Amanda Nunes desmantela Miesha Tate e se torna a primeira brasileira campeã do UFC

Amanda Nunes desmantela Miesha Tate e se torna a primeira brasileira campeã do UFC
MMA

No histórico UFC 200, Amanda Nunes obliterou Miesha Tate e se tornou a primeira brasileira a conquistar um cinturão no UFC. José Aldo também saiu de Las Vegas com um título.

Por 48 horas, o Brasil ficou sem nenhum campeão no UFC. Ao final da International Fight Week, o país saiu com mais cinturões do que entrou. No histórico UFC 200, que encheu a T-Mobile Arena, em Las Vegas, Amanda Nunes passou o trator sobre Miesha Tate e se tornou a primeira lutadora do país a conquistar o mais importante título do MMA mundial. Além dela, José Aldo levou para casa o cinturão interino do peso pena após bater Frankie Edgar pela segunda vez.

A “Leoa” justificou o apelido com uma atuação implacável. Depois um tempo de estudos, Tate avançou numa tentativa de queda que foi facilmente defendida por Amanda. Quando definiu a distância, a desafiante soltou um direto de direita que fez Tate recuar. Nunes sentiu o cheiro de sangue e surrou a americana até mandá-la à lona com mais uma direita. Sem perder tempo, a baiana pegou as costas e tentou um mata-leão. A posição não estava muito bem encaixada, mas, com o rosto sangrando e o nariz destruído, Tate não resistiu e batucou na marca de 3:16 de luta.

LEIA MAIS Preliminares do UFC 200: Julianna Peña, Kelvin Gastelum e TJ Dillashaw conseguem importantes vitórias

O resultado entrou para a história por ter sido a primeira conquista de cinturão de uma brasileira no UFC. Amanda é a terceira campeã do peso galo feminino da organização desde que Holly Holm colocou fim ao reinado de Ronda Rousey, em setembro de 2015. A baiana faturou ainda um dos quatro bônus de desempenho distribuídos no evento.

Wrestling e atleticismo conduzem Brock Lesnar à vitória sobre Mark Hunt

Num duelo tenso e limitado tecnicamente, Brock Lesnar voltou depois de quatro anos e meio mostrando o poder de seu jogo de queda e controle posicional. O americano naturalizado canadense bateu o artista do nocaute neozelandês Mark Hunt.

Brock Lesnar não perdeu posição sempre que caiu por cima de Mark Hunt (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

Brock Lesnar não perdeu posição sempre que caiu por cima de Mark Hunt (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

O combate levou um bom tempo sem nada acontecer. Lesnar, com o tempo das quedas prejudicado pela inatividade, parecia temer o poder de nocaute de Hunt, que, por sua vez, não queria ser derrubado. A dois minutos do fim da primeira parcial, o ex-campeão botou o oponente para baixo e o castigou no ground and pound.

O segundo assalto foi bem fraco. Os dois demonstraram cansaço e Lesnar não conseguiu completar quedas, enquanto Hunto mal conectou alguns golpes, mas fez o mínimo suficiente para empatar a luta. No terceiro, Lesnar aplicou uma queda cedo e chegou até a montar, mas estava tão cansado que não conseguiu a interrupção. Ainda assim, os três juízes anotaram um 10-8 e concederam a vitória ao gigante com um triplo 29-27.

Daniel Cormier domina Anderson Silva inteiramente, mas é vaiado

Num combate fácil como previsto, Daniel Cormier derrubou e amassou Anderson Silva por 15 minutos. No entanto, o público não gostou da atuação do campeão meio-pesado e vaiou o combate insistentemente.

O primeiro round foi unilateral. Cormier sentiu a (falta de) velocidade de Anderson e partiu para o single leg. Sem dificuldade, o americano venceu a limitada defesa de queda do astro brasileiro e desceu o sarrafo com socos e cotoveladas, tirando sangue do nariz do “Spider” e saindo na frente com 10-8.

O ritmo caiu a partir do segundo, mas a facilidade encontrada por Cormier para derrubar e trabalhar no chão continou. Aos 41 anos, Anderson mostrou forma física digna para quem não tinha se preparado para o combate. Ele até tentou alguns socos e chutes, mas nenhum pareceu incomodar o campeão dos meios-pesados. Cormier é mais forte, mais pesado e mais capacitado no wrestling do que oponentes que deram trabalho a Anderson no passado, como Chris Weidman e Chael Sonnen. Longe de seu apogeu, Silva não conseguiu escapar das armadilhas de Daniel e foi derrotado por um triplo 30-26, mesmo placar anotado pelo MMA Brasil.

