ADCC 2019: Gordon Ryan domina e conquista a categoria e o absoluto

Por Edição MMA Brasil | 02/10/2019 14:59

Por Rodrigo RojasGustavo Menor

Aconteceu no último fim de semana em Anaheim, na Califórnia, a edição de 2019 do Abu Dhabi Combat Club, o ADCC, maior evento de luta agarrada do mundo. A competição, fundada em 1998 pelo sheik Tahnoon Bin Zayed Al Nahyan, acontece a cada dois anos e mistura representantes de artes marciais como o jiu-jitsu, wrestling, judo e sambo.

Nesta edição, que foi considerada uma das mais movimentadas e bem organizadas da história, os membros do time de John Danaher – popularmente conhecido como “Danaher Death Squad” mostraram mais uma vez como o submission grappling é um esporte muito diferente do Jiu-Jitsu esportivo e roubaram a cena, desbancando alguns consagrados campeões da arte suave. Seu maior representante, o americano Gordon Ryan, mostrou o porquê que de ser considerado o melhor lutador de submission da atualidade e foi o grande campeão, faturando ouro na categoria até 99 kg e no absoluto. Além dele, Garry Tonon, Craig Jones, Nicky Ryan – irmão de Gordon – e a grande surpresa do evento, o wrestler Nick Rodriguez, também conquistaram grandes vitórias no evento.

O ADCC 2019 contou com diversos jovens lutadores firmando-se e algumas lendas sendo derrotadas. Kaynan Duarte foi o grande campeão da categoria mais pesada do evento, passando por Marcus Buchecha. Na mesma categoria, o até então faixa azul Nick Rodriguez, que foi graduado faixa roxa no pódium do evento, virou notícia ao vencer grandes faixas pretas da arte suave, perdendo apenas para o campeão. No absoluto, o grande azarão Lachlan Giles ganhou destaque ao conquistar o bronze finalizando Kaynan, Patrick Gaudio e Mahamed Aly, perdendo apenas para Gordon Ryan.

Na Super luta do evento, que sempre acontece entre o campeão da última super luta e o vencedor absoluto do último ano, André Galvão dominou Felipe Preguiça na base do wrestling e sagrou-se campeão.

Confira a resenha completa do evento:

+99 kg 

Na divisão mais pesada do ADCC, o grande campeão foi o jovem Kaynan Duarte, de apenas 21 anos. O prospecto da Atos, campeão mundial na faixa preta em 2019, dominou a divisão, vencendo inclusive o lendário Marcus Buchecha. Porém, um dos maiores destaques do evento foi seu adversário na final: Nick Rodriguez, parceiro de treinos de Gordon Ryan na academia de Renzo Gracie. Agora faixa roxa, Rodriguez, de 23 anos, demonstrou enorme talento ao utilizar seu wrestling para vencer faixas pretas estabelecidos do jíu-jitsu, como Roberto Cyborg e Orlando Sanchez, campeão da categoria no último ADCC. Na final, porém, o brasileiro dominou o wrestler por boa parte do combate com sua pegada de costas, vencendo por 3×0.

Na batalha pelo bronze, tivemos uma situação bastante inusitada. Marcus Buchecha e Roberto Cyborg, ambos derrotados em decisões dos jurados, recusaram-se a competir como forma de protesto contra os resultados de suas lutas. Assim, não tivemos um terceiro lugar na categoria.

-99 kg 

Em uma das divisões mais disputadas do evento, o “King” Gordon Ryan (foto de destaque) manteve seu trono, conquistando sua primeira medalha do fim de semana. O faixa preta de 24 anos não teve maiores dificuldades, finalizando três das quatro lutas que participou. Na final, submeteu Vinícius “Trator” Gazola, que havia vencido Vinny Pezão, com seu famoso ataque das costas.

O bronze ficou com Lucas Barboza, o “Hulk” – único adversário a não ser finalizado por Ryan -, já que Vinny Pezão não pôde competir pelo terceiro lugar por conta de uma lesão.

