra Tim Boetsch, no UFC Fight Night 112)
Jared Gordon (contra Michel Quiñones, no UFC Fight Night 112)
Joanne Calderwood (contra Cynthia Calvillo, no UFC Fight Night 113)
Alexa Grasso (contra Randa Markos, no UFC Fight Night 114)
Michel Trator (contra Mads Burnell, no UFC Fight Night 115)

Lutas canceladas na pesagem antecipada ou em decorrência da pesagem

Donald Cerrone vs. Kelvin Gastelum (UFC 205)
Ian McCall vs. Neil Seery (UFC Fight Night 99)
Ian McCall vs. Jarred Brooks (UFC 208)
Khabib Nurmagomedov vs. Tony Ferguson (UFC 209)
Ian Entwistle vs. Brett Johns (UFC Fight Night 107)
Jared Gordon vs. Michel Quiñones (UFC 211)
Thibault Gouti vs. Dong Hyun Kim (UFC Fight Night 110)
Jessica Eye vs. Aspen Ladd (TUF 25 Finale)
Demetrious Johnson vs. Ray Borg (UFC 215)
Felipe Sertanejo vs. Luke Sanders (UFC Fight Night 116)
Mizuto Hirota vs. Charles Rosa (UFC Fight Night 117)
Will Brooks vs. Nik Lentz (UFC 216)

Conclusão

Percebemos que a incidência de lutadores que não bateram o peso dobrou – o número passou de 15 para 30 e as lutas canceladas foram de 3 para 12. Afinal, os lutadores estão realmente preparados para a antecipação da pesagem, tirando-lhes seis horas para completar o processo de corte?

O corte de peso sempre foi um dos assuntos mais polêmicos do MMA justamente pelo planejamento nem sempre ideais de atletas e equipes para lidar com o peso nas semanas que antecedem a luta. Com o processo diminuído em seis horas, esperava-se que as equipes antecipariam também a fase final, que leva uma porcentagem do peso maior a ser eliminada, mas parece que isso não tem acontecido.

O MMA precisa atentar para os males do corte de peso, mas, mesmo que não seja possível controlá-lo em definitivo neste momento, é fundamental conscientizar lutadores e equipes para um corte mais saudável, antecipado, que evite cenas como a de Mizuto Hirota, no UFC Fight Night 117, quando precisou ser amparado por seus treinadores na hora de descer da balança.

A ideia do maior tempo de reidratação é muito boa, mas a execução não está sendo ideal no momento.

Editor do MMA Brasil. Fã de esportes em geral, apaixonado pela arte de punhos em rostos alheios. Amante de filmes e música.