ADCC 2015: Claudio Calasans vence no absoluto e Davi Ramos é campeão com a finalização mais espetacular

Depois de cair na categoria até 88kg, Claudio Calasans quase desiste do absoluto, mas volta e conquista o título. Nas disputas por peso, Davi Vieira leva o título até 77kg com um armlock voador sensacional.

Fala, galera do MMA Brasil! Que final de semana para os amantes do grappling, hein? Mais uma vez o ADCC entrou para a história com lutas acirradas e de nível absurdo.

Vi muita gente reclamando nas redes sociais que as lutas ficaram muito baseadas nas tentativas de queda, nas trocas de esgrimas, porém é bom lembrar que o ADCC não é um torneio de jiu-jítsu e sim de grappling. Por isso as regras passeiam por todos os estilos de luta agarrada, para ser justa para todos. Tendo isso em mente, vamos para os destaques.

Rubens “Cobrinha” reina nos levinhos

Mais uma vez o veterano produto da Alliance Rubens Charles “Cobrinha” dominou a categoria até 66kg do evento, mostrando seu estilo versátil e agressivo. Cobra começou finalizando Tezeekbev Rasull pelas costas, depois passou a temida guarda do faixa-preta de Marcelinho Garcia, Gianni Grippo, para faturar a segunda vitória. Contra Augusto Tanquinho, Rubens venceu na decisão dos juízes e na final superou Bruno Frazzato ao pegar as costas e marcar 3 a 0.

Davi Ramos vence na categoria até 77kg com a melhor finalização do ADCC 2015

A final da categoria até 77kg estava competitiva. Davi Ramos e Lucas Lepri ainda se estudavam quando Davi fintou que iria passar e pulou, encaixando um lindo armlock voador. A finalização mais bonita de todo o evento garantiu a ele o título da categoria.

O armlock voador do campeão Davi Ramos

O armlock voador do campeão Davi Ramos

Nesta chave, dois lutadores do UFC tiveram vida dura. O ex-campeão dos leves Ben Henderson teve uma atuação “terrível”, de acordo com suas próprias palavras, e perdeu na estreia para Abdukadirov Magomed, finalizado com um mata-leão. Já Gilbert Durinho avançou até a semifinal, quando foi finalizado por um mata-leão de Davi Ramos. Na decisão do terceiro lugar, o treinador de Vitor Belfort bateu Otavio Souza com duas quedas. Otavio chegou à semifinal após eliminar o peso leve do UFC Vagner Rocha.

Yuri Simões vence a categoria até 88kg

Campeão mundial No-Gi em 2014 no peso e no absoluto, Yuri Simões mostrou mais uma vez como é perigoso sem quimono. O “Novinho” foi campeão do ADCC até 88kg depois de superar na semifinal Romulo Barral, campeão da última edição, nos pontos e parar o americano Keenan Cornelius, por pontos (3 a 0), na decisão.

Rodolfo Vieira confirma o favoritismo até 99kg

Ainda pairava no ar a dúvida sobre o rendimento de Rodolfo Vieira, astro da GFTeam. Todos torciam para que a lesão nas costas, que tirou o lutador do último Mundial Pro, tivesse superado, para que fosse possível ver o melhor Rodolfo Vieira possível.

E ele estava lá, mas o caminho até o título foi duríssimo. Após finalizar Adam Sachnoff e Cassio da Silva, Rodolfo encontrou o multicampeão Xande Ribeiro nas semifinais. Com muita explosão e controle das posições, Vieira conseguiu pegar as costas e chegar à final. Em seguida, depois de 40 minutos de uma luta muito acirrada, os juízes deram a vitória a Rodolfo sobre o duro Felipe Preguiça.

Companheiro de treinos de Fabricio Werdum fica com o título entre os pesados

A categoria acima de 99kg não teve nenhum brasileiro, mas uma surpresa enorme. O americano Jared Dopp, faixa-marrom de Rafael Lovato, enfileirou o atual campeão mundial de pano Gabriel “Fedor” Lucas, o ex-campeão mundial Rodrigo Cavaca e o vice-campeão do último ADCC João Gabriel Rocha. Dopp só parou na final no compatriota Orlando Sanchez, parceiro de Fabricio Werdum na Kings MMA, que conquistou o título depois de duas prorrogações.

O ex-UFC e ex-campeão do ADCC Vinny Magalhães ficou com a medalha de bronze depois de finalizar Rodrigo Artilheiro com um twister e pegar João Gabriel com sua chave de calcanhar do dia (finalizou Paul Ardilla na primeira luta assim) na decisão do terceiro lugar. A derrota de Vinny aconteceu na semifinal para Sanchez, na decisão dos juízes.

O reinado de Claudio Calasans no absoluto

Claudio Calasans comemora vitória no ADCC 2015

Claudio Calasans comemora vitória no ADCC 2015

Após cair nas quartas de final da categoria até 88kg, derrotado por Cornelius, Claudio Calasans quase não voltou para o absoluto. Porém, ao lembrar que seus alunos haviam comprado ingresso para assistir ao mestre, ele retornou e saiu campeão da chave sem limite de peso.