-88 kg 

Outra categoria com grandes nomes competindo, a divisão até 88kg teve como campeão Matheus Diniz, que venceu o australiano Craig Jones na final, com uma queda nos últimos minutos. Diniz honrou seu mestre Marcelo Garcia, considerado um dos melhores competidores sem kimono da história, conquistando seu primeiro título no ADCC.

Na batalha pelo bronze, Josh Hinger utilizou sua famosa guilhotina para finalizar Jon Blank, conquistando o terceiro lugar.

-77kg 

A divisão até 77kg contou com grandes lutas, com o ex-UFC Vagner Rocha vencendo Dante Leon, e do outro lado da chave, JT Torres vencendo Garry Tonon para chegar às finais. No combate pelo ouro, JT reafirmou sua superioridade sobre Rocha, superando o estilo do brasileiro e vencendo por 3×0, com pontos oriundos de uma pegada de costas. JT conquistou seu segundo título no evento de grappling mais prestigiado do mundo.

Pelo terceiro lugar, Garry Tonon, utilizou sua famosa chave de calcanhar para finalizar Dante Leon, garantindo a medalha de bronze.

-66kg

Na divisão mais leve dos homens no evento, tivemos um confronto de gerações, com o veterano de 36 anos Augusto Tanquinho sagrando-se campeão, superando o jovem fenômeno Kennedy Maciel, filho de Rubens Cobrinha. Para chegar lá, Tanquinho, que atualmente dedica-se exclusivamente ao MMA, superou a perigosa guarda de Paulo Miyao, enquanto Kennedy passou pelo jovem Tye Ruotolo, de apenas 16 anos, com um mata leão.

Pelo terceiro lugar, Paulo venceu Tye por pontos, depois de uma raspada. Antes disso, porém, sobreviveu a uma assustadora chave de joelho, provando a conhecida flexibilidade e determinação dos irmãos Miyao.

+60kg feminina 

Na divisão mais pesada entre as mulheres, a impressionante Gabi Garcia conquistou seu quarto título no ADCC, finalizando Carina Santi com uma kimura. Gabi venceu Stephanie Egger e Ana Carolina Vieira – irmã de Rodolfo Vieira – para chegar ao ouro.

A vencedora do bronze foi Tayane Porfírio, que usou sua pressão e força para superar Ana Carolina.

-60 kg feminina 

Bianca Basílio finaliza Ffion Davies na final.

A categoria até 60 kg entre as meninas também trouxe lutas impressionantes. A emergente Ffion Davies quebrou o braço da lendária Bia Mesquista para chegar à final, onde encontrou Bianca Basílio. Na luta pelo ouro, a brasileira atacou o pé de Davies para conquistar a submissão. O bronze ficou com Bia Mesquita.

Absoluto 

Na categoria sem divisões de peso, uma das mais aguardadas do torneio, Gordon Ryan sagrou-se campeão e colocou seu nome entre os melhores competidores sem kimono de todos os tempos. O americano enfileirou Pedro Marinho, Garry Tonon, Lachlan Giles e Marcus Buchecha para chegar ao ouro e finalizar sua impressionante campanha no evento.

A grande surpresa do torneio foi o australiano Giles, que finalizou Patrick Gaudio, Mahamed Aly e o campeão da categoria mais pesada do evento, Kaynan Duarte – todos com chaves de calcanhar. Lachlan ficou com a medalha de bronze.

Super luta 

Na super luta entre o lendário André Galvão e o campeão absoluto do último ADCC, Felipe Preguiça, melhor para o líder da Atos. Galvão dominou com seu wrestling superior e valeu-se de uma queda para conquistar os 2 pontos da vitória sobre Preguiça, que brigava contra uma possível lesão na costela após Galvão derrubá-lo sobre a mesa da organização, em uma tentativa de queda. André defendeu seu título da super luta pela quarta vez.

Que os próximos dois anos passem rapidamente para assistirmos a Galvão x Ryan em 2021 e que o ADCC continue nos brindando com surpresas e revelações da luta agarrada.

E você leitor? Conte para nós o que achou do ADCC 2019!