Amanda Nunes exorciza Ronda Rousey em 48 segundos e se posta na disputa dos melhores de 2016

Com atuações magníficas, Amanda Nunes e Cody Garbrandt detonam Ronda Rousey e Dominick Cruz para saírem gigantes do UFC 207, último evento de 2016 da maior organização do MMA mundial.

O UFC 207 demorou a engrenar, mas acabou de modo antológico. Na luta principal, Ronda Rousey entrou com a fisionomia de alguém que estava possuída. Porém, quando o combate começou, a campeã Amanda Nunes pisou no acelerador e não olhou para trás.

Em toda a sua carreira, Ronda se notabilizou pela agressividade inicial e a facilidade de encurtar a distância para chegar no clinch e dali para a queda e a finalização. Nesta sexta, a agressividade inicial apareceu, mas ela parou no ponto que os tenistas chamam de mata-burro, quando o jogador para no meio do caminho e não fecha a rede e ainda deixa o fundo de quadra desguarnecido. E parar no mata-burro contra uma matadora como Amanda não termina bem.

Logo a primeira direita desferida pela campeã jogou a cabeça de Ronda para trás. Imediatamente a fisionomia da americana mudou. Nunes sentiu a oportunidade e lançou todos os golpes com potência para terminar a luta. Desesperado, o criticado técnico Edmond Tarverdyan gritava “Head moviment! Hands up! Clinch!” (movimento de cabeça, levante as mãos, entre no clinch), mas sua pupila não obedeceu e engoliu todas as pancadas lançadas pela brasileira. O árbitro Herb Dean nem precisou esperar Ronda cair para decretar o fim do espancamento aos 48 segundos de luta.

A vitória garantiu não só a primeira defesa de Amanda Nunes, mas também provavelmente a catapultará para o estrelato no MMA feminino. De quebra, ela se posiciona fortemente na briga pelo prêmio de melhor lutador(a) do mundo em 2016. Ela subiu no octógono três vezes e venceu a campeã Miesha Tate, a maior estrela da história do MMA feminino, Ronda Rousey, e uma das concorrentes ao próximo posto de desafiante, Valentina Shevchenko, que fará a luta principal do UFC On FOX 23, em janeiro. Das três vitórias, as duas pelo título foram verdadeiros espancamentos unilaterais e Shevchenko levou 10 minutos de vareio antes de tentar alguma coisa no terceiro round.

Por outro lado, provavelmente vimos a última aparição de Rousey num cage de MMA. A superestrela não entrou na luta e voltou a mostrar os mesmos problemas defensivos que a arruinaram contra Holly Holm. Caso ela resolva lutar novamente, que mude de equipe urgentemente.

Cody Garbrandt toma o cinturão de Dominick Cruz com atuação gigantesca

Se alguém ainda tinha dúvida que Cody Garbrandt era de verdade, o UFC 207 tratou de responder. Brilhante, ele quebrou nove anos de invencibilidade de Dominick Cruz e devolveu o cinturão do peso galo para o Team Alpha Male.

Um grande campeão, em qualquer esporte, precisa de algumas características: confiança, talento e um sólido sistema defensivo. Garbrandt esbanjou os três aspectos, especialmente o terceiro. A movimentação tinha menos intensidade que a de Cruz, mas era por demais efetiva. O jogo de pernas e o movimento de cabeça tiraram muitos dos golpes de Dominick e os rápidos giros no pivô do boxe permitiam que ele acertasse socos fortes antes de Cruz evadir.

A defesa de quedas também funcionou muito bem, a ponto de quase anular a mais forte característica do então campeão, as transições. Numa dessas tentativas de Cruz, Garbrandt conseguiu contra-atacar e ele próprio derrubar o adversário, algo raro de se ver.

Dominick teve seus momentos. Ele demorou a achar a distância no primeiro assalto, mas conseguiu na reta final da parcial. Com o espaço mapeado, Cruz empatou a luta no segundo round e deu a impressão que poderia tocar os 15 minutos finais a seu estilo. Que nada. Garbrandt voltou ao controle da situação e iniciou um verdadeiro show nos minutos seguintes. Ele aplicou um knockdown no terceiro e mais dois no quarto, fazendo com que Cruz, com um enorme corte no supercílio, saísse de seu plano tradicional.

Em vez de fazer os adversários perderem a cabeça de tanto desperdiçar golpes, foi Cruz que se viu na posição de tentar arrancar a cabeça de Garbrandt. O jovem Alpha Male manteve a compostura e fez Cruz passar batido nos ataques como o próprio Dominick sempre fez com seus oponentes. O quarto round foi caso de 10-8 para o desafiante.