Na entrevista ao fim do combate, vaiado, Cormier explicou que havia se preparado por oito semanas para enfrentar um oponente totalmente diferente e que não poderia menosprezar as artimanhas do striking de Anderson, então ele “fez o que tinha que fazer”. Ao contrário, Anderson foi muito aplaudido pela dignidade com que encarou a substituição a Jon Jones e por ter durado até o fim, quando o senso comum apontava para uma interrupção.

Capacidade de retaliação garante cinturão interino a José Aldo contra Frankie Edgar

Com o mesmo placar do primeiro confronto, José Aldo voltou a vencer Frankie Edgar, quebrou a série invicta do americano e, de quebra, conquistou o cinturão interino do peso pena.

Totalmente adaptado ao peso, Edgar começou o combate com mais volume de jogo, mas com pouca contundência nos golpes, talvez por estar jogando-os de longe. Aldo esperou os ataques do rival para contragolpear com bem mais potência. Frankie tentou algumas vezes mudar o nível usando quedas, mas Junior defendeu todas as 12 tentativas durante a luta.

Conforme o tempo passou, Aldo causava danos no rosto de Edgar, que seguia com mais volume, mas acertando cada vez menos e raramente com contundência. Sempre que Edgar tentava apertar o ritmo e fazer a luta descambar para a pancadaria, Aldo retaliava com contragolpes duros, que quebravam o ritmo do rival.

Sem perder a calma em nenhum momento, Aldo seguiu firme na tática de retaliar os ataques de Edgar até o americano sentir que não tinha mais o que fazer, uma vez que suas entradas de quedas foram todas negadas, algumas com duras joelhadas de encontro, outras com saídas laterais ou sprawls.

Edgar acabou o combate com o rosto coberto de sangue. Na leitura das papeletas, dois juízes marcaram 49-46 e um anotou 48-47, exatamente os mesmos placares concedidos a favor de Aldo no duelo do UFC 156, em 2013. O brasileiro disse no fim que aguardava a hora de “bater naquele merda”, se referindo a Conor McGregor, que assistiu ao combate atentamente.

Conor-McGregor-Jose-Aldo-Frankie-Edgar-UFC-200

Cain Velasquez massacra Travis Browne

No combate que abriu o card principal do UFC 200, o ex-campeão dos pesados Cain Velasquez fez aquilo que mais sabe fazer: vencer por espancamento. A vítima da vez foi Travis Browne.

Velasquez errou uma tentativa de queda no começo do combate. A partir dali, não errou mais. Ele ignorou a vantagem na envergadura do rival e, muito mais veloz, encurtou a distância como quis e espancou Browne a três por quatro, com direito até a um chute alto rodado que acertou em cheio a cabeça do adversário, que foi lançado contra a grade.

Variando entre a cabeça e o corpo de Browne, Velasquez foi implacável. Com uma direita, o ex-campeão mandou o adversário, que já estava com as pernas bambas e com os braços moles, à lona. O árbitro John McCarthy decretou o fim do martírio de Browne a dois segundos do fim do round

  • Airton S
  • Airton S

    Ãin.

    • Cormier até riu.

      Sério que vocês acham mesmo que esse chute foi pior do que o canhão que o Rumble mandou ou a joelhada do Gustafsson no R3?

      • Lero

        Tailandês também costuma rir quando leva socos fortes…
        O golpe não foi pior. Mas quem recebeu fala que chute no fígado deixa seu corpo paralisado sem resposta. E de aí, você paralisado e o juiz sabendo que ANDERSON SILVA está desferindo joelhadas, chutes e socos em você… Um Herb Dean da vida parava a luta logo. (O não… Aquele filme de snuff que foi o terceiro round do Rockhold vs Weidman bota minha suposição para o chão)

  • Airton S

    O destaque da noite, pra mim, foi o Aldo focado nível Buda. Podia ter rolado atentado a bomba do Isis no ginásio que ele não teria desviado o olhar do Edgar. Curioso como o jogo casa bem pro Aldo. Ele (e só ele) parece ter o antídoto justinho pra anular o Answer.

  • Rafael Maia

    Fiquei impressionado com a Amanda, sim… mas também fiquei decepcionado com a Tate! A principal qualidade da Miesha pra mim é capacidade de sobreviver a castigo e fazer lutas duras. Ela não mostrou isso dessa vez!

    O Anderson não virou saco de pancadas, impressionante! (quem diria isso há alguns anos)

    Fiquei com medo de não darem a vitória pro Aldo. o Edgar é queridinho e andou pra frente a luta toda!
    Achei que o Aldo poderia ser mais agressivo para ter a certeza que ganharia!

    • Danilo

      Sobre Aldo vs Edgar, acho impossível que alguém em sã consciência pudesse dar vitória pro Edgar tendo estado presente o tempo todo e que soubesse o que estava fazendo lá sentado julgando a luta.

