Abdul Razak Alhassan é indiciado pelo estupro de duas jovens

Por Thiago Kühl | 26/09/2018 01:23

O meio-médio do UFC Abdul Razak Alhassan, conforme reportado pelo jornal Star-Telegram, foi indiciado pelo estupro de duas jovens – de 22 e 20 anos – em março deste ano, enquanto trabalhava como chefe de segurança em um bar de Fort Worth, Texas.

Conforme a reportagem descreve, Alhassan teria permitido a entrada de duas garotas no bar onde era segurança, mediante que uma delas lhe desse seu número de telefone. Ambas garotas teriam ficado muito embriagadas e, ainda dentro do bar, uma delas, a de 22 anos, teria sido encontrada pela amiga se beijando com Alhassan dentro de uma despensa.

Ao saírem do bar, levadas pelo lutador para a casa da mais velha das meninas, Alhassan teria estuprado ambas garotas, primeiro a de 22 anos e depois a de 20 anos. Um policial local, que estava no bar, em seu testemunho, declarou que viu Razak levando as garotas para fora do bar, e que este teria dito ao oficial que apenas as deixaria no carro. Após o suposto duplo estupro, Alhassan teria deixado a casa e, depois disso, a garota mais nova ligou para sua mãe, que foi até o local e identificou que as meninas encontravam-se extremamente confusas e que não falavam de forma coerente, aparentando estar muito intoxicadas.

O lutador foi preso em abril, sendo liberado com fiança e mediante utilização de uma tornozeleira rastreadora. Seus advogados de defesa conseguiram a liberação da utilização do rastreador e permissão para que Abdul treinasse fora do condado de Terrant, sob alegação de que o lutador perderia sua fonte de renda se não conseguisse lutar. Até o momento, nenhum veículo de imprensa conseguiu contato com a assessoria do lutador ou com o UFC, nem o jornal que reportou inicialmente, ou mesmo o MMA Junkie, primeiro veículo da mídia especializada a anunciar o caso.

Fã incondicional e confesso de Frankie Edgar, Derek Carr e Sócrates Brasileiro, nas horas vagas brinca de advogar. Pronuncia-se Kill.