Com a confiança lá no alto, Garbrandt caiu de rendimento no quinto assalto, preocupado mais em humilhar Cruz – até deitar para pagar flexão ele fez, no melhor pior estilo Nick Diaz. Foi uma atitude perigosa, pois Dominick acabou vencendo a parcial e, como os dois primeiros rounds foram parelhos, corria o risco de os juízes não darem 10-8 no quarto e Garbrandt ver escoar pelo ralo uma atuação genial.

Derek Cleary e Jeff Mullen marcaram 10-8 e pontuaram a luta em 48-46 a favor de Garbrandt, mesmo placar visto pelo MMA Brasil. Tony Weeks ficou no convencional 48-47 e, como de costume, pontuou igual a cara dele, dando os dois primeiros assaltos para Cruz e o quinto para Garbrandt. No fim do combate, mostrando a serenidade de quem sabia que poderia vencer, Garbrandt desafiou o antigo parceiro de equipe TJ Dillashaw, numa história que pode tomar contornos de drama nos próximos meses. De quebra, o novo campeão deu o cinturão para o menino Maddox Maple, que ficou famoso por se recuperar de leucemia e entrar em todas as lutas com Garbrandt.

TJ Dillashaw dá aula de MMA a John Lineker e volta a mirar o cinturão

Chega num certo nível de elite que “acertar uma mão” se torna exceção, já dizia o filósofo Matos. Garbrandt levou seu jogo a um patamar de campeão para vencer Cruz sem precisar desse artifício. John Lineker não conseguiu e acabou virando presa fácil para TJ Dillashaw.

A estratégia de Dillashaw foi não só muito bem pensada como também executada. No começo do combate, ele manteve Lineker bem distante, usando chutes baixos e socos em entradas rápidas. Em seguida, TJ permitiu que o paranaense se aproximasse com perigo e punhos voaram perto da grade. Neste momento, o americano entendeu o tempo de avanço de Lineker e computou o que era necessário para mudar de nível.

A mudança veio no segundo assalto. Dillashaw foi genial nas fintas para entrar em quedas. Toda a evolução de Lineker no wrestling não foi suficiente para deter o ex-campeão, que derrubou, passou guarda, montou e baixou um coquetel de socos e cotoveladas. O baixinho defendeu os golpes com o rosto, o que nunca é recomendável. Mostrou o velho queixo de pedra, mas perdeu o assalto por 10-8.

No último período, Dillashaw voltou a derrubar com muita qualidade e atacou o adversário com uma chave de panturrilha. Lineker se defendeu, até conseguiu ficar de pé novamente, mas não achou TJ no octógono para acertar suas pedradas. Mais um round na conta do americano, que levou por 30-26 na contagem do MMA Brasil e dos três juízes laterais.

Dong Hyun Kim vence Tarec Saffiedine na última controvérsia do ano

Num duelo travado, Dong Hyun Kim venceu Tarec Saffiedine com ajuda dos juízes e de uma atuação abaixo do padrão do belga.

Nem sempre cabe reclamar da arbitragem quando não se faz seu papel corretamente. Kim cansou de dar chances para Saffiedine, mas o europeu teve dificuldade de aproveitar. O sul-coreano adotou uma postura agressiva, visando pressionar o oponente, fazendo com que Saffiedine tivesse que atacar recuando. Por causa disso, ao invés de se movimentar lateralmente e contragolpear, o belga optou pelo clinch em várias oportunidades.

Kim conseguiu um bonito harai goshi e esfregou as costas de Saffiedine contra a grade por boa parte do segundo assalto. Quando teve brechas, Tarec até acertou alguns socos, mas chutou pouco (provavelmente temendo ser derrubado) e combinou raras vezes com os punhos, facilitando o trabalho de pressão do coreano. No clinch, Saffiedine se defendeu bem, mas produziu pouco ofensivamente e deu brecha para os juízes se impressionarem com a pressão de pouca eficiência de Kim.

Um dos juízes marcou 30-27 para Saffiedine, um placar um tanto exagerado. Os outros dois deram 29-28 para Kim, igualmente forçado. O MMA Brasil ficou com 29-28 Saffiedine, mas a falta de produção ofensiva do belga acabou lhe custando a luta.

Ray Borg mostra grappling de elite para bater Louis Smolka

Por poucos momentos, a luta entre Ray Borg e Louis Smolka foi equilibrada. Na maioria, foi um passeio.

O equilíbrio se deu quando o duelo ficou na área do striking, entre o kickboxing de Smolka e o boxe de Borg. Porém, isso aconteceu por pouco tempo. Quando o wrestling do último entrou em ação, o combate se tornou unilateral. Borg aplicou queda de grande amplitude, montou, passou guarda, tentou finalizar, bateu no ground and pound. Fez de tudo no grappling. Preocupado, Smolka tentou girar bastante para manter a distância no segundo round, mas como não lançou combinações longas, permitiu que o rival grudasse, derrubasse e montasse.