      O Aldo defendeu todas as entradas de queda do Edgar a luta toda.
      Sempre que Edgar entrava pra bater, fosse com socos, com chutes ou com combinação de ambos, Aldo deixava contragolpes mais contundentes.
      Houve momentos em que Edgar simplesmente socou o vento devido às esquivas do Aldo.

      Sim, Edgar andou pra frente e buscou a luta o tempo todo, como é o normal dele, mas só isso não poderia ter dado vitória a ele. ;)

      • Rafael Maia

        Eu não tenho dúvida que o Aldo ganhou, mas não dá pra confiar em cabeça de juiz! Principalmente em se tratando de um queridinho da torcida americana!
        Sem contar que aquela farra de 10×8 me deixou meio confuso!

        • Danilo

          Um queridinho, como você diz, lutando em casa é sempre perigoso mesmo. Dito isso, acho muito pouco provável que alguém pudesse ter dado vitória ao Edgar depois da apresentação impecável do Aldo, ele foi praticamente perfeito em tudo. Não é pq ele não acelerou o ritmo e buscou um nocaute que ele poderia deixar dúvidas sobre a vitória.

          E pra mim Aldo foi agressivo quando o momento pediu. Como quando o Edgar avançava e ele não deixava ele se afastar sem levar um contragolpe potente.

          • Edgar nunca foi protegido por juízes laterais.

            • Danilo

              Mas eu não disse que era, disse?

              • O Rafael disse.

                • Danilo

                  Ah ta. Pq a resposta foi pra mim rs.

                • Foi pros dois, eu falei primeiro pra ele e depois pra você, porque você meio que referendou o que ele disse:

                  “Um queridinho, como você diz, lutando em casa é sempre perigoso mesmo”

                • Danilo

                  É, soou meio estranho. A intenção eu não tive, pensei de um jeito e acabou saindo de outro.
                  Enfim…

                • Danilo

                  Entendi o que deu errado no meu comentário. Eu disse que um queridinho lutando em casa é sempre perigoso, mas faltou dizer que esse podia ser o caso de outros mas não do Edgar. Tanto que comecei o resto da ideia com “Dito isso…”
                  Eu tava com ideia na cabeça, achei que tinha passado e já pulei pro resto. Já aconteceu muito rs.

                • Hahaha compreendido. De qualquer forma, minha resposta foi mais esclarecedora em geral do que direcionada pra você.

                • Rafael Maia

                  Eu não disse isso!
                  Disse que ele é queridinho da TORCIDA!
                  Não disse q ele já foi protegido antes!

      • Lero

        Para mim Aldo ganhou claramente, mas foi uma luta relativamente parelha. Eu achei que Edgar ganhou só R1 o de repente R3. Mas em aquela transmissão em inglês o Joe Rogan me deu nojo. Quem não estivesse assistindo a luta e só escutando os comentários dele, acharia que estava assistindo de novo Cigano vs Cain 2. (Aldo sendo o Cain)

        • Danilo

          Pra mim ele venceu claramente também. Não foi uma passada de carro, não foi um monólogo, mas pra mim Aldo tava extremamente preparado pra tudo que o Edgar tinha pra oferecer e respondeu muito bem.

          Sobre a transmissão confesso que tava tão tenso durante toda a luta que acabei não prestando atenção na narração ou comentários hahaha

          Mas sei que o Rogan exagera mesmo, já me irritei muitas vezes com muitas coisas que ele disse.

    • Marcos E

      Suspeito que a Tate teve problemas na alimentação. Teve dificuldade para bater o peso. Algo não cheirou bem nessa preparação. O fato é: Miesha costuma defender soco com a cara. Ou a Amanda realmente bateu mais forte do que costuma bater, ou a Miesha estava mal preparada.

      • Amanda bateu tão forte quanto sempre, ela é uma ogra.

        • Rafael Maia

          Também acho q a Amanda bate mais forte que a média, mas eu esperava que a Tate suportasse mais!

    • Acho que a Tate ainda não tinha pego alguém com o poder de punch da Amanda, ela bate mais forte que a Holm e a Ronda.

      Anderson foi digno, mas não dá pra esconder que o Cormier segurou a onda, ele não foi faminto.

      Bem, se o Edgar fosse queridinho teria vencido as duas contra o Henderson, não? Hahaha (eu até acho que ele perdeu a primeira)

  • Carlos Portela

    “Por 48 horas, o Brasil ficou sem nenhum campeão no UFC. Ao final da International Fight Week, o país saiu com mais cinturões do que entrou.”
    Como diria Dilma: “não vamos estabelecer uma meta e quando atingirmos a meta iremos dobrá-la”.