Cláudio venceu em sequência Gabriel Fedor, Vinny “Pezão” Magalhães e Yuri Simões (todos na decisão dos juízes, sem pontos) até chegar em João Gabriel Rocha. Depois de 40 minutos de luta, o 0 a 0 seguiu imperando, mas, por possuir uma punição a menos, Calasans se tornou o rei absoluto do ADCC 2015. Superação total.

No próximo ADCC, em 2017, Claudio Calasans enfrentará na super luta o amigo de infância André Galvão, que venceu Roberto Cyborg com duas pegadas de costas na principal super luta deste ano. Imagina só o lutão!

Confira todos os medalhistas abaixo:

Feminino até 60kg
Ouro: Mackenzie Dern
Prata: Michelle Nicolini
Bronze: Tammi Musumeci

Feminino acima de 60kg
Ouro: Ana Laura Cordeiro
Prata: Jessica Oliveira
Bronze: Gabrielle Garcia

Masculino até 66kg
Ouro: Rubens Charles “Cobrinha”
Prata: Bruno Frazatto
Bronze: Augusto “Tanquinho” Mendes

Masculino Até 77kg
Ouro: Davi Ramos
Prata: Lucas Lepri
Bronze: Gilbert “Durinho” Burns

Masculino Até 88kg

Ouro: Yuri Simões
Prata: Keenan Cornelius
Bronze: Romulo Barral

Masculino Até 99kg

Ouro: Rodolfo Vieira
Prata: Felipe “Preguiça” Pena
Bronze: João Assis

Acima de 99kg

Ouro: Orlando Sanchez
Prata: Jared Dopp
Bronze: Vinny “Pezão” Magalhães

Super lutas

Yves Carbinatti venceu Eduardo Mangaravite com uma guilhotina.
Ricardo Libório venceu Zé Mario Sperry na decisão dos juízes após 20min de luta.
André Galvão venceu Roberto “Cyborg” Abreu por pontos.

Curtiram o ADCC? Agora só em 2017. Forte abraço. Oss!

Foto de destaque: Guilherme Cruz/MMAFighting.com

  • Bruno Fares

    Baita evento, belo review. Estou tentando achar video da finalização do Davi, ainda não vi.

    Faltou só mencionar a super luta dos pupilos do Carlson e mais um capítulo da ATT x BZ, tudo pelo peso histórico do embate mesmo, pois a luta em si foi bem chatinha, sendo apenas a segunda prorrogação com mais movimentação. Achei o resultado justo pois o Libório procurou mais a luta o tempo todo mesmo.

    • Coloquei uma GIF do armlock voador do Davi.

    • Gustavo Menor

      Bruno, faz um tempo que o Zé Mário deixou a Blackzilians. O camp dele pro ADCC foi feito na XGym. Abs!

      • William Terres

        Mas no short do Sperry tinha um logo da Blackzilians.

        • Bruno Fares

          Isso WIllian, por isso que falei. Achei que tinha voltado.

  • Paulo Josué Lemos Alves

    Sem querer ser estraga prazer de um belo texto como esse, vocês acham que rola doping nas competições de grapling? Já souberam de algo a respeito? Há algum controle?

    • Gustavo Menor

      Seria leviano da minha parte acusar alguém de algo. Mas tinha uma galera bem grande nesse ADCC. Em relação ao doping, não existe nenhum tipo de controle que eu saiba. Tanto que o Felipe Preguiça está suspenso pela IBJJF por doping e pôde competir no ADCC tranquilo. Valeu por ter curtido nosso texto e volte sempre, Paulo! Oss

      • William Terres

        Calasans daquela altura com 88 kg, Lombard competindo na categoria até 99 kg, sei lá mermão, competição que não é regulada os caras tomam tudo e mais um pouco

  • Malk Suruhito

    Nada de relevante a se comentar nas disputas femininas?

  • Tef Schäfer

    Grande evento, ótimo resumão, belo texto. Emocionante a luta entre o Libório e o Zé Mário (onde, pra mim, o vencedor seria o Zé Mário, mas sou suspeito por ser pupilo de uma de suas equipes e o resultado desse épico é o que menos importa). Desculpem a minha ignorância (eu estava trabalhando muito em viagem, no período, meio “desconectado” do mundo): nenhum canal de TV por assinatura transmitiu o evento ao vivo? Alguém sabe me dizer?

    • Gustavo Menor

      Tef, por questões contratuais apenas o Budovideos.com transmitiu o evento via internet, através do sistema pay-per-view. Muita gente reclamou (muita, mesmo), chingando no instagram e twitter do Combate.

    • Ainda não tive o prazer de ver a luta dos veteranos, mas você é o primeiro que eu vejo a dar vitória pro Zé Mario. Vou conferir.