Conforme o tempo passou, a defesa de Smolka piorou e ele passou a oferecer cada vez menos resistência. No terceiro round, Borg só não decidiu a luta num katagatame porque estava muito perto da grade e não conseguiu abrir espaço com o quadril para apertar o estrangulamento. Nem fez diferença, porque o passeio estava configurado.

  • Marcos E

    A Ronda até tentou encurtar, mas a Leoa não deixou MESMO. Se Holm mostrou o caminho, Amanda Nunes abriu uma avenida no rosto da ex-campeã. E gostei das declarações da Amanda na coletiva de imprensa. Ela parece ser muito verdadeira nas declarações. Falando abertamente de assuntos delicados.

    Cody Garbrandt decifrou o Cruz. Que luta!

    Lineker apanhou muito, mas mostrou um queixo de aço. CODY X TJ! Vai ser irado.

    A bizarra interpretação de joelhadas não intencionais no Cowboy. Não tem como ser não intencional.

    • Tentou não, ela parou no mata-burro.

      Garbrandt decifrou o Cruz. Mérito da equipe que teve tantas chances. Um dia ia acontecer.

      Garbrandt x Dillashaw no mesmo card do Miocic em Cleveland. Seria maneiro.

      • Dow Jones

        Verdade, agora deve estar Cruz 6-2 TAM.

  • Alex Silva

    UFC 207 deve marcar as despedidas de Ronda e Hendricks do octógono.

    • Talvez o Hendricks tente como peso médio.

      • Lero

        No Bellator.

  • James sousa

    Garbrandt teve uma das melhores atuações
    de um lutador em 2016 , confio que o Cruz tem condição de voltar ainda mais forte depois dessa luta ,se não aposentar a Ronda tem que ir pra uma outra equipe pra Jacksonwink ela talvez não vá por causa da Holm mas tem outrass boas equipes até mesmo na califórnia como Kings e a
    Alliance o que ela não pode e continuar com esse treinador

  • Marcos Henrique Lira

    Alexandre. Tava olhando os palpites de vcs no site e praticamente todos apostaram no Ronda. A opção foi técnica? Ou foi só chute?. Na minha modesta opinião, Amanda é uma lutadora de mma completa, cujo a sua maior deficiência é o cardio, e isso pode ser corrigido. Agora a Ronda não é tão versátil quanto a leoa, com um psicológico fraco q não lida bem com frustração e nítida limitação na luta em pé. Vcs acharam mesmo que esse ano sabático que ela tirou, foi pra evoluir?

    • Adivinhar vencedor é SEMPRE chute. Sempre. O que envolve algum estudo, alguma ciência, é tentar imaginar como uma luta pode transcorrer. Isso eu faço na prévia. E mesmo assim é muito difícil num esporte tão complexo como o MMA. O que vai nos palpites é CHUTE. Sempre.

      Quem aparece depois da luta dizendo que tinha certeza que a Amanda ia ganhar está sendo no mínimo leviano. Se a Ronda encurtasse, derrubasse e finalizasse, alguém diria que teria sido inesperado?

      Sobre o ano sabático que ela tirou, absolutamente ninguém sabia o que estava acontecendo. Dizer que sabia que ela não ia evoluir, que não ia melhorar, também é leviano. Ninguém sabia o que ela tava fazendo, como estava se preparando, se estava preparando alguma surpresa ou se estava desmotivada. Simplesmente ninguém tinha a informação, nem a imprensa americana.

      • Marcos Henrique Lira

        Concordo plenamente com vc, numa luta de mma são muitas variáveis e tudo pode acontecer. Só uma coisa que eu penso. No mundo atual é muito difícil vc ter uma anonima quando se e um celebridade. Seria praticamente impossível passar todo ano de 2016 treinando e ninguém saber de nada. Teria que ter feito um esquema de cinema para fugir do cliques dos paparatis. Eu apostei na Amanda pq eu AChAVA ela mais completa com um psicológico melhor e com um poder de nocaute q só ela tem na categoria. A Ronda é top. Mas analizando friamente ficou evidente sua limitação técnica sua desestabilização psicológica na luta anterior e assim foi até hoje com esse choque de realidade que ela teve de q realmente ela é boa, mas não era a melhor.

        • Perceba que mal saiu notícia da Ronda em 2016. Dá uma lida na imprensa americana antes do evento que você vai ver que ninguém sabia o que esperar.

  • Gabriel Fareli

    -Não dá pro cara pensar em ser campeão, torcendo apenas para uma mão entrar. TJ mostrou isso nitidamente pro Lineker, show de MMA do americano pra cima do Brasileiro, Vitória mais tranquila do que se esperava.
    -Cara, que atuação do Garbrandt ! Tirou o Cruz pra nada, fez o então campeão parecer um lutador comum. Incrível o que o Alpha Male fez no octogono.
    -Ronda não tinha condições de voltar. O primeiro soco que entrou e mudou sua fisionomia mostrou isso, parece que ela fez o camp inteiro contra um saco de areia, porque parece que ela não tomou um soco em treino de sparring. Incrível como um golpe acabou com toda a cara de “mulher traída” que ela tava antes da luta.
    – Amanda foi muito inteligente, evitou as quedas e partiu logo pra tentar golpear a ex campeã, pois sabia que no primeiro soco limpo que entrasse, dificilmente a Ronda se manteria equilibrada na luta. O trabalho da ATT com a brasileira está sensacional, cada luta ela está melhor.

  • nelson alves domingos

    Tinha um pessoal ai que dizia que a Ronda tinha o melhor Grappling de todo UFC, que tinha a melhor trocação que a Holly Holm e que devia lutar com homens…

  • Weslei Alvarenga

    Amanda irretocável e sem mais comentários. E para Ronda se aposente e obg por tudo q fez pras mulheres no MMA, arranje um puta psicólogo, que as pessoas próximas estejam bem perto de ti e quando recuperar disso tudo pode ir fazer tranquila os Talk-Shows e filmes/series com papéis irrelevantes ( só olhar pra sua”antecessora”, Gina Carano, ou ela faz filme bosta ou quando ta em filme bom, ela mal fala como em Deadpool ).

    E vou reforçar o que o Renato Rebelo disse, Tarverdyan tem ser PRESO por estelionato desde o UFC 193 !

    E que luta incrível esse co-main, o mais impressionante quem q caiu na pilha foi o Cruz, BIZARRO !!!!!!!! E é impressionante nesse esporte q na maioria dos casos os campeões dominantes ou tombam ou tem o teste de fogo onde menos se espera, por isso é tão divertido.

    E o Cody calou a minha boca, mandou break, flexão, emulou/zuou o Cruz, deu 5 knockdown, foi de cérebro de ameba fdp a humildão em 1 semana, q sujeito loko ! Um um filhote de Mcgregor foi criado ( so lembrando q a tática dele foi perfeita, igualando na velocidade e footwork, ficando plantado nos momentos certos e sendo contra golpeador ).

    TJ teve uma baita atuação, foi bem sólido e to bem curioso quando casarem ele com o novo campeão, se botar essa luta em Sacramento, a capital da Califórnia vai ter uma puta história e um palco de guerra.
    https://uploads.disquscdn.com/images/3ba6097d6eef42b5a4e9bc2971b191baa2dca7cd23d6f93f7102aaf0ba348699.png

    • Luca Veiga

      tem q melhorar e muito no trash talk pra chegar no mcgregor, mas na luta tá perto msm

      • Weslei Alvarenga

        Nem é questão de ser vocal, mais pela marra msm.

    • Foi genial o Garbrandt botar o Cruz no papel que o Cruz botava seus adversários.

      • Weslei Alvarenga

        Tem mtos tópicos para discutir sobre essa luta e o futuro da categoria. Épico !

  • Kerberus

    E tinha gente que ainda colocava a Ronda como favorita contra a Chris, né seu Alexandre …

    Mais brincadeiras a parte, ficou meio triste com essa historia toda, mesmo sempre torcendo contra a Ronda por acha-la um sujeita de verás arrogante com um ego muito maior do que o seu talento, e desalentador ver sua derrocada dessa maneira. Gostando ou não da Ronda ela fez muito pelo MMA feminino, e seus feitos no octógono não podem ser desprezados. Mais agora com essas duas derrotas acachapantes oque vai ter gente criticando e falando que ela era uma farsa e produto da mídia não vai ser pouco. Pior que ainda muitos deles vão ser os mesmos que compraram a ideia de que ela era uma lutadora invencível que lhes foi vendida.
    Temos que lembrar que por de trás de todo esse marketing ainda existe um ser humano que foi levada a interpretar esse papel e que agora provavelmente vai ser jogada de lado por esse mesmo sistema que a criou, como um produto que já não tem mais valor.

    • Sim, colocava a Ronda como favorita LUTANDO NO PESO GALO. Isso sempre foi reforçado. O desgaste da Cyborg seria gigantesco. Fora isso, nem dá pra comparar as situações da época com hoje.

      Sobre as pessoas que vão criticar e mudar de opinião, é o de sempre, né?

  • IMPERADOR

    Meu Deus… Que luta da Amanda!!

    Mostrou segurança, maturidade e técnica afinada a potência da sua mão certeira.

    Eu supunha que a Amanda poderia surpreender. Mas, dessa forma avassaladora, nunca…

    Bem disse a Miesha Tate que se um golpe entrasse limpo, poderia ser o fim. Entraram muitos e nenhum contragolpe ao menos foi esboçado.

    Ronda Rousey não estava pronta para voltar: estranha, apática e algumas pessoas achando normal seu isolamento pre-luta, falando sobre “foco”…

    Seu psicológico não deixara ela pisar em um octógono novamente e as pessoas que a circundam: namorado, mãe e equipe técnica foram irresponsáveis em deixar que ela voltasse, pelo menos agora.

    Qual Gina Carano, depois de enfrentar, e ser quase morta pela Cris Cyborg, ela vai virar atriz, caso ainda tenha coragem de botar a cara na rua.

    • Criticar o isolamento da Ronda depois que ela perdeu é fácil. Se ela tivesse vencido, estariam dizendo que o isolamento foi fundamental.

      Ronda vai botar a cara na rua. Ela não roubou, não matou, não fez nada errado.

      • IMPERADOR

        Não e critica e sim analise. Questionamento e especulação. Uma vez que, ja estava falando isso antes. Não julguei. Não fiz juízo de valor. Apenas conclui que, realmente, como ja supunha, ela não estava pronta para retornar. Pelo menos para uma disputa de cinturão.
        Quanto a “cara na rua”, obvio que a Ronda nao fez nada de errado e perdeu como qualquer mortal normal poderia perder. Torço muito que ela aparece e toque a vida, normalmente. No entanto, me refiro ao psiquismo dessa moca, forjado em excepcionalidades, que não encara uma derrota como um ser humano | lutador normal encararia.

        • Ela precisa melhorar nisso mesmo. E precisa trocar de equipe pra ontem se quiser continuar a carreira.

          • IMPERADOR

            E uma pena, Alexandre.
            Ronda e extremamente talentosa. Começou muito nova a viver desafios enormes e a realizar grandes feitos.
            Precisamos ser gratos por ela potencializar tanto nosso esporte.
            Seu legado monstruoso fica. Isso e importante e não e so para o MMA feminino.
            Mas, as pessoas passam pelo que precisam, não e mesmo?
            Assim aprendi em minha vida.

    • Roberto Edificações

      Acho q vc exagerou no seu argumento… culpar os outros pelo fato da ronda querer voltar a lutar ?? E mais, até qnd vão ficar com essa conversa de q a culpa foi do psicológico da ronda e não da sua deficiência técnica como striker?

      • IMPERADOR

        Posso ter exagerado sim, Roberto. Paciência… Mas lembro que, toda a questão do retorno da Ronda girou entorno do estado psicológico que ela ficou, e tornou publico, depois do seu combate com a Holm e perda de seu cinturão. Por conta disso, ficou reclusa e em ano sabático.
        Ainda afastada, nao respirou outros ares, não mudou de treinador, insistiu na mesma formula de sempre. E acho que as pessoas que a cercam tem, também, responsabilidades por seus resultados sim.
        Penso que o estado psicológico do atleta e muito importante no desempenho em esportes de alto rendimento. Será que se a Amanda Nunes não estivesse bem psicologicamente e extremamente confiante estaria melhorando seu desempenho luta pos luta, assim como esta?
        Quanto as deficiencias técnicas da Ronda, esperei pra ver e ainda são tão obvias que, em minha opinião, ficaram em segundo plano.
        Mas, sem duvidas, o maior mérito e da Amanda por estar na equipe certa e lutando tão bem.

  • Gabriel Carvalho II

    Repito o que o Renato Rebelo disse no Twitter: Edmond Tarverdyan tem que ser preso por estelionato.

    • IMPERADOR

      E a Ronda pela burrice de continuar com ele.

    • Sexto Empírico

      Se é assim, tem que prender também o Perdeneiras, pelo Aldo, Barão e Gadelha, o Cordeiro pelo Werdum e dos Anjos. As pessoas sempre querem achar um culpado ou inventar demônios. No caso da pobrezinha da Ronda, isso é mais evidente. A culpa é do Taverdian, de Hollywood, da Imprensa, da Depressão, do frango frito… Eu digo de quem é a culpa sem medo de errar: dela própria! Como todo adulto, ela é responsável por todas as escolhas que toma e consequências.

      • Tem nem condição a comparação de treinadores que você fez. Cordeiro pegou dois carvões e transformou em diamantes. Tarverdyan tinha um diamante não lapidado e transformou em carvão.

        • Sexto Empírico

          Também acho q não. Quis dizer no sentido das pessoas saírem caçando bruxas e apontando o dedo.

          • Gabriel Carvalho II

            Mérito total da Amanda na vitória, mas é totalmente bizarro saber que uma ex-campeã do UFC não tem condições de defender UM SOCO. Isso é absurdo pra mim.

            • Sexto Empírico

              Também acho e penso que ela deveria ter buscado um antídoto à sua franqueza em um treinamento a sério de boxe-kickboxing ao invés de ficar fazendo aquelas sombras desengonçadas com o Tarvedyan. Mas daí ( não digo q é vc) para as pessoas quererem (novamente) colocar tudo na conta do treinador é pesado. Ronda é uma atleta já veterana, adulta e deve merecer os parabéns pelos acertos e também as críticas pelas más escolhas.

          • Roberto Edificações

            Concordo que a culpa eh da ronda, eh burra por não enxergar a deficiência técnica do seu treinador e de como ela está sendo ridicularizada dentro do ring pelo fato de msm após anos de treino ainda não aprendeu a esquivar de um jab, direto. A culpada eh ela por não procurar se aprimorar, esta rica mas perdeu o legado q eh, na minha opiniao, oq ela mais queria

            • Sexto Empírico

              Exato.

            • Ela não perdeu o legado. O que ela fez, ninguém apaga. Ela perdeu a aura, a confiança,as o legado tá lá.

  • Luca Veiga

    Problema da Ronda q ela fez muito drama por causa de uma derrota, venderam a imagem de invencível e ela comprou, uma atleta experiente em competições de judô deveria saber que uma derrota é só uma derrota, mas ela se deslumbrou com todo hype que deram a ela e não conseguiu processar a derrota pra Holm, agora paga o preço da pior forma possível. Agora, provavelmente irá se aposentar , mas se decidir continuar tem que mudar de técnico urgentemente e baixar esse ego dela.

  • Bruno carrer

    Eae Alexandre Matos, agora entende o pq do meu comentário sobre a diferença de cotas?

  • Anderson Tomaz

    Segura textão hahahhaha

    Foi muito triste… Embora não goste da Ronda essa derrota teve um sabor ”estranho”, ”amargo”… Por mais que tenha apanhado ”menos” da Holly Holm (ou de forma menos arrebatadora, digamos assim) o fator surpresa x arrogância e comportamento da Ronda pré UFC 193 fez eu (e muita gente) torcer contra e vibrar mesmo sabendo que as chances da Holm levar aquele cinturão eram mínimas (na visão e apostas da época), e quando a derrota vem daquela jeito dá uma mistura de surpresa + vingança (por todo o trash talk que ela vinha fazendo com as meninas que até então enfrentara) + payback (no sentido de ”viu filha? não é por aí não! desce do salto”…

    Já a derrota de ontem foi triste e frustrante. Não me senti nenhum pouco bem vendo ela sendo espancada e não atingir NENHUMA vez a Amanda (li no Sherdog que foram 20 golpes da Amanda contra nenhum da Ronda, não sei se é verdade). Aquela imagem dela semi nocauteada correndo pra luta sem saber o que aconteceu e parando do lado do Herb Dean sem entender o que havia ocorrido foi extremamente lamentável, e sejamos honestos, não teve trash talk, teve toque de luvas, pode não ter ocorrido a promoção (e isso fez a mídia e os fãs ficarem com mais raiva ainda da Ronda e o que pode ter sido uma ideia de concentração total sem distração da parte dela, acabou soando como arrogância e privilégio novamente), por isso tudo torna a derrota ainda mais amarga. Veja bem, em nenhum momento torci pela Ronda ou algo assim, mas se vermos a performance dela contra a Holm chega a ser magistral comparada a surra de ontem. Faço das minhas as palavras de um colega forista do MMABrasil: ”Temos que lembrar que por de trás de todo esse marketing ainda existe um ser humano que foi levada a interpretar esse papel e que agora provavelmente vai ser jogada de lado por esse mesmo sistema que a criou, como um produto que já não tem mais valor”

    Agora não tem jeito. A mesma comentou que nunca esteve tão em shape pra uma luta (pré surra, claro). É aposentadoria na certa. Só espero que em 2 anos o UFC não extingua todas as categorias femininas em virtude disso.

    O mais foda é você pensar em todo o potencial desperdiçado… A Ronda com esse judô que ela tem em uma Kings MMA da vida, aprimorando a trocação naquela que é conhecida como a academia que transforma grapplers unilaterais em bons trocadores, já imaginaram? O foda é isso… Amanda sentiu a derrota pra Cat e trocou de academia, sentiu o gás contra Shevchenko e conteve o ímpeto… Felizmente (e infelizmente pra Ronda) as meninas estão cada vez melhor e mais preparadas. A impressão que dá é que ela estagnou e não procurou evolução, seja por comodidade, ou ego (em achar que estava tão acima das outras meninas e que a derrota pra Holm fora ”sorte”) e pagou por isso. Lógico que MMA não é matemática, mas se pensarmos que outrora ela tratorizou Cat Zingano e Alexis Davis (2 meninas que nocautearam a campeã) fica estranho digerir esses 48 segundos.

    Parabéns a Amanda. Espero que não caia na besteira do trash talk (a Amanda sempre falou um pouquinho mais do que devia apesar de ser gente boa pra caramba) e agora que torça pra Peña amarrar a Valentina por 5 rounds, caso contrário vejo a bullet levando esse cinturão pra casa…

    • Não vi as estatísticas, mas não lembro da Ronda acertar um único golpe.

      Não só a Kings, mas pelo menos umas 10 equipes teriam feito um trabalho sensacional com a Ronda.

  • Sexto Empírico

    Amanda foi monstruosa. Se mostrou segura, matura, completa. Me ocorreu uma dúvida: Ronda usou, novamente, a estratégia errada ou, simplesmente, esteve à frente de uma atleta q é a próxima página do MMA feminino contra a qual seu jogo não é mais eficaz? Fiquei com essa impressão. Enfim, gostei do desfecho. Amanda não será uma estrela como Ronda. Fará co mains, Fight Nights e não chegará a ganhar um milhão. Mas, enfim, se tornou famosa e reconhecida como a melhor do mundo, indiscutivelmente, da categoria. E encerrou com violência e classe mais uma história de atleta-celebridade que tanto divulga como aborrece o esporte.

    Sempre torcia contra o Cruz por achar as lutas dele um porre. Apesar de ter inteligência acima da média dos lutadores, ser eloqüente e ter um trabalho de destaque na TV americana, seus índices de popularidade não são dos melhores. Isso devido a seu jogo de toque e evasão, com muita movimentação e jogo de pernas, que lhe rendeu muitas vitórias e títulos mundiais. Suas lutas lutas são interrssantes , pela movimentação, até a metade do segundo assalto, quando notamos que não há contundência e todo aquele “ballet” dissimulado é na verdade um anti-jogo, um jeito de vencer de forma segura e sem se expor. Gostei muito q cody conseguiu acabar com esse bailado maçante. De forma até cruel, só faltou o nocaute.

    • Acho que a Ronda tava tão bizarra que até dificulta avaliar o que foi preponderante. Amanda percebeu aquele heavy bag em sua linha de tiro e mandou fogo pesado.

      • Sexto Empírico

        “Heavy bag”… que maldade, kkkk…

  • Paulo Zanchet

    Achava meio mala o Cody, mas virei fã depois dessa última luta. O cara foi genial, deu um show. Dei muitas risadas. Lembrou o Roy Jones Jr nas provocações e nitidamente atingiu o Cruz. Tecnicamente o cara tem um boxe alinhadíssimo e é muito rápido, com mãos pesadas. To loco agora pra ver Cody x TJ e aposto no Cody.

  • Roberto Edificações

    O Cody fez eu queimar a minha lingua tão forte que sinceramente eu vou pensar milhões de vezes antes de tentar prever o andamento de uma luta denovo. incrível como esse cara estava preparado para TUDO que o Cruz tinha pra dar e como ele estava um nível acima em todos os quesitos.
    A forma como ele entrou na cabeça do Cruz foi algo extraordinário e merece uma atenção especial, lembro de ter dito que quem estaria frustrado seria o Cody mas foi completamente ao contrário, e pior, Cruz ja estava frustrado no terceiro round e fez coisas que as vezes pareceram constrangedoras como os soltar vários mata-cobras sem direção… eu sei que o Cruz tem uma forma de lutar toda excêntrica, mas mata-cobra é mata-cobra e vc só faz isso quando esta muito frustrado, ainda mais contra um adversário com a esquiva e o time para o contra-golpe que o Cody apresentou.
    Ja do outro lado estava um cara completamente a vontade, com o controle total da luta e que em nenhum momento saiu do plano de jogo, nenhum momento se permitiu entrar no jogo do Cruz, foi algo que realmente me deixou impressionado. A ultima vez que eu me lembro de um desafiante superar de forma tão avassaladora um campeão foi quando Jon Jones fez oq fez com o Shogun.
    Sério, eu via o Cody como um lutador unidimensional mas agora acho que foram os adversários que não exigiram muito do potencial dele, venceu o Cruz no seu próprio jogo, perdeu no trash-talk mas dentro do 8 ganhou nas provocações, fez uma luta perfeita. No fim achei que ele deu uma cansada mas enfim, foram 5 rounds.
    Ja o Cruz me pareceu ter sido bem surpreendido, acho que ele foi com um pouco de soberba e teve um choque qnd viu o tamanho do problema que arrumou, mas mesmo assim, o cara me leva um knockdown sinistro e quando levando ja esta na ponta dos pés, VSF, sou muito fã desse cara.
    No final mais um espetáculo de esportividade, Cruz mesmo derrotado foi la e parabenizou o melhor lutador da noite que aceitou prontamente, mesmo após todo o tipo de provocação que se fosse contra um brasileiro ja seria motivo pra um chororô e pedido de revanche pra provar macheza e todas essas besteiras, enfim, um dia os brasileiros vão aprender a jogar o jogo. Cruz fez exatamente oq eu esperava do Aldo mas infelizmente né…(o mérito não foi do mcgregor, a culpa foi do soco que por acaso estava na mão dele). Um dis motivos pelo qual o Cruz esta acima do Aldo para mim, inclusive o próprio fez uma análise pós-luta.
    Ah, foi meio constrangedor ver mais uma vez o Faber gozando com o pau dos outros, alguém deveria chegar no cara e dizer “para que ta feio” tudo bem ficar feliz pelo “amigo” mas sei lá…. estranho ate como dão ênfase a ele nesses momentos, igual a quando o TJ venceu o Barão.
    Bom… pra mim, Cody pra lutador do ano, prometeu e cumpriu.

    • Eu acho que o Faber teve participação fundamental na preparação do Garbrandt. Ele pode não ter conseguido aplicar o jogo, mas estudou muito o Cruz.

  • Lero

    Com esses resultados, a luta que eu mais queria ver nos galhos, provavelmente não vai sair nunca: Garbrandt vs Lineker. Eu acho que o Cody enfrentaria o mãos de pedra no pocket sem medo. Seria insano.

    Mas agora Garbrandt vs Dillashaw vai ser um xadrés lindo de se ver.

  • Everardo Feres

    Grande luta da Amanda. Só pra constar, depois do primeiro jab era visível o temor da Ronda de passar por tudo de novo. Quando você leva um nocaute acachapante como ela levou contra a Holm, isso pode acontecer mesmo, ficar marcado. Ainda mais porque foi a primeira vez que aconteceu com ela, logo na primeira derrota.

    Inclusive acho que tu poderia fazer um artigo sobre isso hein Alexandre? Como o primeiro nocaute pode degringolar a carreira de um lutador. Até quem aplica o primeiro nocaute pode se prejudicar, pois acaba ficando viciado nisso e esquece do resto.

    Enfim, é isso. Grande abraço.

    • Boa ideia. Vou tentar desenvolver.

      • Rafael Maia

        Não sei se era temor da Ronda de passar por tudo de novo.
        Nós sabemos que o sistema defensivo da Ronda nunca foi bom… acho que a Ronda sentiu foi a potência… tomar soco da Amanda não é pra qualquer uma não…

        • O sistema defensivo dela sempre foi o ataque. Ontem foi nada. Este é o ponto.

  • Rafael Maia

    Não sei vocês, mas eu fiquei triste com a derrota do Cruz… o Cruz tinha uma aura de gênio que é muito legal de ver no esporte…. ver ele perder foi difícil.
    Não consegui ver a luta inteira, vi um compacto e fiquei procurando alguma desculpa para justificar a derrota e não encontrei… queria algo do tipo “Anderson sem brincadeira”, “Shogun em forma” e por aí vai…
    Não deu…

    • Nunca é fácil ver um sujeito como o Cruz perder, mas a postura dele após a derrota é um grande ensinamento pra muita gente. Até nisso ele ajuda o esporte. E não teve nenhuma desculpa, ele perdeu porque o Garbrandt teve a melhor atuação de um lutador no ano.

  • Junior

    ötima leitura das lutas, como sempre do Alexandre ( alô Combate )

    Fiquei com uma impressão que a Ronda estava totalmente fora de ritmo de luta, ela inclusive nem demonstrou aquele `estinto de sobrevivente `que muitos lutadores
    ativam quando estão levando uma pior, que é tentar levar para onde tem mais facilidade e comodidade técnica, no caso da Ronda, pro chão, ela simplesmente ficou trocando socos
    com alguém que é melhor que ela, deveria se movimentar mais, e `travar `a luta, pra cansar a Amanda e levar a luta pro solo, mas eu percebi que ao levar os primeiros socos na cara,
    deve ter passado um filme na sua cabeça com a luta dela com a Holly, e ela simplesmente aceitou a derrota, achei que ela perdeu totalmente a confiança, e o seu técnico ainda prejudica mais ainda, existe um técnico pior que ele junto com algum lutador relevante?

    Amanda teve todos os méritos, claro, é uma lutadora completa, muito dura e acho que vai trilhar um caminho muito legal no UFC, uma luta com ela e Holly deve ser um ápice do MMA feminino.

    Resumindo, achei que foi uma luta de troca de geração, sai a lenda Ronda, com seu legado indiscutível, e só por ela existe MMA feminino do UFC, mas hoje mais interessada em filmes e a ascensão de uma nova estrela.

    Eu não consigo olhar para Johny Hendricks e me lembrar do homem que sangrou GSP, incrível como um lutador pode decair tanto em tão pouco tempo.

    Essa história do Cody x TJ reacendendo a rivalidade da equipe Alpha Male contra seu ex-filiado vai rolar muito bate-boca , e uma luta incrível, será que Cody pode ser a antídoto para o estilo Cruz / TJ?

    Abraço pessoal,e ótimos comentários, como sempre!!

    • A Ronda demonstrou nada na luta. Foi muito bizarro. Ela parecia focada, com vontade, até levar o primeiro soco. Aí virou um saco de pancadas ambulante.

      Incrível a queda do Hendricks mesmo.

      Gabrandt x Dillashaw tem tudo pra ser incrível em vários aspectos.